segunda-feira, 30 de junho de 2008

Conquistando respeito

Finalmente, chegou o tão esperado dia. A Espanha derrotou a Alemanha por 1 a 0, gol de Fernando Torres, aos 33 minutos do primeiro tempo, e conquistou a Eurocopa 2008; um título da importância da principal competição entre seleções depois da Copa do Mundo não era conquistado pela “Fúria” desde 1964, quando a seleção espanhola venceu a mesma competição dentro de seus domínios. Mais importante do que esse feito, só o respeito que a Espanha adquire com essa conquista.

Isso porque a Espanha sempre foi conhecida como a seleção do ‘quase’; percebemos isso pelo retrospecto recente da seleção em Copas do Mundo. Em 1998, foi desclassificada ainda na primeira fase, após ser surpreendida pela Nigéria e pelo Paraguai. Em 2002, a seleção foi injustamente derrotada pela Coréia do Sul nas quartas de finais, durante a loteria dos pênaltis: injustamente porque a “Fúria” marcou dois gols legítimos durante o jogo que foram incorretamente anulados. Em 2006, numa Copa em que os favoritos estavam mal e a Espanha vinha se mostrando um favorito ‘de última hora’ (devido ao seu desempenho durante a fase de grupos), teve o azar de pegar a perigosa mas já insossa França durante ainda nas oitavas de finais, sendo derrotada por 3 a 1.

Porém, tudo mudou da água para o vinho. A Eurocopa mostrou que a Espanha determinada a apagar o estigma de ‘cavalo paraguaio’. E acabou provando isso, já que a competição serviu como um verdadeiro teste (e que teste!): fez gol no último minuto num jogo difícil contra a Suécia; mandou a tradicional Itália para casa, vencendo na decisão por pênaltis: decisão que mostrou que os nervos dos espanhóis estavam no lugar, até mesmo depois de Guiza perder sua cobrança. E por último, não deixou o nervosismo bater enquanto o time vencia a Alemanha na final.

Então, o geral parte para o particular. Isso porque o respeito que a seleção espanhola adquire influi na reputação de vários jogadores espanhóis, que serão muito mais respeitados a partir de agora. Casillas, que era visto com certa desconfiança no hall dos melhores goleiros da atualidade, ganhou pontos com muitos fãs de futebol depois de suas seguras atuações durante a competição; isso sem contar os pênaltis defendidos contra a Itália. David Villa se recuperou das atuações irregulares pelo Valencia na última temporada e voltou a ser visto como um atacante perigoso e matador. Fernando Torres deixou de vez de ser uma promessa, já que finalmente conquistou um título importante em sua carreira. Iniesta e Xavi deixam de ser peças talentosas no meio campo do Barcelona que podem ser trocadas vez ou outra. E as atuações de Marcos Senna deixarão os brasileiros se perguntando como deixaram um jogador como ele se naturalizar, numa posição carente na atual seleção brasileira.

A Espanha já figura como uma das favoritas ao título da próxima Copa do Mundo. Sem o título de seleção do ‘quase’ e com jogadores jovens e já vitoriosos misturados a outros com maior experiência e igualmente vitoriosos, a “Fúria” promete.

6 comentários:

Breiller disse...

Você observou bem, Leandro: a Espanha já figura entre as favoritas na África do Sul. Acho que não vai ter dificuldades nas eliminatórias e deve avançar fácil junto da Turquia.

Se mantiver essa base aí, e o novo treinador conseguir o mesmo comando do Aragonés, tendo a apostar "en la Furia" mesmo.

Carlão Azul disse...

Como vc disse a Espanha conquistou nosso respeito. Pelo que vi nas reportagens fez uma grande partida.



Saudações Celestes
SITE/BLOG.....CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS
Sou Cruzeirense - Site
Sou Cruzeirense - BLog
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE

Daniel Leite disse...

Ótima análise!

Em síntese, a Espanha conquistou aquilo que Milly Lacombe chama de "identidade futebolística". Com jogadores jovens, respeitados e mais confiantes, não há dúvidas de que a Espanha chegará com força em 2010.

Outra seleção que, acredito, será perigosa na África do Sul é a adormecida Inglaterra. Há tempos tem a melhor seleção européia (em termos de nomes - Ferdinand, Terry, Lampard, Gerrard, J. Cole, Rooney...), embora lhe falte um goleiro confiável. Agora, a F.A. contratou um técnico competente: Fabio Capello.

Até mais!

Vinicius Grissi disse...

A Espanha já merecia tal feito. É um time que será muito bem-vindo à lista de candidatos aos títulos. Foi bom vê-la ganhar, apesar de achar que a Alemanha sairia vencedora. Título justo!

OCTETO RACING TEAM disse...

Bela vitória!!!!!!!
O que rendeu até a liderança do raking da FIFA!!! Lugar onde o Brasil se afasta cada vez mais!! hehe

Bjinhoss


Tati

Leandrus disse...

Ai meu Deus, ultimamente tenho estado tão ocupado que até esqueci de responder as mensagens...

Breiller, acho que não vai ser dificil continuar o bom trabalho de Aragones. E a Espanha, com o bom time que tem, deve passar tranquilamente para a Copa. Tomara que não tenha azar de novo lá...

Carlão, respeito que já merecia faz tempo. Nada que um título como esse...

Daniel, também acho que a Inglaterra pode chegar com tudo na Copa do Mundo. Depois do pífio Mclaren, a federação inglesa consertou a besteira que havia feito e tem um técnico de verdade. O único problema, além do gol, é o banco. Por exemplo, se Rooney ou Owen se machuca, quem entra?

Vinicius, muito bom vê-la vencer. Merecia isso faz tempo. E bem melhor que ver a Grécia campeã...

Tati, com Dunga no cargo e com esses perebas que ele convoca, a gente vai cair cada vez mais no ranking, rs

Ateh!