segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

A primeira escolha não foi das melhores

O único atacante de ofício do Fla no jogo de ontem, Obina, ficou boa parte do tempo isolado no ataque, como em diversos momentos do ano passado

É verdade que é cedo para tirar conclusões sobre um time baseado apenas no primeiro jogo da temporada, até porque a maioria dos times estão em fase de experiências. Mas a escolha de Cuca pela manutenção do criticado esquema usado pelo Flamengo em 2008 talvez não tenha sido das melhores e deixou muita gente insatisfeita.

Muitos odiavam o esquema do ano passado e inclusive diziam que uma das causas da não classificação para a Libertadores era a já manjada e às vezes defensiva formação usada para Caio Jr. Não acho que esse tenha sido o principal problema da equipe, mas é verdade que era um esquema limitado, sem variação e com a falta de um 10 no time; por isso esperava algo diferente nesse ano, principalmente com a contratação de um técnico ofensivo e até meio maluco como Cuca. Mas tudo estava lá novamente: time super dependente dos laterais, 3 zagueiros e 3 volantes, Marcelinho Paraíba jogando no ataque, mesmo após já declarar inúmeras vezes que prefere jogar no meio, e o único centroavante do time muitas vezes isolado no meio dos zagueiros adversários.

Creio que a formação do Flamengo não precisava de grandes mudanças. Mas com a manutenção do esquema, ficou a mesma sensação de que havia um volante que muitas vezes tinha pouca coisa a fazer (Willians), de que faltava um homem de maior criatividade no meio (já que Marcelinho estava no ataque e, pela idade, pouco se movimenta) e principalmente que, se o treinador deseja um volante que proteja bem a zaga, fica difícil Ibson e Kléberson jogarem juntos. Ambos possuem características muito parecidas: marcam razoavelmente bem, sabem sair jogando muito bem mas não possuem características ofensivas que façam com que pelo menos um deles assuma o papel de criador de jogadas no meio campo, como um camisa 10. Dessa maneira, o time perde um pouco de criatividade e ambos não rendem tudo o que podem (é como se um atrapalhasse e limitasse o outro), assim como Marcelinho Paraíba, que dos titulares é quem mais pode criar mas, deslocado para o ataque, não joga tudo o que pode.

Com a entrada de Zé Roberto nos próximos jogos, o time deve ganhar um pouco mais de criatividade, com Marcelinho jogando um pouco mais recuado e dividindo a armação de jogadas no meio com o ex-botafoguense. Não acredito que um sairá para a entrada do outro, logo o esquema de ontem deverá no máximo durar mais algumas partidas. Dessa maneira, Ibson ou Kléberson deve sair da equipe, até porque Cuca parece decidido a manter na equipe um jogador no meio com características mais defensivas e este jogador é mesmo Willians, que parece ter agradado o técnico, embora não tenha feito uma boa partida ontem (começou o jogo muito travado e falhando em lances capitais para quem protege a zaga). Como o camisa 7 do Fla está numa melhor fase desde o ano passado, ele deverá permanecer na equipe, e assim talvez a equipe ganhe mais equilíbrio, não sendo muito ofensiva nem tão defensiva como ontem, numa cena que com certeza muitos não querem ver de novo, até porque o Flamengo tem elenco para outros esquemas e o de 2008 já deu o que tinha que dar.

Foto: www.lancenet.com.br

3 comentários:

Carlão Azul disse...

Realmente é muito cedo pra tirar conclusões sobre o time de 2009. Ainda precisamos de tempo pra avaliar as contratações e ver como o time responderá às novas propostas do técnico.

Abraçus Leandrus


Abraços e...
Saudações Celestes

SITE/BLOG
Sou Cruzeirense - Site
Sou Cruzeirense – Blog
CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS
ENTREM, DÊEM UMA ESPIADINHA E SINTAM-SE A VONTADE

Vinicius Grissi disse...

O Flamengo ainda tem muito para crescer nas mãos do Cuca. Não tenho dúvidas que ele vai formar um grande time. Principalmente quando o Zé Roberto começar a jogar.

Sobre o Futebol Carioca disse...

muito legal o blog!