segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Olhando para trás...

...teria sido a melhor opção aceitar a demissão de Leão do cargo do Santos em maio?

Leão pode ser polêmico, extremamente temperamental e tomar algumas atitudes questionáveis. Mas o ex-técnico da seleção brasileira não vinha fazendo um mal trabalho no clube. Pelo contrário: depois de um início de ano muito ruim, foi acertando o time aos poucos, mesmo tendo um elenco muito limitado e sem conseguir os reforços decentes que sempre pediu. Com todos os problemas, conseguiu reagir no Campeonato Paulista após ficar na zona de rebaixamento por algumas rodadas e quase conseguiu levar o time à fase de mata-mata; além disso, ainda comandou a equipe até às quartas de finais da Libertadores. Quase uma façanha para quem no início do ano ainda tentava achar a formação ideal de um time que perdia para Juventus, Sertãozinho e Rio Preto, clubes que foram rebaixados do Paulistão.

Cuca conseguiu alguns bons reforços (Fabiano Eller, Maikon Leite, Michael, Apodi, Roberto Brum) que Leão não teve, mas fez uma campanha horrorosa. Não jogava bem fora, e às vezes era pior ainda em casa, onde conseguiu vários resultados ruins e até derrotas patéticas, como contra o Atlético-MG, quando o Santos vencia por 2 a 0 e deixou o adversário virar em diversas falhas da defesa. No único jogo de Leão pela competição na Vila Belmiro, o Santos derrotou o Ipatinga por 4 a 0. Bem mais tranqüilo que quase todos os jogos no mesmo estádio na era Cuca (ou Márcio Fernandes), já que Kléber Pereira e cia foram extremamente ajudados pela zaga vascaína na vitória por 5 a 2.

Deve-se lembrar também o papel da torcida. Afinal, mesmo sabendo das limitações do time, uma parte dela nunca aceitou Leão no cargo do clube e fez de tudo para que o técnico caísse. E a diretoria pouco fez para apoiar o técnico nos momentos de maior crise entre os dois, como se tivesse esquecido o que o técnico fez em 2002.

Talvez se todos tivessem mais paciência, veriam que o problema não era Leão, mas sim o time que era muito limitado; tanto que Cuca teve mais de 15 rodadas para resolver o problema, mudou o time inúmeras vezes mas nunca obteve resultados positivos; talvez tenha até piorado a situação. E do jeito que as coisas estão, parece que o Santos terá muito, mas muito trabalho para reverter uma situação que poderia ser diferente se controlada com mais calma.

Foto: esporte.ig.com.br

4 comentários:

Vinicius Grissi disse...

Não gosto do trabalho do Leão. E não acho que foi a demissão dele que causou todo este problema ao Santos. O time é fraco, e os melhores jogadores não jogam bem faz muito tempo, como o Kléber.

Net Esportes disse...

Também não gosto do Leão, mas acredito que o Santos estaria bem melhor se tivesse mantido ele até hoje..... agora literalmente o "Peixe está frito" !!!!!!!!!!!!

Daniel Leite disse...

Concordo totalmente. Leão conseguiu se adaptar às condições que o Santos lhe ofereceu e esboçou um ótimo trabalho. Encaixou algumas peças, ressuscitou a equipe no Campeonato Paulista e poderia até mesmo, por incrível que pareça, ganhar a Taça Libertadores. Ele sair foi um erro terrível, apesar dos 4 a 0 aplicados pelo Cruzeiro. Haveria tempo hábil para a recuperação, mas o troca-troca pode levar o Santos à Série B.

Até mais!

Leandrus disse...

Breves comentários:

Vinicius, eu não sou um grande fã do Leão (acho horrível a relação que ele tem com seus atletas, lida muito mal com eles), mas, como disse, acredito que vinha fazendo um ótimo trabalho dentro das limitações da equipe. E eu também não acho que foi a sua demissão que resultou na situação atual do Santos: só acho que, até devido ao seu desempenho até aquele momento, poderia ser melhor agora, até mesmo fora da zona de rebaixamento.

Netesportes, tá frito mesmo, hehehe. E, como disse, acredito que faltou paciência com Leão.

Daniel, é importante lembrar que, naquele jogo contra o Cruzeiro, o Santos não vinha fazendo uma má apresentação até tomar o primeiro gol, fruto de um contra ataque após um erro de Molina. Ganhar a Libertadores já acho um pouco exagerado, mas poderia até ter ido à semifinal: é bom lembrar que o Santos foi "garfado" lá no México no jogo contra o América.

Ateh!