domingo, 2 de novembro de 2008

"Interlagazzo"

Impressionante. Lewis Hamilton tornou-se campeão mundial da F-1 de uma maneira talvez nunca vista. Já no final da última volta, quando muitos já davam o título de Massa como certo, o inglês conseguiu fazer uma ultrapassagem em cima de Timo Glock e pulou para a 5ª posição, o suficiente para lhe dar o tão sonhado título. Dessa maneira, calou milhares de brasileiros que torciam para Felipe Massa, deixando o autódromo com cara de funeral em pleno Dia de Finados e deixando a 2º vitória do brasileiro no seu país natal em segundo plano.

O GP do Brasil deste ano foi parecido com o do ano passado: não exatamente emocionante por ter tido muito duelos na pista, ultrapassagens, abandonos, mas sim dramático por causa da batalha pelo título. Como Hamilton esteve sempre próximo da 6º posição que dava o título para Massa, a corrida foi marcada pela tensão. Isso para não falar da chuva que ameaçava cair sobre o circuito, que poderia mudar a corrida.

A tão esperada largada foi tranqüila. Massa se manteve tranqüilamente na ponta, Hamilton evitou qualquer confusão e permaneceu na 4º posição e Kovalainen foi novamente um péssimo escudeiro, sendo ultrapassado por Alonso e Vettel. Esse finlandês foi atrapalhado pela equipe em muitos momentos, mas deixou de corresponder na pista em outros.

Aliás, Massa se manteve na ponta praticamente durante toda a corrida. Sentindo-se muito a vontade na pista, assim como na Turquia e no Bahrein, o brasileiro foi pouco incomodado, a não ser quando trocou várias voltas rápidas com Vettel até o alemão fazer seu pit stop e voltar atrás de Hamilton.

Se Massa não tinha tanto trabalho lá na frente, o mesmo não se pode dizer de Hamilton. O inglês chegou a cair para 7º no começo da corrida e só voltou à 5º posição porque Trulli patinou à sua frente e Fisichella, com sua fraca Force India, não era páreo para a Mclaren do inglês. E olha que Lewis ainda esperou o tempo certo para ultrapassar o italiano, justamente para não cometer bobagens. Depois, ainda teve Glock e Vettel a sua cola por alguns momentos.

E o mesmo Vettel quase deu o título a Massa. Mostrando-se superior a Hamilton após a troca de pneus já nas últimas voltas, quando a chuva deu o ar de sua graça, o alemão ultrapassou o inglês a 3 voltas do fim, jogando-o para a 6º posição, pois Glock não havia parado e por isso pulou para 4º. Mas quando a torcida já comemorava o título de Massa, veio a ultrapassagem de Lewis em cima do piloto da Toyota. De maneira mais dramática, emocionante para os ingleses e para fãs da F-1 e decepcionante para os muitos brasileiros que torcem para Massa, impossível.

Com certeza foi um golpe duríssimo. Já seria cruel perder o campeonato somente por 1 ponto. Muito mais sabendo que o título foi perdido principalmente por causa dos erros da
Ferrari durante o ano. Mas saber que ele escapou nas últimas curvas, diante de uma torcida fanática por F-1 e que não comemora um título desde 1991, dói muito. Mas agora não adianta reclamar ou lamentar: só resta a Felipe tirar proveito desse episódio para se fortalecer e buscar o título no ano que vem.

Vettel foi um grande nome da corrida. Foi quem chegou a incomodar Massa e não só incomodou Hamilton como ultrapassou-o e quase deu o título a Felipe. Quase vira o ídolo dos brasileiros. Seu desempenho nessa corrida só coroou sua grande performance na segunda parte do campeonato, quando até mesmo levou a Toro Rosso à vitória na Itália, algo que poucos imaginavam que iria acontecer um dia. Valeu a pena o esforço que Gerhard Berger fez para levar o alemão para sua equipe. Agora fica a dúvida: já que a Red Bull foi devorada pela sua equipe satélite na 2º parte do campeonato, será que Vettel vai manter o mesmo desempenho no ano que vem?

Alonso foi outro que fez uma boa corrida; mais uma vez superou Kovalainen na largada e ganhou posições ao ser um dos primeiros a antecipar sua primeira parada. Por isso conseguiu chegar na 2º posição. Se o espanhol antes não fazia um bom campeonato, emplacou uma seqüência excepcional de resultados desde o GP da Hungria, conseguindo desde então 48 dos 61 pontos que conquistou no ano, chegando 3 vezes ao pódio e até ganhando 2 corridas. Pelo desempenho com o mediano carro da Renault, começou a ser considerado por muitos o melhor piloto do grid.

Destaque também para quem está (quase) se aposentando. Coulthard se despediu da F-1 fazendo o que mais fez nesse ano: batendo na largada e saindo da corrida. Já Rubens Barrichello só foi notando pelo capacete diferente (numa época de capacetes espalhafatosos, o simples que usava era destaque) e sendo ultrapassado pelos outros. Terminou num distante 15º lugar. Essa corrida pode ter sido a despedida de Rubinho da F-1; se foi, infelizmente foi bem melancólica...

E agora, só nos resta esperar o ano que vem. Vai ser duro esperar até março do ano que vem...

Fotos: www.gpupdate.net

8 comentários:

Net Esportes disse...

Final de campeonato fantástico, esse foi de tirar o fôlego, até a última curva... lembrando até a F-Indy..... demais.... sem palavras, pela circustância criada o Massa até merecia, mas o coitado do Hamilton não merecia perder novamente do mesmo jeito.....

VALEU HAMILTON !!!! PARABÉNS !!!

Marcos Antônio Filho disse...

corrida mágica!eu estou com DPT-Depressão Pós Temporada! Não vou esquecer tão cedo dessa corrida!

Saulo disse...

O que aconteceu com o Massa foi impressionante, foi inacreditável, mas isso é coisa do esporte e ele vai seguir firme e forte.

Paulo Maeda™ disse...

ótima análise Leandrus, descreveu tudo msm da prova. O "negão" realmente mereceu o título, ainda mais com a incompetência da Ferrari. Agora é 2009 Felipe!

Vinicius Grissi disse...

Repito o que escrevi nos outros posts que vi no mundo blogueiro sobre a corrida. Inesquecível. Nunca mais será esquecida pelos brasileiros e nem pela história da f1 esta prova.

Marcelonso disse...

Leandrus,


Uma corrida épica,e as últimas voltas foram sensacionais,pena Glock não estar uns 38 segundos a frente,mas é a vida.

Massa fez tuda o que deveria fazer,mas não dependia só dele.


Valeu a corrida,mas a sensação após foi algo estranho,um misto de alegria e tristeza.


grande abraço

Marcel Jabbour disse...

Quem sou eu pra dizer isso. Pode parecer que tenho mais de 50 anos, hehe.

Mas não me lembro de nada parecido.

Não me decepcionei, pois, pelo menos dessa vez, o brasileiro fez sua parte.

Quem sabe ano que vem?

Abraço!

diletra.blogspot.com

Leandrus disse...

Breves comentários:

Netesportes, lembrou o fim do ano passado, quando o Dixon perdeu o título por ficar sem combustível na última volta. Acho que Hamilton tb merecia por ter corrido bem o ano todo, por ser talentoso e arrojado. Mas se não ganhasse esse título...

Marcos Antônio, eu já baixei várias temporadas antigas completas para passar a depressão! Tomara que o Bernie Ecclestone não leia isso!

Saulo, coisas do esporte mesmo. Até porque no futebol já vimos isso direto. Mas Massa deve se recuperar disso.

Paulo, vlw pela força! Acho que Felipe vem muito forte para o ano que vem, e vai ser um ótimo adversário para Hamilton e Raikkonen, caso esteja motivado e não tenha apagões que nem no meio dessa temporada.

Vinicius, se vc viu a corrida, pode bater no peito e falar que viu um dos momentos históricos da F-1. Isso vai ser lembrado para sempre.

Marcelo, grande corrida mesmo, dá para fazer um filme! Confesso que eu, que até torcia mais pelo Hamilton mas tb ficaria feliz pelo Massa, fiquei sentido com o que aconteceu com Massa. Mas foi um grande final e ele vai amadurecer ainda mais com isso.

Marcel, que eu lembre, das histórias antigas que li sobre F-1, não vi algo parecido! Só tô lembrando da Indy mesmo, como disse para o Netesportes, quando Dixon perdeu o título pq ficou sem combustível na última curva da última volta tb.

Ateh!