terça-feira, 24 de junho de 2008

Alento aos decepcionados

A atual edição da Eurocopa vem surpreendendo muita gente; felizmente, de forma positiva. Um ótimo remédio para aqueles que ainda não conseguiram engolir a última edição da Copa do Mundo, recheada de jogos chatos, sem surpresas durante toda a competição e que ainda premiou as burocráticas seleções da Itália e da França, que não encheram os olhos de ninguém.

Nessa Eurocopa, tudo mudou. Como aperitivo, já fomos surpreendidos com a não classificação da Inglaterra, uma tradicional seleção européia, que, diga-se de passagem, teve atuação pavorosa na última Copa do Mundo. A França e a Itália, que mostraram o mesmo futebol insosso da Copa da Alemanha, já voltaram para casa (merecidamente, diga-se de passagem). A Suíça, outra representante do antifutebol na última Copa do Mundo, foi eliminada diante dos próprios torcedores ainda na primeira fase. Isso sem falar na Grécia, que desde a Copa das Confederações de 2005 é castigada por ter ganho uma competição tão importante com um futebol tão feio e defensivo; Charisteas e seus companheiros foram eliminados sem ganhar um mísero ponto.

Já tivemos grandes jogos, que ficarão na lembrança de muita gente por um bom tempo. Afinal, quando veremos jogos como Alemanha 3 x 2 Portugal, Holanda 4 x 1 França, ou qualquer uma das 3 sensacionais viradas da Turquia? (por favor, considerem o empate heróico contra a Croácia na prorrogação como uma “virada simbólica”)

Por isso devemos elogiar as 4 seleções classificadas para as semifinais. A Turquia vem mostrando uma capacidade de recuperação impressionante durante os jogos, jogando com uma garra cativante. A Espanha vem mostrando que tem tudo para acabar com o estigma de “seleção que amarela”: possui um ataque jovem e talentoso (Torres e Villa), jogadores do meio campo que sabem atacar e defender com muita eficiência (Xavi, Iniesta e até mesmo Fabregas) e um goleiro que se firma cada vez mais entre os melhores do mundo (Casillas); para melhorar, os jogadores parecem cada vez mais amadurecidos. Quanto à Rússia, confesso, só assisti um jogo: justo o primeiro, em que os comandados de Guus Hiddink foram goleados pela Espanha. Mas pelo que tenho visto, é uma seleção que vem mostrando um futebol competente e ofensivo, capaz de arrancar elogios daqueles que antes torciam para a Holanda.

E a seleção alemã? Muitos dizem que é o “câncer” entre as quatro seleções restantes. Porém, tenho outra opinião: creio que essa Alemanha treinada por Joachim Löw possui um toque de criatividade e talento que a difere das seleções alemãs de outros anos. Não por causa de Ballack, mas sim por Schweinsteiger, Podolski e Lahm, que vêm fazendo ótima Eurocopa e possuem uma habilidade atípica dos seus conterrâneos. Se não enche os olhos, também não está no “grupo burocrático” da França e da Holanda.

Os decepcionados com a última Copa do Mundo agradecem.

4 comentários:

Daniel Leite disse...

Sem dúvida, Leandrus, concordo contigo. O Euro tem sido, sim, um alento, pois mesmo a Holanda, que representava o futebol que todos queriam ver, foi eliminada por um equilibrado e ofensivo time russo.
A Alemanha de Löw tem, de fato, um perfil diferente do que muitos pensam. Ballack tem feito uma competição impecável, e o time tem constantemente atuado com dois atacantes de área, mais Podolski aberto pela esquerda. Deve aproveitar-se dos desfalques turcos, muito embora Semih Senturk tenha uma finalização poderosa.
A Espanha, como bem disse, também tem impressionado positivamente. Só creio que Fábregas e Torres precisem ser escalados juntos... Contra a Rússia, um jogo sem prognósticos, visto que não duvido mais de nada que o Guus Hiddink venha a fazer.

Até mais!

Vinicius Grissi disse...

Realmente as 4 seleções que ali chegaram, fizeram por merecer. Fiquei chateado apenas pela saída da Holanda, um time que não dava pinta que ganharia fácil, mas que dava gosto de ver jogar.

Blog F1 Trulli disse...

eu falei que não ia assistir com a eliminação da Holanda, + ñ da hauhauhauu + é verdade a Euro ta cheia d supresa, a maior pra mim foi Inglaterra (ñ se classificar) e Holanda (perder pra Rússia)

eu ñ aposto muito na alemanha nessa final, acretido q o campeão da Euro sai no jogo Rússia e Espanha e pra mim a Rússia leva (logo aposto na Rússia)

F1... "Aí, pode confessar: seu coração quase saiu pela boca quando o Trulli tocou rodas com o Kovalainen no final da corrida, né?"
verdade achei q Kovalainen ia tocar em Trulli ahuhahuahuahauha
ainda bem q saiu td bem, esse 3º lugar ñ poderia ter vindo em melhor hora,
agora acho q a Toyota mantem o ritmo
abração

Até +

Leandrus disse...

Breves comentários (tardios, mas antes tarde do que nunca, rs)

Daniel, eu não acho que Ballack venha jogando tão bem assim; mas eu também tenho certa implicância com o alemão, já que acho que ele some muito do jogo. Porém, Podolski e "sopa de letrinhas" vêm jogando muito bem (bom para o primeiro, que possivelmente sairá do banco do Bayern Munich). Quando a Espanha, Fabregas mostrou no jogo dessa semifinal que tem de ser escalado como titular: o talento desse espanhol é impressionante, e foi fundamental para a vitória em cima da Russia.

Vinicius, também fiquei chateado com a classificação da Holanda. E fiquei mais chateado ainda porque a Rússia jogou mal nos 2 jogos que assisti, rs.

F1 Trulli, escolha errada, porque a Rússia hoje não foi nada diante da Espanha, rs

Ateh!