quinta-feira, 15 de maio de 2008

Vantagem quase confortável

Em jogo disputado no Morumbi, o São Paulo venceu o Fluminense pelo magro placar de 1 a 0 no jogo de ida das quartas de finais da Libertadores. O tricolor paulista agora joga pelo empate no jogo de volta, enquanto o Flu terá que vencer por 2 ou mais gols de diferença para seguir adiante na competição.
Enquanto o São Paulo apresenta um futebol até certo ponto feio mas eficiente tanto em seu estádio como fora de casa, o Fluminense, mesmo tendo jogadores mais habilidosos como Thiago Neves, Dodô e Conca, também não apresenta um futebol de encher os olhos, principalmente jogando fora de seus domínios. Por isso o começo de jogo foi bem atípico, com ambos os times procurando o gol. Aos 3 minutos, Adriano soltou a bomba em chute de fora da área e Fernando Henrique defendeu de forma esquisita. O Flu respondeu aos 8 minutos, quando Dodô cruzou para a área e a bola foi afastada no momento em que Washington já estava pronto para mandar para as redes. O jogo continuou movimentado por mais algum tempo mas sem maiores lances de perigo.

Aos 18 minutos, o São Paulo bombardeou a meta de Fernando Henrique com uma seqüência de chutes. Se muitos torcedores acharam que este era o prenúncio do gol, acertaram: no minuto seguinte, Dagoberto chutou cruzado, Fernando Henrique espalmou para o meio e Adriano, sem misericórdia, mandou para as redes com a maior calma do mundo. Aqui cabe uma observação: esses 19 primeiros minutos de jogo mostraram porque volta e meia Fernando Henrique é contestado pelos técnicos do Fluminense: suas defesas esquisitas, como no primeiro lance de perigo do São Paulo no jogo, assemelham-se muito a defesas de goleiros de pelada, deixando os torcedores apavorados; além disso, o jovem goleiro é muito instável, já que é capaz de fazer lindas defesas seguidas de um lance questionável, como no lance do gol.

De qualquer maneira, após o gol o Fluminense sumiu no jogo. Thiago Neves, Cícero e Dodô se tornaram peças nulas, deixando Washington sozinho no meio da excelente zaga são-paulina. O São Paulo, que é um time que concentra boa parte de suas jogadas nas laterais, dominava cada vez mais as alas, principalmente o corredor que Gabriel deixava. Aqui, outra consideração: Renato Gaúcho precisa achar uma maneira de explorar todo o potencial do lateral direito, já que é nítido que ele não repete as atuações do Brasileirão 2005, quando tinha bastante liberdade para atacar sem se preocupar muito com a marcação. Renato ainda não entendeu que o lateral não consegue marcar com a mesma eficiência do time; seria até injusto barrá-lo, porque é visível que suas características são outras.

Voltando ao jogo, o São Paulo teve grande domínio territorial no resto do primeiro tempo, mas não conseguiu traduzir isso em gol, embora Fernando Henrique tenha feito bela defesa aos 42 minutos após linda cabeçada de Adriano.

O segundo tempo mostrou a realidade de ambos os times: um São Paulo bem mais cauteloso e um Fluminense com maior presença no ataque mas tomando cuidado para não tomar mais gols. Com isso, a partida ficou morna e a segunda etapa teve poucos lances de perigo. Aos 9 minutos, Thiago Neves finalmente deu as caras, chutando com perigo ao gol de Rogério Ceni; porém, o momento em que mais apareceu no jogo foi quando se encaminhou direto ao vestiário falando poucas e boas ao ser substituído por Conca.

Aliás, o mesmo Conca foi responsável pela jogada mais bonita do jogo, quando passou no meio de dois jogadores do time da casa e mandou uma bomba que passou perto do gol de Rogério. Quanto ao São Paulo, este teve seu grande momento no segundo tempo quando o zagueiro reserva do Flu Roger errou ao cortar um passe, deixando Fábio Santos na cara do gol; este tocou para Dagoberto, que acabou chutando por cima do gol.

O São Paulo conquistou um resultado magro, mas pelo menos não tomou gols em casa, o que é fundamental. O Fluminense aparentemente não tem uma tarefa difícil; o problema é ganhar do São Paulo por 2 gols de diferença. Porém, o Fluminense tem time para conseguir um resultado positivo, principalmente se jogadores como Thiago Neves e Dodô, que não estiveram num bom dia ontem, jogarem tudo que sabem.

OBS: Que partida do Adriano! Incomodou muito a zaga e deixou sua marca; sua convocação para a seleção hoje foi merecida.

4 comentários:

Daniel Leite disse...

Eu penso que R. Gaúcho mexeu mal. Ele poderia ter substituído DODÔ por CONCA. O "artilheiro dos gols bonitos" ainda está fora de forma; adiantar Cícero para explorar o potencial dele pelo alto, contar ainda com Washington e com dois meias habilidosos para fazer o ataque jogar - T Neves e Conca - aproximaria o Fluminense do empate. Agora o SPFC é um tanto favorito à vaga, pois está difícil de marcar gol na defesa paulista, tão fechada. E mais ainda segurar Adriano, que está esperto como nos bons tempos na Itália. Ou até melhor.

Até mais!

Kakazinha Tricolor disse...

Muitoo bom seu blog, parabéns!

Suas postagens são de bastante conteúdo, mas vale a pena ler.

Ainda mais quando se trata do São Paulo F.C, hehe.

Beeeijinhos tricolores,
Kakazinha Tricolor

Leandrus disse...

Breves comentários:

Daniel, eu acho que o Dodô nem deveria ter entrado como titular. Como você falou, ele ainda está fora de forma; e se fosse pra jogar recuado como ele jogou, deixando Washington isolado, o Conca seria muito melhor para essa função.

Kakazinha, brigado pelos elogios! Quanto ao fato de ter muito conteúdo, eu sempre escrevo textos longos demais, tento sintetizar as idéias, mas ainda não cheguei ao ponto ideal. Enfim, com o tempo espero melhorar isso, mas que bom que pessoas como você continuam lendo o texto mesmo assim: fico grato por isso!

Ateh!

Blog F1 Grand Prix disse...

Vamos ver se o São Paulo segura 80.011 jogadores na quarta que vem. Três a zero Fluzão, rumo ao Japão hahaha!

Grande abraço,

Gustavo Coelho