segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Situação crítica

Depois da derrota para o Cruzeiro, que resultou na incrível marca de 6 jogos sem vencer (incrível porque semanas atrás o time era líder com uma certa folga), não há mesmo como esconder: a situação do Flamengo é crítica.

Não é muito difícil descobrir que a queda do Fla está relacionada à “simples” perda de dois jogadores: Renato Augusto e Marcinho (não considero a saída de Souza porque o centroavante já vinha mal há um certo tempo). É visível que, desde a saída dos 2 apoiadores, o time não tem criatividade alguma em campo; o resultado é essa série horrorosa da equipe nos últimos jogos.

Difícil é resolver o problema originado da saída dos dois apoiadores; sem os reforços antes prometidos por Kléber Leite e com as peças que podem ser utilizadas por Caio Jr, será árduo achar uma solução. Ibson, que antes vinha fazendo uma temporada marcada por altos e baixos, não consegue ser o principal articulador do meio campo: além de ficar sobrecarregado no meio campo, o volante prende demais a bola, atrapalhando o andamento das jogadas. Kléberson, outro jogador que poderia ser utilizado na posição mas que também vinha fazendo uma temporada irregular (embora viesse subindo de rendimento com Caio Jr), se machucou e ficará um bom tempo parado. Sem ter quem colocar na posição, Caio Jr apelou para Erick Flores, prata da casa que é considerado “uma jóia a ser lapidada”; porém, com uma atuação horrível no jogo de ontem (nervoso, perdeu a bola em diversos momentos e chegou a pisar na mesma), o garoto não deve ser titular tão cedo. Pela falta de meias ofensivos, não culpo tanto Caio Jr por armar uma equipe com tantos volantes: há poucos apoiadores no elenco mesmo.

Mas as saídas Renato Augusto e Marcinho não são o único fator da queda de rendimento do Fla. Os laterais, que são (ou eram) a principal arma ofensiva do time, não vêm nada bem. Muito marcados nos últimos jogos (finalmente descobriram o mapa da mina, e digo ainda que demoraram muito para descobrir tal coisa), Juan e Léo Moura não estão rendendo o que podem nos últimos jogos, o que obviamente tira parte da força do time. Porém, a forte marcação exercida nos dois não esconde a brusca queda de rendimento do lateral direito do Fla: Léo tem estado muito apático nas últimas partidas, não vem forçando muito as jogadas nas linhas de fundo como costumava fazer e vem jogando muito pelo meio, afunilando as jogadas e quase sempre levando a pior.

Isso para não falar do ataque. Se Obina antes era um jogador que acertava 50% das jogadas, agora não acerta quase nada; o mesmo vale para Tardelli, que, displicente, vinha errando todos os dribles que tentava, não lembrando em nada o jogador que infernizou o Botafogo nos jogos finais do Carioca deste ano. Éder e Maxi não vem pecando muito, mas são limitados, jogando mais na base da vontade do que na técnica. A má fase dos atacantes prejudica tantos os laterais quanto os jogadores do meio campo: Obina e Souza (quando ainda estava no Fla) cansaram de estragar ataques criados por seus companheiros, ora tocando errado, ora não aparecendo para tabelar, ora cavando pênaltis...

O único jeito é contratar. Caio Jr vem tentando armar o time com o que é possível, mas as coisas não vêm dando certo. Enquanto isso, Kléber Leite insiste em não gastar os 30 milhões que arrecadou com venda de alguns jogadores, querendo contratar Felipe e Vágner Love a custo zero. Se ninguém for contratado, Caio Jr terá que se virar para montar uma equipe novamente vitoriosa com o que já tem em mãos, além de recuperar o estado emocional de todos, abalado com os resultados recentes. Pelo jeito, a volta ao topo será bem árdua...

7 comentários:

Daniel Leite disse...

É uma questão de objetivo. Se a intenção do Flamengo é a conquista do título, realmente as contratações são mais do que necessárias. E rápido. Vagner Lova, Felipe, Pedro, Paulo, Ambrosio (como diria Felipão). Mas se a meta é fazer uma boa campanha e, quem sabe, tentar uma vaga à Libertadores, a solução pode até ser caseira. Não seria fácil, mas Caio Jr. é bom treinador, embora lhe falte uma mentalidade mais vencedora.

Até mais!

Marcos Antônio Filho disse...

Sou Flamenguista e ando sofrendo bastante com isso...A grande vantagem era a velocidade do Marcinho,já que Souza fazia o pivô,e marcinho vinha sempre rasgando e era saco.Agora quem faz essa função?Obina está mal,talvez o mai sindicado pra fazer essa função do Marcinho era o Maxi,mas esse tb não anda jogando muito bem.Se Felipe e Vágner love,vierem,que seja logo senão o titulo só no ano que vem...


abraços!

Carlão Azul disse...

EH a coisa tá feia pra Nação Rubro-negra. Caio Jr. tem de exigir reforços imediatamente. Lembro que ele antes do jogo com o Palmeiras quiz minimizar a situação, dizendo que ainda estava em boa colocação, só que a cada rodada perde colocações.
---
Amigo Leandrus, (sobre seu comentário no meu blog), depois que comecei com o Blog/Site e fiz vários amigos virtuais que torcem para vários clubes (exceto pro timeco aqui de Minas, as frangas), aprendi a conviver bem e de vez em quando também tenho que fazer sacrifícios e visitar e comentar sobre um jogo em que meu time perdeu para o do blog que visito. Realmente é uma dura tarefa, hehehehe
Obrigado mesmo assim pelas palavras e reconhecimento que nossa vitória foi justa e limpa.

Super abraço.

Saudações Celestes
SITE/BLOG.....CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS – ESTAMOS CHEGANDO
Sou Cruzeirense - Site - Tudo sobre o clube que manda em Minas
Sou Cruzeirense - BLog - Tudo sobre o clube que manda em Minas
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE

Vinicius Grissi disse...

A saída do Souza também foi importante. Ele não vinha bem, mas era um jogador importante no elenco e dentro de campo. Sem ele, foi possível perceber que os reservas nunca estiveram à altura, principalmente Obina, que é muito fraco.

Leonardo Serafim disse...

Cara, concordo com quase tudo oq ue voce falou. A saida de Marcinho e Renato Augusto mataram o time. O Flamengo sempre chega bem com os seus volantes, com velocidade, mas quando chega proximo ao gol, falta quem possa articular o time. Renato Augusto fazia isso conduzindo e chutando de fora. Já Marcinho era a mobilidade que a equipe precisava, além de saber fazer gols.

Para mim, na melhor fase da vida deles, Obina, Tardelli não tem condições de serem titulares do Flamengo. O time ñão pode em hipotese alguma depender desse jogadores se almeja uma vaga na Libertadores. A direção precisa reforçar esse setor, mas com peças compativeis com o esquema de Caio, ou seja, que possam dar velocidade as jogadas e não cadenciar o time. Por isso eu não era a favor da vinda do Felipe.

Quanto aos laterais, desde que o Caio assumiu, muitos falaram da queda de rendimento ofensivo do Léo Moura. N verdade essa queda vem em função do esquema. O Juan ganhou muito mais liberdade para articular o jogo. Não é dificil ve-lo armando pelo meio e abandonando, em alguma situações, o lado do campo. Isso só é possível pela disciplina tática que o Léo vem tendo.
Quando o Juan avança, o Flamengo se fecha com uma linha de 4, sendo que o criticado Jailton fecha no meio e o Angelim vai cobrir o lado do Juan. Isso também se aplica nas descidas do Angelim. Inumeras vezes ele vai ao ataque e o Léo fica mais preso.
Esse estilo de jogo estava dando certo até a saida dos caras do ataque, e como você disse, da queda do Juan, que nos últimos jogos não foi nem sobra do que mostrou nesse campeonato.

Gostei do blog cara, vo adiciona o link dele

Net Esportes disse...

Confusão no treino do Flamengo de hoje cedo, a coisa ta feia por lá.........

Leandrus disse...

Breves comentários:

Daniel, pelo momento difícil que o Flamengo passa, é arriscado apostar na prata-da-casa: há muita pressão em cima do elenco e os mais jovens podem ser queimados. É só pegar o exemplo do Erick Flores: jogador muito elogiado nas divisões de base, entrou no time quando era preciso um meia ofensivo que resolvesse o problema de criação do time: porém, como eu já disse, estava nervoso, jogou mal e já há muitos que não querem mais sua escalação. Então, o melhor mesmo é contratar fora.

Marcos, também estou bastante irritado com a situação do clube, rs. Para começar, talvez essa história de título num estágio tão inicial do campeonato pode ter atrapalhado. Como diz Nelson Piquet, "não sei, pode ser...". Mas o fato é que o time sente a falta de um Marcinho, que vinha jogando bem, como você apontou. Quanto ao Souza...não sei, ele já vinha mal há um tempo, desde que o Flamengo vinha ganhando, e nem o papel de pivô ele vinha fazendo bem. O problema é que esse papel Obina faz pior ainda, o que complica. Por isso o time precisa de reforços urgente.

Carlão, acho que o nem o Caio Jr achava que o clube chegaria a uma situação tão difícil. Cabe a ele dar uma recuperada no elenco agora.
Ah, e quanto aos sacrifícios que um dono de blog tem que fazer...é, é realmente complicado comentar um jogo em que meu time perdeu, rs. Mas não posso ser cego e distorcer o que acontece no jogo (assim como você não faz, com boas visões sobre o que aconteceu no jogo). E o blog tem me ensinado isso cada vez mais (ainda bem, rs)

Vinicius, quanto ao Souza...rapaz, é complicado falar sobre ele! Posso te afirmar que já defendi muito o ex-jogador do Fla, justamente pelo papel de pivô que ele fazia (ano passado foi brilhante dessa maneira no Brasileirão, principalmente na reta final do campeonato), mas ultiamemente vinha muito mal! Nem o pivô ele fazia direito, e o jogo contra o Vitória foi o estopim para que fosse extremamente criticado, quando errou praticamente tudo! Por isso não creio que sua saída foi tão prejudicial ao Fla. Mas acho sim que é preciso um atacante de nome urgente no time.

Leonardo, obrigado pela presença no blog! Gostei muito do que você falou sobre os atacantes, principalmente porque você viu que uma eventual contratação de Felipe atrapalharia a velocidade do time, coisa que eu sempre achei. Porém, a fase é tão crítica que agora acredito que Caio Jr poderia arranjar alguma maneira de colocá-lo no time caso fosse contratado. Até porque Ibson e Jônatas vêm cadenciado todas as jogadas atualmente, então pior não tem como ficar.
Bom, quanto aos laterais: é verdade, o Léo Moura ficou mais preso com a chegada de Caio Jr na Gávea; também concordo com o que você falou a seguir, realmente é o que vem acontecendo (aliás, Jaílton vinha jogando muito bem até falhar no 2º gol contra o Cruzeiro). Mas mesmo assim, há momentos em que Léo Moura pode criar uma jogada (principalmente em momentos de desespero, como contra Vitória e Cruzeiro), mas ele prefere jogar pelo meio, atrapalhando o andamento da jogada e muitas vezes perdendo a bola; ou seja, não faz o que melhor sabia fazer, que é ir à linha de fundo! Por isso acho que ele precisa melhorar.

Netesportes, eu já estava esperando por uma coisa dessas, conheço essa torcida...

Ateh!