quinta-feira, 3 de julho de 2008

Mas que destino...

OBS: Sei que já é meio tarde para postar isso, mas enquanto eu não entrar de férias, só posso postar matérias no blog nesse horário...

Nos seus últimos 3 jogos no Maracanã pela Libertadores, o Fluminense venceu seus adversários pelo placar de 3 a 1. Este resultado levou o time das Laranjeiras à classificações heróicas e históricas contra São Paulo e Boca Juniors, além de permitir que a equipe anulasse o resultado negativo conquistado na primeira partida contra a LDU, levando o jogo à prorrogação. Coincidência ou não, o mesmo placar impôs ao Flu uma decepcionante derrota na decisão de pênaltis, calando aproximadamente 80 mil torcedores em pleno Maracanã, criando a nova versão do tão temido “Maracanazo” e dando o título ao time equatoriano.

Os primeiros minutos foram assustadores para o Fluminense. Logo aos 5 minutos, Guerrón partiu para cima de Ygor, e, após fazer um carnaval em cima do volante, cruzou para o centro da área; a bola encontrou Bolaños livre, que concluiu no canto direito de Fernando Henrique. Para piorar, logo após Washington perdeu um gol na frente de Cevallos (gol que centroavantes não podem perder), Bieler perdeu gol tão incrível quanto o perdido pelo camisa 9 do Fluminense.

Mas a sorte, que acompanhou o Fluminense durante toda a campanha da Libertadores (junto com a competência, claro), voltou a sorrir para o time. Aos 12 minutos, Thiago Neves arriscou de fora da área, Cevallos não alcançou a bola (alcançável, na minha opinião) e empatou o jogo.

Com tão pouco tempo de jogo, já era possível perceber que a LDU não marcava tão bem quanto se espera de um time que joga fora de casa numa final de uma competição importante. Porém, o Fluminense marcava tão mal quanto no jogo em Quito, mostrando as mesmas deficiências nas laterais. Por isso, o jogo ficou muito disputado, com jogadas perigosas de ambos os times a todo instante.

Então, aos 28 minutos, o Fluminense virou a partida, num erro grotesco da zaga da LDU: Cícero, que estava atrás de toda a zaga adversária, foi lançado em cobrança de lateral; o jogador dominou a bola, cruzou rasteiro para o centro da área e a bola foi ao encontro de Thiago Neves, que marcou. A zaga da LDU estava tão desatenta neste lance que o brasileiro passou por trás de Calle sem que o zagueiro percebesse. Com a pressão tricolor dentro e fora de campo, a LDU começou a catimbar em campo, enquanto o juiz Hector Baldassi começou a errar em vários lances; o argentino chegou até mesmo a não marcar um pênalti claro em cima de Washington.

O Fluminense voltou para o segundo tempo com Dodô no lugar do inoperante Ygor (aliás, até quando os times do Rio terão de agüentar Jaíltons, Ygors e Túlio Souzas?). O Flu continuou em busca do terceiro gol, enquanto a LDU continuou dando muitos espaços lá atrás (principalmente o espaço entre os volantes e os zagueiros, quase inexistente). O resultado não poderia ser outro: Thiago Neves, em linda cobrança de falta (mas de novo com certa colaboração de Cevallos) marcou o terceiro gol do Flu e seu hat-trick. A pressão do Flu era tanta até aquele momento e a marcação da LDU era tão frouxa que parecia que o quarto gol tricolor sairia em pouco tempo.

Mas o Flu tirou o pé do acelerador. O jogo começou a ganhar tons dramáticos, já que a LDU começava a arriscar mais jogadas. Bolaños quase marcou em certo momento do segundo tempo; Guerrón tentava criar jogadas, mas, isolado, perdeu quase todas as disputas. Mas o Flu não estava morto: Júnior César crescia cada vez mais de produção e, ao contrário do que aconteceu no confronto em Quito, começou a criar várias jogadas pela esquerda, procurando Dodô e Washington na área. Porém, quando o lateral não cruzava mal e não tinha seus cruzamentos facilmente interceptados, os atacantes, que não vinham bem no jogo, não conseguiam finalizar as jogadas. A melhor jogada do Flu no segundo tempo acabou sendo um chute de Conca em que Cevallos acabou espalmando de maneira esquisita, quase entregando mais um gol para o Flu. Importante lembrar que Hector Baldassi continuou mal no jogo, invertendo laterais e não marcando várias faltas para ambos os times; porém, quem esteve no Maracanã ano passado no jogo Flamengo x Defensor não se assustou com isso...

Então o jogo foi para a prorrogação. Os dois times, já cansados e receosos, não levaram tanto perigo. O drama ficou reservado para os últimos minutos do segundo tempo da prorrogação: aos 11, Bieler teve um gol mal anulado pelo juiz. Aos 12, Cevallos se redimiu em parte das falhas cometidas durante o jogo ao fazer grande defesa em chute de Thiago Neves. Aos 14, Guerrón, após aproveitar bobeira do Fluminense, puxou um perigoso contra ataque que foi parado por Luís Alberto; o capitão tricolor acabou sendo expulso por ser o último homem. Mas a falta foi mal cobrada e o jogo foi para os pênaltis.

E então Cevallos finalmente brilhou: defendeu a derradeira cobrança de Washington, além das de Conca e Thiago Neves, enquanto Fernando Henrique pegou apenas a de Campos. A LDU acabou calando 80 mil incrédulos torcedores, levando muitas crianças, mulheres e marmanjos às lágrimas. Uma derrota pelo placar de 3 a 1, que tanto ajudou o Flu...

A derrota tricolor não foi patética como a do Flamengo contra o América. Porém, foi tão ou mais decepcionante quanto, porque os torcedores tinham certeza que a LDU não era dos adversários mais fortes (um time com sérias deficiências, principalmente defensivas): certamente a derrota em Quito foi determinante para esse resultado. Além de tudo, foi um desfecho triste para um time que teve vitórias épicas contra o São Paulo e o Boca Juniors. Coisas do futebol, um esporte viciante que pode levar times e torcedores do céu ao inferno em pouco tempo...

6 comentários:

OCTETO RACING TEAM disse...

Oiii Leandro...

(há tempos não comento né?!!)

Hahahahahahahaha...
Vc acredita que estou rindo até agora!?? Mto bom!!!

Vc falou bem... a derrota do Flu não humilhante qto a do nosso Fla para o América, mas foi tão decepcionante qto !!!Eles se consideravam campeões... depois dos gols então...Nossa!!!! Mas eles cairam do "cevallos" !! hahahahaha

Ontem eu vibrei pela derrota do Flumeninense, mas pricipalmente pela derrota de uma pessoa: Renato Gaúcho! Um sujeitinho soberbo e prepotente!

Todo mundo riu qdo o Flamengo perdeu para o América, mas como diz aquela velha frase: "quem ri por último, ri melhor"

Agora é hora de brincar de lanterninha no brasileirão!!!!!


Bjinhosss p/ vc!!

Tati

Blog F1 Trulli disse...

Eu comecei a assistir, aí logo no início desanimei (quando tomou 1) e ñ vi + nada, quando chegou nos pênaltis q eu assistir e foi o desastre (ou talvez mérito do Cevallos, + ainda acho q ñ) ... reparou q + pé frio do q eu ñ tem uhahauhhauhauah

Trulli, tem q ficar + um bom tempo ainda, se aposenta quem ta mostrando q ñ tem + ritmo, como Coulthard...
p.s. Glock, verdade ele e Nelsinho sempre dão um jeito d aparecer nas transmissões (vale td pra aparecer) ahuahuaahuahauahu

Abração

Até +

Daniel Leite disse...

"Coisas do futebol, um esporte viciante que pode levar times e torcedores do céu ao inferno em pouco tempo..." Eis uma verdade absoluta.

Eu concordo que a LDU tenha deficiências terríveis na defesa. No entanto, o ataque equatoriano é muito bom. E Urrutia dá um mínimo de sustentação ao time. O Fluminense é um pouco mais equilibrado, mas dependeu demais e somente de Thiago Neves. O problema é que não há marcação eficiente na cabeça-de-área. É como disse: até quando Ygor's, Jaílton's (...)?

Até mais!

Loucos por F-1 disse...

Cadê o gol lá de Quito que o Thiago Branca Neves falou que seria o do título?? Engraçado né, falaram que iam fazer e acontecer, não vi nada. É isso que dá ficar tirando onda dizendo que vai levar o título no mole. Tem que ter humildade e respeito pelo adversário, isso o Fluminense não teve.

Não gosto do Cevallos, pois falhou tanto no primeiro gol quanto no terceiro. Sua lentidão é nítida, mas nos penaltis entrou o fator experiência da parte dele que fez muito diferença.

Agora quero ver o Fluminense brincar de lanterninha na escuridão da zona de rebaixamento.

Alguém aí sabe o que começa com FLA e termina com FLU ???
R: A tabela do Brasileirão!!! hahahaha

Abraço!

Leandro Montianele

Vinicius Grissi disse...

Título justo e merecidissimo para a LDU, que foi brilhante durante toda a competição.

E o Fluminense, tem que aprender que é preciso vencer em campo, não fora dele.

Leandrus disse...

Breves comentários:

Tati, tenha certeza que não foi só você que riu, rs. Confesso que também ri da cara de Renato Gaúcho, pessoa que considero muito arrogante quando ainda não tem currículo para tal coisa; mas ele não aprende, e acho que não vai aprender nunca...

F1 Trulli, nunca assista os jogos do Flamengo, fazendo favor, rs. E pô kra, dá um desconto pro Cevallos! Ele foi mal durante os 2 jogos, mas foi bem na decisão de pênaltis; nem considero sorte, mas acho que ele defendeu muito bem mesmo (claro que ele se aproveitou da catimba e do nervosismo tricolor, mas isso é outra história...)

Daniel, eu tenho uma certa "birra" com o ataque da LDU. Desde o primeiro jogo entre Flu e LDU, na fase de grupos, acho o ataque do time equatoriano bom mas ineficiente, porque desperdiça muito gols. Acredito que a força do time é mesmo o meio campo, com Guerrón, Urrutia e Bolaños (e o primeiro vai fazer uma falta...)

Leandro, isso é verdade. Faltou humildade a Renato Gaúcho e Thiago Neves. O que não é surpresa alguma: não sei se você lembra, mas o segundo, no fatídido Flu 4 x 1 Fla no começo do ano, fez questão de dançar o "créu" na frente da torcida rubro-negra. E pode ter certeza que a humildade ainda não chegou com a derrota na Libertadores...

Vinicius, título merecido para a LDU, mas que talvez fosse mais merecido para o Flu. Porém, o tricolor carioca bobeou nos primeiros 45 minutos da final e deu no que deu.
E vai ser complicado para o Fluminense aprender alguma coisa com Renato Gaúcho e Thiago Neves...

Ateh!