terça-feira, 12 de agosto de 2008

Aprendizado

Depois de alguns resultados negativos no Brasileirão, que resultaram no término do turno do Brasileirão na zona de rebaixamento, Renato Gaúcho foi demitido do Fluminense.

A princípio, não concordo com sua demissão. Não é culpa sua se peças importantes são vendidas e não são repostas (Dátolo, Urrutia e Mineiro estão para ser contratados há semanas, enquanto só Deus sabe quando Éverton Santos e Eduardo Ratinho irão estrear), se uns param de render (como Dodô, que enchia o saco de Renato para ser titular como uma criança quer um doce; quando ganhou a vaga, não rendeu), se outros são expulsos grotescamente (como Fabinho contra o Ipatinga e Tartá contra a Portuguesa)...enfim, são muitos “se”s a serem considerados.

Porém, Renato também tem uma parcela de culpa. O ex-técnico do Flu ficou extremamente abalado após a perda do título da Libertadores; à medida que o Fluminense acumulava derrotas após esboçar uma reação no campeonato (após o fatídico jogo contra a LDU no Maracanã, o time conquistou 10 dos 18 pontos disputados), era visível um semblante cada vez mais carregado e abatido no rosto de Renato Gaúcho. Em péssimo estado emocional e sem conseguir motivar um time que também sofre pelo ocorrido no dia 2 de julho, não havia outra saída se não demiti-lo.

Esse é um grave defeito de Renato que precisa ser superado o mais rápido possível, pois é algo que não acontece pela primeira vez: quando dirigia o Vasco, ocorreu quando perdeu o título da Copa do Brasil para o rival Flamengo em 2006 e quando foi eliminado da mesma competição em 2007 dias após ser eliminado pelo Botafogo na Taça Rio. As conseqüências não foram tão sérias na primeira ocasião porque o Vasco vinha bem no Campeonato Brasileiro e manteve a boa campanha, mas na 2º, o técnico acabou sendo demitido do clube. Fica a impressão de que, no momento em que Renato precisa assumir um papel fundamental para motivar os jogadores novamente, o mesmo falha e surge como a principal imagem do abatimento do time (em tempo: curioso é que o novo técnico do Flu é Cuca, outro conhecido pelo abatimento após as derrotas).

E o pior é que com o abatimento, surgem as declarações impensadas; mas talvez não mais do que as que costuma soltar em situações normais. E Renato precisa aprender que não é mais jogador para soltar tantas declarações polêmicas como “Estamos a cinco metros de disputar outra Libertadores. Os outros estão a 5 mil quilômetros”, “a gente vai entrar para brincar (no Campeonato Brasileiro)” ou até mesmo quando provocou Joel Santana (o que acarretou numa frase clássica do Natalino, que disse que Renato “ainda tem que engraxar muito sua prancheta”). São provocações que acabam aumentando a moral dos adversários e que ainda são usadas no futuro contra o próprio Renato Gaúcho (quem não se lembra das infinitas piadas criadas na Internet após a perda da Libertadores?), que geralmente acaba se irritando com uma discussão que ele mesmo começou.

Renato Gaúcho já provou sua competência (embora tenha ganho apenas 1 título) e ainda é um jovem técnico, mas já chegou a hora de refletir sobre suas atitudes e no que elas acarretam. Se não for teimoso, tirará boas conclusões dos acontecimentos dos últimos meses, o que certamente ajudará no seu amadurecimento como treinador. Mas se for teimoso, continuará sendo alvo de piadinhas baseadas em suas próprias declarações e sendo demitido pelo seu fraco emocional. Cabe a ele decidir o que achar melhor.

Foto: www.bolarolando.com.br

7 comentários:

Felipe Maciel disse...

Renato Gaúcho é sua própria vítima. Parece que a fraqueza psicológica dele atinge a equipe que comanda. Ele tem que mudar muito para se adequar...

Vinicius Grissi disse...

O Renato Gaúcho errou além da conta, principalmente nas palavras. Acabou muito abalado e a demissão veio na hora certa.

Acho o Renato um técnico de muito futuro. Ainda está aprendendo.

Net Esportes disse...

dar entrevista de óculos escuro e achar que a Libertadores tava ganha, absurdo..... pagou o preço da arrogância

Carlão Azul disse...

Não vi como impáfia ou arrogância a postura do Renato Falante, achei até legal o positivismo dele, mas depois de tudo que falou e dos resultados que estava colhendo sua demissão, pros moldes do futebol brasileiro, foi até tardia.

Saudações Celestes
SITE/BLOG.....CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS – ESTAMOS CHEGANDO
Sou Cruzeirense - Site - Tudo sobre o clube que manda em Minas
Sou Cruzeirense - BLog - Tudo sobre o clube que manda em Minas
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE

Daniel Leite disse...

Muito legais os pensamentos!

Renato agiganta os adversários. Ele é muito bom treinador internamente, monta esquemas interessantes e é amigo da maioria dos jogadores. Mas ele facilita o trabalho do treinador oponente: não há necessidade de motivação para o adversário - Renato já faz isso com suas declarações.

Ainda, o que ele fala (da brincadeira, por exemplo) provoca de certo modo a ira dos torcedores do Flu quando as coisas não vão bem. Há também o fato de ele ser excessivamente emotivo, o que provoca uma espécie de "transtorno bipolar" no time: grande alegria na vitória e demasiada tristeza na derrota. Como aconteceu a perda da Libertadores, as trevas nas Laranjeiras estão mais do que prolongadas.

Até mais!

Leandrus disse...

Breves comentários:

Felipe, também acredito que esse problema do Renato atinge o grupo que comanda. Ele realmente precisa refletir sobre isso, e não dar uma de teimoso.

Vinicius, treinando times, acredito que Renato já é um dos melhores do país. Mas precisa melhorar o comportamento; e já poderia ter aprendido a fechar o bico de vez em quando há muito tempo, desde que treinava o Fluminense em 2003.

Netesportes, dar treino de óculos escuros acho que não é o problema. A arrogância dele certamente é: por exemplo, pega no pé do Cícero Melo, da ESPN, como no vídeo (http://www.youtube.com/watch?v=JQznGnjvc9k) em que praticamente ridiculariza o repórter na frente de todos. Não acredito que ele já achava que tinha ganho a Libertadores, mas acho que, talvez por ser jovem, confiava demais no time, mesmo numa decisão tão difícil e importante.

Carlão, mas ele tem que tomar cuidado com o positivismo. Por exemplo, você não vê problemas nessa atitude dele, mas eu já vejo como uma maneira de dar moral ao adversário, incendiar os jogadores do outro time, principalmente quando solta suas declarações super polêmicas; e tenho certeza que muita gente acha o mesmo. Creio que é isso que ele precisa entender.

Daniel, é isso também o que acho. Vanderlei Luxemburgo, por exemplo, deve passar um vídeo cheio de declarações do Renato Gaúcho para derrotar seus times! E quanto ao fato de provocar as torcidas, realmente, TODAS as torcidas têm um ódio mortal dele; quando o derrotam, coitado do ouvido de Renato...

Ateh!

Pâm SãoPauliNa-RP disse...

Choraaaaaaaaaaaaaaaaaa
esse técnico é fdp viu
so fala merda....
bem feito!!!!!!!!!!!

=)