sábado, 18 de abril de 2009

Xangai, palco da última vitória de Michael Schumacher

Michael Schumacher comemora sua última vitória na F-1, no GP da China de 2006. O feito ainda fez com que assumisse a liderança do campeonato pela primeira vez naquela ano

O circuito de Xangai, na China, não é famoso apenas por ter sido o palco da maior besteira feita pelo inglês Lewis Hamilton em sua curta carreira, mas também por ter sediado a última vitória de um dos maiores pilotos da história da F-1, o alemão Michael Schumacher, em 2006. Aliás, uma grande vitória, que permitiu ao heptacampeão mundial liderar o campeonato pela primeira vez naquele ano, após um começo ruim de temporada, que parecia que seria novamente dominada por Fernando Alonso.

É bem verdade que Schumacher foi beneficiado pelo mal desempenho da Renault nesta corrida. Num GP que começou com pista molhada, que foi secando com o seu decorrer, a equipe francesa acabou com a larga vantagem que Alonso tinha, de mais ou menos 25 segundos para o segundo colocado, após errar na escolha dos pneus no primeiro pit stop do espanhol. Após cair para a 3ª posição, depois de ser superado pelo seu companheiro Giancarlo Fisichella e pelo seu principal rival na temporada, o bicampeão mundial ainda perdeu muito tempo na segunda parada: uma falha na hora de colocar o pneu traseiro direito fez com que o piloto perdesse preciosos 18 segundos nos boxes, que seriam muito lamentados depois.

Um dos grandes momentos da prova: Schumacher consegue a ultrapassagem em cima de Alonso e conquista a 2ª posição

Mas o alemão não teria conseguido a vitória se não tivesse um excelente desempenho na corrida. Após um começo titubeante, marcado pela manutenção da posição na largada (saiu em 6º) e pela demora em ultrapassar Rubens Barrichello e Jenson Button (perdeu 13 voltas atrás dos dois), provou porque é o maior vencedor de títulos da categoria. Pressionou Fisichella durante um bom tempo, enquanto o italiano não conseguia tomar a liderança de Alonso quando este não estava tirando o melhor rendimento do carro após seu primeiro pit, num dos momentos mais tensos da prova, e quando o espanhol finalmente caiu para o 2º posto, deixou-o para trás sem a menor cerimônia, não chegando a ficar nem um minuto atrás dele. Para coroar sua performance na pista chinesa, tornou-se líder da prova após ousada ultrapassagem em cima do atual piloto da Force India a 14 voltas do fim; aproveitou o fato do então piloto da Renault estar saindo lento dos boxes e sem os pneus devidamente aquecidos para tomar a 1ª posição e não mais largá-la.

Aliás, Fisico teve um dia para se esquecer. Além de ter tomado uma bela ultrapassagem de Schumacher, chegou a ser superado por Raikkonen ainda no início da prova (o finlandês, que tinha tudo para se sair bem na corrida, abandonou na 19º volta com problema no motor) e só ameaçou Alonso enquanto ele sofria com seu carro depois do seu primeiro pit. Para completar o dia ruim da Renault, o espanhol, que depois de voar na pista ultrapassou seu companheiro nas últimas voltas para ganhar a 2º posição, terminou apenas 6 segundos atrás do vencedor. Ou seja: não fossem os 18 segundos perdidos na segunda parada, teria se aproximado e ao menos incomodado seu principal adversário na luta pelo título no final do GP.

Porém, embora as estrelas da corrida tenham sido o irmão Schumacher mais velho e os pilotos da Renault, o GP não se resumiu apenas a isso. Houve, por exemplo, boas provas de recuperação de Felipe Massa e Robert Kubica, até então coadjuvantes na categoria. O brasileiro largou em 20º, após ser punido por trocar o motor, e foi se destacando ao ganhar posições com o decorrer da corrida, assim como o polonês, que saiu em 9º mas caiu para 17º ainda no início. Porém, nenhum dos dois pontuou: o piloto da BMW, já quase na zona de pontuação, decidiu colocar pneus de pista seca logo no seu primeiro pit stop; uma decisão precipitada, pois mal conseguiu completar uma volta, pois a pista ainda se encontrava molhada, e teve de fazer um pit extra, estragando sua corrida e terminando-a em 13º. Já o piloto da Ferrari brigava pela 8ª posição com David Coulthard quando errou e se colidiu com o escocês; obrigado a abandonar com problemas na suspensão, parou seu carro num lugar que se tornaria muito famoso no ano seguinte...

Na foto, Barrichello e de la Rosa. No final da corrida, ambos foram protagonistas de outro momento marcante. Atrapalhado pelos retardatários Sato e Albers, Heidfeld foi ultrapassado por Button e ainda foi acertado por Rubens. No final das contas, o inglês da Honda assumiu a 4ª posição, de la Rosa, a 5ª, o brasileiro ficou para 6º e o alemão da BMW caiu para 7º. Já Sato foi desclassificado e Albers, apenas punido com acréscimos de 25 segundos sobre o seu tempo final

A comemoração de Michael Schumacher no final da corrida foi a mais efusiva possível, obviamente. Já os pilotos da Renault não escondiam seu descontentamento no pódio, principalmente Fernando Alonso: o espanhol ainda estava empatado em pontos com o alemão, mas possuía uma vitória a menos do que ele. Porém, a alegria de “Schumi” durou pouco: no GP seguinte, no Japão, seu motor Ferrari lhe traiu quando liderava a prova e o obrigou a abandonar; o ex-piloto da Minardi e da Mclaren chegou em primeiro e ficou numa condição muito confortável no campeonato, com 10 pontos de vantagem para seu rival e com apenas uma etapa a ser disputada.

Fotos: www.motorsport.com

5 comentários:

Loucos por F-1 disse...

Não gosto do Schumacher, mas nesta corrida ele andou muito bem. Ainda bem que no Japão o alemão se deu mal e abriu passagem para o Alonso levar o campeonato.

Abraço!

Leandro Montianele

Renato Piccinin disse...

E por falar em Alonso... Taí um baita piloto, torço sempre por ele. Tomara que aproveite uma boa largada e vença esse GP (ou fique em segunndo, atrás do Rubinho, rs).
PS: to querendo demais né? Mas a vantagem esse ano da F1 é essa, podeemos torcer novamente, pq as coisas estão imprevisíveis. Grande abraço.

speed.king.thrasher disse...

Essa corrida foi muito legal... o Alonso tinha a vitoria na mão, o Fisichella tinha segurado o Raikkonen e talz... se alguém foi culpado desa derrota foi o proprio alonso, sem tirar méritos do Schummy que encheu os olhos nessa prova... pensar que um ano antes o alemão abandonara a prova rodando durante o Safety Car asuhuhuuasuaShaUh...

abs! e que a corrida desse ano seja boa como essa!

Marcos Antônio Filho disse...

Corrida histórica, a ultrapassagem Do Schummy no Fisico foi histórica. Me lembro do Galvão falando que o Barrichello ia dificultar pro Schumacher, não deu duas ele passou. Foi o Button que deu trabalho pro alemão...

Net Esportes disse...

Puxa, pensei que você ia lembrar da vitória do Barrichello em 2004 !!!!! pra dar sorte !!! he he he .... e o Schumacher ainda se despediria com mais uma corrida épica no Brasil, se não fosse alguns resultados ruins tavlez ele levava mais um título nesse ano .....