quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Nilmar salvou Felipe Melo


Ao marcar três gols e ter uma excelente atuação, Nilmar ganhou pontos com o técnico Dunga e salvou Felipe Melo de receber uma chuva de críticas

Já classificado para a Copa do Mundo e sem 4 titulares, Dunga tinha uma excelente oportunidade para testar alguns reservas, fazendo disso um dos principais objetivos do jogo e já visando o grupo que irá levar para a África do Sul no ano que vem: encarava uma equipe sedenta por uma vaga na competição, fazendo do jogo em Pituaçu um bom teste para os que entravam no time principal. E quando tudo estava dando certo, quase que um jogador coloca tudo a perder.

Símbolo das apostas de Dunga que deram certo, Felipe Melo quase foi vilão num jogo que tinha tudo para ter um saldo extremamente positivo para a seleção brasileira. Pecou pelo excesso de confiança e depois resolveu querer estragar tudo ao cometer um pênalti que permitiu ao adversário descontar o placar e ao fazer uma falta violenta que lhe rendeu um cartão vermelho e facilitou a tarefa da equipe de Marcelo Bielsa, que em poucos minutos empatou o jogo.

O meia da Juventus não precisava disso. Destoou do restante da equipe e quase colocou em xeque uma tranquila vitória brasileira: até resolver aprontar das suas, o Brasil já vencia por 2 a 0, jogava bem, mostrava qualidade no ataque e não parecia sentir o desfalque de 4 titulares importantes. Dunga precisa ter uma séria conversa com ele: sua autoconfiança – vista no passe de calcanhar que resultou num perigoso contra-ataque adversário - não é de hoje e seu jeitão estourado, já mostrado em outros jogos, precisa ser corrigido antes que ele atrapalhe num momento decisivo – como numa Copa do Mundo.

Sorte é que Nilmar o salvou. O ex-atacante do Inter teve uma atuação simplesmente fantástica e participou de todos os gols da Seleção: marcou três e roubou a bola do adversário no tento de Júlio Baptista. Sem sombra de dúvidas foi o destaque do time e acabou com qualquer pretensão chilena de virar o jogo.

Nilmar não fez o que Robinho costuma fazer na Seleção – fechar o lado esquerdo como um meia e participar do jogo como um segundo atacante. Mas mostrou outras características importantes, como não ter medo de nenhuma dividida, acreditar em bolas teoricamente perdidas e marcar a saída de bola adversária. Foi dessa maneira que brilhou no jogo. Certamente agradou, carimbou seu passaporte como pelo menos atacante reserva do time e deu uma dor de cabeça ao técnico – se tem características diferentes do atacante do Manchester City, compensa em outras. Dunga que se vire para encontrar a melhor solução.

E Daniel Alves não teve uma atuação menos destacada. Jogando pela direita, foi uma boa opção de jogo, deu ótimas assistências e ainda permitiu a Maicon se preocupar mais com a defesa. Se tornou uma ótima escolha para a meia direita da equipe. Dessa maneira, Elano (que já vinha perdendo espaço) e Ramires (que pouco atuou nos últimos jogos) podem ganhar mais um sério concorrente naquela posição. Bom para o Brasil.

Dos outros reservas, Júlio Baptista não foi um Kaká, como já se esperava, mas cumpriu seu papel e deixou boa impressão ao marcar uma vez. Já Adriano poderia ter tido uma atuação melhor: perdeu boas chances, não chegou em algumas bolas e às vezes pareceu estar meio paradão, como nos seus últimos jogos com a camisa do Flamengo. Miranda também não foi muito bem, mas não chegou a comprometer.

Novamente André Santos não fez uma boa partida: embora tenha sido pouco acionado no ataque, comprometeu na defesa e levou a pior em vários momentos contra Sanchez. Mais uma vez não convenceu

No final das contas, se a partida disputada na Bahia deixou os torcedores tristes por não terem visto Kaká, Luis Fabiano e Robinho, foi bom para o técnico Dunga avaliar alguns reservas. Assim como para pensar em dar um belo puxão de orelhas em quem quase colocou tudo a perder.

Fotos: www.cbf.com.br

5 comentários:

Daniel Leite disse...

É fato que os níveis de Nilmar e Daniel Alves incomodam os teoricamente titulares. Para mim, não há tanto a discutir: Daniel pode, sim, ser a primeira opção para fechar o lado direito do meio-de-campo (já pensava assim há alguns jogos da Seleção). Nilmar também pode ser escolhido em detrimento de Robinho, mas isso representaria um abandono ao clássico 4-2-3-1 de Dunga, o que não é nenhum absurdo quando imaginamos que nosso "ponta-esquerda" titular (Robinho) simplesmente desaparece em grande parte dos jogos.

E o Felipe Melo na Copa, hein? Precisa de mais equilíbrio. Como informou o Leonardo Bertozzi pelo Twitter, ele perdeu sete rodadas da Serie A 2008/09 por conta de suspensões.

Até mais!

Obs.: convido todos a conhecerem o http://ortodoxoemoderno.blogspot.com, um espaço para falar de qualquer coisa concernente à Premier League inglesa.

Alex Alvarez disse...

O jogo foi bom para fazer testes, mesmo. Pena que Dunga não gosta de mudar o time.

Ficou claro que Nilmar pode render muito mais que Robinho, no momento. Ainda assim, sabemos que Dunga não vai trocar o jogador do Mancheste City pelo do Villarreal.

Novamente ficaram evidentes as carências de André Santos, tanto ofensivas quanto defensivas, mas sabemos que Dunga dificilmente o substituirá.

Teria sido bom testar Diego Souza, mas Dunga colocou em campo Tardelli, que só apareceu nas fotos, comemorando os gols de Nilmar. Não pode ser que Tardelli não tenha participado de uma só jogada relevante em um tramo do jogo em que o Chile estava rendido.

Sobre Felipe Melo, alguém tem que baixar a bola dele. Não foi com arrogância que ele chegou onde está, foi com humildade e trabalho sério. Ele precisa lembrar isso, pelo bem da seleção.

Por enquanto, a seleção brasileira está conseguindo excelentes resultados, e deve ser elogiada. Mas os "detalhes" que vêm sendo citados precisam de correção. Os rivais que o Brasil vai encontrar na Copa são muito melhores que o Chile e a fragilizada Argentina. O bom é que ainda há bastante tempo até lá.

Abraço.

Marcos Antônio Filho disse...

é Nilmar mostrou que pode ser titular, robinho não anda em uma fase muito boa. E É incrívle o quão precisa a seleção está em contragolpes, e até mesmo em ataques. Tenho que bater palmas pro Dunga(Só quero ver ele encarar uma seleção retranqueira, uma Noruega ou Irlanda da vida...)

André Augusto disse...

Nilmar deveria estar no lugar do morto Robinho. E apesar do ótimo futebol, o Brasil é "penso" pra direita e o André fica pouco acionado. E ele nunca foi um primor defendendo, pegando um jogador habilidoso e técnico.

Ah, convido vc pra dar uma espiada nos prognósticos d Champions League. Abs!

Leandrus disse...

Bons comentários, pessoal! Vamos às respostas:

Daniel, gostei muito da atuação de Nilmar, achei que ele teve um desempenho superior ao de Robinho nas últimas partidas deste com a camisa da Seleção, mas sinceramente, não creio que Dunga o barrará (e isso é algo que deveria ter citado no texto). Não só porque teria que alterar o esquema (algo que Nilmar mostrou que é possível fazer tranquilamente), mas também porque Dunga, como já sabemos, tem uma relação muito grande de gratidão com alguns jogadores, e Robinho está incluído nesta lista, por ter correspondido na Copa América e de certa maneira ajudado o técnico a obter sucesso no cargo e se manter por lá enquanto não tinha resultados tão convincentes. Então, acho que Robinho, mesmo numa má fase, continuará sendo titular.

Alex, eu simplesmente concordo com tudo que você falou (até a opção por Diego Souza ao invés de Diego Tardelli) e também lamento o fato de Dunga não gostar de mexer na sua equipe. Quanto aos detalhes, como me parece que o Brasil não cairá no oba-oba que acabou com a Seleçao em 2006, acredito que Dunga trabalhará para acertar os detalhes da equipe, ou pelo menos aprimorar suas virtudes - e assim espero.

Marcos Antônio, eu também estava muito preocupado em relação ao desempenho da equipe contra equipes retrancadas. Porém, o jogo contra os EUA na final da Copa das Confederações me deixou bem mais tranquilo nesse quesito: afinal, o Brasil marcou três gols numa equipe que possuía um bom sistema defensivo e que no momento só pensava em se defender, o que havia feito com maestria na partida anterior, contra a Espanha. Logo, acredito que aquela foi uma bela prova de fogo para o Brasil nos confrontos contra equipes retranqueiras.

André, quanto ao Robinho, é aquilo que falei ao Daniel: acho muito difícil ele ser substituído no momento, embora a opção pareça ser válida.
E também acho que o Brasil prioriza demais o jogo pelo lado direito; no dia em que a equipe encontrar uma boa marcação por aquele lado, pode ter sérios problemas, porque André Santos não dá conta do recado e Robinho também não está ajudando muito (aliás, se Nilmar for escalado, a situação naquele lado piorará, pois o ex-lateral do Corinthians ficará praticamente sozinho por ali). Quanto ao André Santos, eu penso que ele é quem mais destoa de toda a equipe: torço para que Fábio Aurélio recupere logo a forma e seja convocado, pois para mim é o melhor lateral-esquerdo brasileiro no momento.

Ateh!