domingo, 14 de setembro de 2008

Festa italiana (?)

Os italianos puderam festejar o resultado do GP da Itália, mas quem venceu não foi um piloto da Ferrari, tão pouco um pilota nostra. O vencedor foi Sebastian Vettel, da modesta Toro Rosso, equipe italiana que usa motores Ferrari, que venceu sua primeira corrida em seu 2º ano na categoria. De quebra, o alemão se tornou o piloto mais jovem a vencer uma corrida na F-1. O pódio foi completado por Heikki Kovalainen e Robert Kubica.

Quem esperava uma largada confusa, fruto da pista molhada, decepcionou-se. Para que houvesse maior segurança, a largada foi feita com o safety car na pista. Se os espectadores se decepcionaram com o início da corrida, imagine Sebastian Bourdais: o francês, que largaria em quarto, não conseguiu sair para a volta de apresentação e ainda perdeu uma volta tentando resolver os problemas no seu carro, caindo para a última posição, onde permaneceu durante o resto da corrida. A sorte não o vem acompanhando ultimamente, justamente no momento em que seu futuro na equipe é incerto: na Bélgica, tinha chances de pódio, mas perdeu várias posições numa situação atípica. Agora, acontece essa infelicidade quando consegue a 4º posição no grid. O mundo não vem sendo nada bom para o Sebastião...

Após duas voltas na pista, o safety car finalmente voltou aos boxes e a corrida pôde prosseguir normalmente. E enquanto Sebastian Vettel liderava a corrida com autoridade, Lewis Hamilton tornava-se a grande atração da corrida. Saindo da 14º posição, não tomou conhecimento dos seus adversários, fazendo ultrapassagens muitas vezes ousadas em pilotos como Raikkonen, Kubica e Alonso. Enquanto o inglês dava seu show atrás (e que show!), Felipe Massa partiu para cima de Nico Rosberg e pulou para a 4º posição. Já Raikkonen fazia corrida muito discreta e ficou várias voltas atrás de Nick Heidfeld.

O trunfo de Hamilton era sua estratégia que lhe permitiria fazer apenas uma parada. Quando finalmente foi aos boxes, na 26º volta, já estava em 2º. O inglês voltou justamente atrás de Massa, que ainda teria de fazer uma parada. No momento, o cenário era confortável para o inglês.

Mas se a presença da chuva atrapalhou Hamilton no treino de qualificação ontem, a falta dela o atrapalhou hoje. O piloto da Mclaren foi obrigado a voltar aos boxes para colocar pneus intermediários, como vários pilotos faziam. Os beneficiados com isso foram Kubica e Alonso, que puderam colocar pneus intermediários justamente na primeira e única parada que fizeram. Eles, que vinham no pelotão intermediário, conquistaram algumas posições preciosas e por isso terminaram a corrida em 3º e 4º, respectivamente. Ambos faziam corridas discretas mas corretas, e foram beneficiados por isso. Aliás, os últimos resultados do espanhol da Renault já são dignos de um pódio.

Já os pilotos da Toyota, Jarno Trulli e Timo Glock, e principalmente Nico Rosberg foram os maiores prejudicados com a parada para pôr pneus intermediários. Os três, que não fizeram má corrida, apostaram na estratégia de fazer apenas uma parada, mas tiveram que fazer uma parada extra para colocar pneus intermediários. Decepção maior para o piloto da Williams, que faz um campeonato mediano. Justamente quando largou numa boa posição e tinha grandes chances de conquistar alguns pontos, teve sua estratégia arruinada e terminou num pífio 14º lugar.

A corrida não perdeu em emoção após o término das paradas. Massa, que fez sua segunda parada duas voltas antes de Hamilton, voltou em 6º e pressionou Nick Heidfeld, outro piloto que fez uma corrida discreta mas eficiente, até ser alcançado por Hamilton. A impressão era de que o inglês, pela forma como se aproximou e pela maneira como corria até então, logo ultrapassaria o brasileiro. Porém, o piloto da Ferrari conseguiu defender sua posição até o final da corrida; já o piloto da Mclaren ainda precisou se defender dos ataques de Webber, que, mesmo sendo outro prejudicado pelas trocas de pneus, conseguiu terminar novamente na zona de pontuação, chegando em 8º.

Os outros brasileiros não foram muito bem. Nelsinho Piquet terminou em 10º, e Rubens Barrichello, em 17º.

E o que dizer de Vettel? O alemão fez uma corrida praticamente sem erros, sem ser ameaçado em momento algum; mostrou autoridade de piloto experiente. Futuro campeão? Talvez, ainda é cedo prever tal coisa. Mas será um dos grandes pilotos da F-1 no futuro, e já mostrou que tem potencial para isso. É também de se elogiar o trabalho da STR nas últimas corridas, que mostrou uma evolução impressionante, de dar inveja à RBR.

Já Raikkonen terminou em 9º. O finlandês somente mostrou porque é o atual campeão do mundo nas últimas voltas, conseguindo algumas ultrapassagens importantes, mas que não foram suficientes para deixá-lo na zona de pontuação. No geral, não foi uma boa corrida de Kimi. Como está a três corridas sem pontuar, suas chances de conquistar o título estão ainda mais reduzidas, pois está com 57 pontos, enquanto Hamilton possui 78, e Massa, 77. Não é bom duvidar dele, mas parece cada vez mais difícil acreditar na sua recuperação. Até porque Hamilton não deve fazer as besteiras do ano passado, Massa está mais forte e Raikkonen, mais desligado.

Em tempo: porquê eu nunca declarei minha simpatia pela Toro Rosso antes? Agora vou ser chamado de oportunista!

Fotos: www.gpupdate.net

5 comentários:

Net Esportes disse...

Rapaz, se o Hamilton faz que nem o Kubica e o Alonso ele ganhava o corrida, levando em contra que o Vettel ainda tinha sua segunda parada.......... puxa vida ia ser histórico, como de fato foi histórica a vitória de Vettel que se aproveitou da Chuva e da falta dela..... o garoto parece ter futuro,

Pâm SãoPauliNa-RP disse...

Putz eu torci tanto pelo Hamilton..q surpressa esse vencedor =(

Daniel Leite disse...

Uma vitória especial de Vettel. Até pelo critério que eu usaria para medir o feito de um piloto, a consideração sobre quem estava na pista. E estavam Kubica, Massa, Hamilton, Heidfeld, Kovalainen, Raikkonen, Alonso... E o moleque ganhou, numa STR.
Vale lembrar também que a performance do Hamilton foi assustadora. Como este inglês é bom! Só teve azar ao ter que colocar pneus intermediários.

Até mais!

Arthur Virgílio disse...

Apesar dos problemas a corrida ainda foi positiva para o Felipe Massa que diminiu para um ponto a vantagem para Hamilton, que como você destacou se não fosse a troca de pneus poderia fazer uma corrida historica.

Leandrus disse...

Breves comentários:

Netesportes, Daniel e Arthur, Hamilton fez uma performance sensacional! Ia ser uma vitória linda, histórica de Hamilton! E ia ser um baque para Massa, que poderia sofrer críticas por ter largados na frente do inglês. O brasileiro teve sorte dessa vez...

Sãopaulina, surpresa porque Vettel ainda é bom novo e corre pela modesta STR. Mas pelo talento que ele tem, não é tão surpreendente...