domingo, 22 de junho de 2008

Tentando fazer história

Numa corrida que não foi tão chata quanto se imaginava (pelo contrário, teve até bons momentos), Felipe Massa contou com uma pitada de sorte e venceu o GP da França. De quebra, assumiu a liderança do campeonato: além de ser um fato inédito na sua carreira, um brasileiro não alcançava tal feito na F-1 desde 1993, quando Ayrton Senna ainda estava na Mclaren. Kimi Raikkonen, que liderava com certa tranqüilidade até ter problemas com o sistema de escapamento, foi o segundo, enquanto o italiano Jarno Trulli conseguiu uma excelente terceira posição.

Raikkonen e Massa largaram bem e mantiveram suas posições iniciais, ao contrário de Alonso, que acabou caindo para 5º, sendo ultrapassado por Trulli e Kubica. Ainda durante a primeira volta, o polonês tentou ganhar a 3º posição de Trulli, mas acabou sendo fechado pelo italiano e ultrapassado por Alonso. Enquanto isso, Hamilton, que havia largado em 13º, fruto da punição de 10 posições pela lambança feita em Montreal, ganhava a 10º posição de Vettel. Porém, o inglês acabou “cortando caminho” e não devolveu a posição ao jovem alemão.

É Hamilton, nem sempre a F-1 premia os “espertões”. Após ultrapassar Kovalainen (com certa facilidade; o finlandês deve ter recebido ordens para deixar o inglês passar) e duelar por algumas voltas com Nelsinho Piquet pela 8º posição, Hamilton foi punido pela ultrapassagem, hã, “ilegal” sobre Vettel (foi obrigado a passar pelos boxes), arruinando toda a sua corrida.

A corrida seguiu num ritmo normal; Raikkonen e Massa dispararam em relação aos demais, sendo que Raikkonen aumentava sua diferença para Felipe volta a volta. Todos os pilotos fizeram suas paradas normalmente. Se tinha alguém quase dormindo em frente à tv, logo acordaram quando viram Nelsinho Piquet, inusitadamente, sendo ultrapassado por Kovalainen. Explico: o brasileiro segurou o piloto da Mclaren durante várias voltas, até ambos pararem para o primeiro pit stop ao mesmo tempo. O piloto da Renault saiu na frente, mas acelerou o carro tarde demais após passar pela linha branca que determina o limite de velocidade nos boxes e foi ultrapassado ali mesmo por Kovalainen. Que coisa...

Após o primeiro pit stop da maioria dos pilotos, a corrida começou a ganhar em emoção. Kubica, que havia ganho a posição de Alonso, começou a pressionar Trulli, dando uma prévia do quanto o italiano sofreria até o final da corrida. Raikkonen, que aumentava cada vez mais sua vantagem para Massa, começou inexplicadamente a ver sua vantagem reduzida em relação ao brasileiro, que chegou a ser de 6 segundos.

As próximas voltas seriam cruciais para o resultado final da corrida; era cada vez mais visível que Raikkonen perdia rendimento, embora ninguém soubesse o motivo. Massa rapidamente encostou no finlandês e o ultrapassou na 38º volta, conquistando a liderança do GP. Enquanto Massa abria cada vez mais em relação à Raikkonen, Trulli, Kubica e Alonso disputavam a 3º posição, enquanto Kovalainen fazia uma bela ultrapassagem em cima de Webber e conquistava a 6º posição.

Faltando menos de 20 voltas para o término do GP, durante o 2º pit stop da maioria dos pilotos, alguns pingos de chuva começaram a cair sobre o circuito. Porém, a mesma acabou não interferindo muito no resultado da corrida, já que ninguém foi obrigado a colocar pneus de chuva.

O fim da corrida ainda reservava um ótimo duelo: Kovalainen, que havia ganho a posição de Kubica nos boxes, tentava ganhar de qualquer maneira a 3º posição de Trulli. Porém, o italiano, experiente, conseguiu segurar muito bem o finlandês. Em vários momentos, Kovalainen apareceu ao lado do piloto da Toyota, chegando até a se tocarem faltando 2 voltas para o final; porém, o italiano conseguiu segurar sua posição até o final da corrida. Um merecido resultado para ambos: o pódio de Trulli premiou a boa fase da Toyota, e a boa corrida de Kovalainen pode ser o sinal de recuperação para o jovem finlandês, que vem de seguidos insucessos.

À parte dessa briga, Massa terminou a corrida tranqüilamente na 1º posição, seguido por Raikkonen, ainda brigando com o problema de escapamento. Se Massa não fez nada de espetacular durante a corrida (não chegava a assustar Raikkonen até o finlandês ter problemas), também não cometeu erros. Trulli, Kovalainen e Kubica permaneceram em suas posições (não foi um bom fim de semana para a BMW, já que Heidfeld chegou num distante 13º lugar), enquanto Webber terminou em 6º. Nelsinho Piquet finalmente conseguiu seus primeiros pontos, terminando em 7º, após ultrapassar seu companheiro Alonso a 2 voltas do final, depois de um erro do espanhol. Tirando o erro do pit stop, Nelsinho fez uma boa corrida: conseguiu suportar a pressão de Hamilton e Kovalainen e não perdeu tempo rodando a todo instante. Rubens Barrichello terminou na 14º posição, finalizando melancolicamente um péssimo fim de semana da Honda.

Ih, faltou falar do Hamilton, né? Pois é, terminou em 10º, e já está ficando para trás no campeonato de pilotos...

9 comentários:

Blog F1 Trulli disse...

a corrida foi realmente muito boa (pelo menos para o q se esperava dela)

pra Massa foi uma super pitada d sorte, pq ele "ñ teria" como chegar em Raikkonen q tava bem + rápido, + o q importa é q agora Massa é lider (agra tentar ser regular)

Trulli, nossa a melhor corrida do ano dele, já na largada (muito boa) Trulli conseguiu garantir o 3º lugar q segurou até o final (muito boa a disputa d Trulli e Kova)
abração

Até +

F-1 A.L.C. disse...

o massa teve mais do que una pitada de sorte, teve un pelotão de bahianas do seu lado

Trulli e o bicho. muito boa corrida, na defensa de Kovalaien e teve ate uns "chega pra la" tipo filme dos oitenta, sem sequer travar os freios. quase não vi erros no italiano

Loucos por F-1 disse...

A corrida parecia que seria uma monotonia só, mas para a grata surpresa de todos foi boa. Ninguem imaginava um GP da França com bons pegas como aconteceu.

Massa com essa vitória lidera o mundial de forma merecida, agora é manter o ritimo e partir para o título.

Sensacional a disputa de Trulli e Kovalainen pelo terceiro lugar.

Rapaz, foi muito legal o reencontro do Dedé com o Didi, fizeram uma festa com estouro de champagne e tudo mais. Foi maneiro! hehehehe

Abração!

Leandro Montianele

Daniel Leite disse...

Massa, confesso, tem me surpreendido. Eu sou muito cético em relação a ele, mas ser líder do campeonato após quase metade dele é algo extremamente positivo. Será árduo segurar Raikkonen e até mesmo Hamilton, se ele parar de cometer erros e se a McLaren contribuir, mas Massa já mostrou que pode fazê-lo.

Até mais!

Vinicius Grissi disse...

Vitória muito importante para o Massa, mostrando sorte de campeão.

Destaque para o Nelsinho que foi bem na corrida, fazendo uma belíssima ultrapassagem no fim e somando os primeiros pontos.

Net Esportes disse...

Como falei no outro blog do Loucos por F-1, o reencontro do Dedé e Didi foi mais emocionante que a vitória do Massa....... mas sabe que na entrevista dele senti ele diferente..... no jeito de falar e gostei da postura.

Leandrus disse...

Breves comentários:

F1Trulli e Luis, Trulli foi muito seguro na hora de defender a posição. Lembrei agora que achei injusta a nota que o jornal "Lance!" deu para o italiano (8,5), nota menor que a de Massa e Raikkonen (cada um teve 9). O italiano teve uma corrida muito mais dificil que a dos pilotos da Ferrari e merecia nota maior, ainda mais por ter segurado BMW e Mclaren por um bom tempo.

Leandro, boa mesmo essa liderança do Massa, merecida pelas últimas atuações dele. Porém, a imprensa brasileira já está começando a encher o saco com isso. Não precisa valorizar tanto assim uma liderança nesse estágio do campeonato...

Daniel, você tocou num ponto importante: Hamilton precisa parar de errar urgentemente; isso está prejudicando não só sua classificação no campeonato como também sua reputação, já que o inglês nunca reconhece seus erros. Talento ele tem, e nós sabemos disso; mas precisa melhorar...

Vinicius, destaque mesmo para Nelsinho. Vai tirar um peso danado das costas...

Net Esportes, engraçado que eu nem percebi nada demais no Massa, rs. Senti só que ele ainda estava muito surpreso com o que aconteceu na corrida, mostrando que ele teve sorte com o problema de Raikkonen.

Ateh!

Felipe Maciel disse...

Tentando? Fazendo história, de fato, ora... E duas quebras de tabu de uma só vez.

Já Hamilton tá numa fase realmente ruim, com penalty naposição de grid, penalty na corrida etudo o mais. Correndo em casa, pode se redimir...

Leandrus disse...

Felipe, acho que me expressei mal (acho não, tenho quase certeza). Quando disse "tentando", quis me referir à tentativa de Felipe de vencer o campeonato, o que o tornaria 4º brasileiro campeão, uma escrita obviamente considerável. Com o título do texto, não quis me referir à quebra dos tabus: embora a quebra tenha sido algo importante e até a tenha citado, não a considero a ponto de justificar a frase "tentando fazer história", se é que você me entende. (obs: tabu que inclusive, na minha opinião, está sendo valorizado demais pela imprensa brasileira)

Ateh!