terça-feira, 14 de abril de 2009

O efeito Guus Hiddink

Os resultados não mentem: a ida de Guus Hiddink ao Chelsea foi benéfica ao clube de Roman Abramovich

Quando Luiz Felipe Scolari foi demitido do Chelsea, disse aqui no blog que no momento não arriscaria demitir o brasileiro, mesmo sabendo dos tropeços recentes do ex-técnico das seleções brasileira e portuguesa no comando dos Blues. Além da possibilidade de fazer sua equipe crescer principalmente na fase de mata-mata, sua especialidade, da UCL, trocar de técnico no meio da temporada poderia ser ainda mais prejudicial para o time, que teria pouco ou nenhum tempo para se adaptar a uma nova filosofia de trabalho, por exemplo. Mas de nada adiantava minha opinião, afinal, Roman Abramovich já estava contratando o conceituado Guus Hiddink para o cargo vago.

Tendo demitido Felipão por divergências com o brasileiro ou tendo chamado Hiddink para assumir o cargo em razão da boa relação que ambos mantém, ou o que mais você pensar, não importa: o russo bilionário acabou acertando na escolha. Os resultados não mentem: o holandês vem praticando mais um dos seus “milagres” e acertou a equipe. Antes em queda livre, sem vencer clássicos contra os grandes e perdendo pontos bobos em casa na Premier League, distanciando-se da liderança e quase perdendo a 3 ª posição para o Aston Villa, a situação do Chelsea mudou drasticamente: no campeonato nacional, conquistou 18 dos 21 pontos possíveis com o também técnico da Rússia no comando, aproximando-se novamente de Manchester United e Liverpool; e foi bem sucedido na Liga dos Campeões, eliminando a Juventus após dois duros confrontos e repetindo o feito contra o time principal da terra dos Beatles, chegando a derrotar os Reds em pleno Anfield Road por 3 a 1.

Na verdade, na formação da equipe, não praticou milagre algum. Pelo contrário: somente fez com que os jogadores readquirissem confiança novamente, algo que tinha ido pelo ralo com Felipão, e atuassem onde melhor rendem em campo, como disse o ex-jogador do Chelsea e da seleção escocesa Pat Nevin. Dessa maneira, entre outras coisas, fez com que Didier Drogba, irreconhecível sob comando do brasileiro, marcasse 8 gols após sua chegada ao clube. A insistência em Deco acabou, Ballack voltou a atuar pelo menos decentemente, e pasmem, até mesmo o francês Flourent Malouda, uma das contratações mais decepcionantes da história recente do clube, vem dando conta do recado.

O futebol da equipe não chega a ser tão vistoso nem contagiante quanto o praticado pelo rival Arsenal, mas pelo menos os gols que garantem as vitórias estão saindo. Tendo em mente o cenário que encontrou pela frente quando chegou ao clube, pode-se dizer que Guus Hiddink está fazendo um belo trabalho a frente do Chelsea. E com a boa fase da equipe, que preza pela regularidade, sonhar não custa nada: a 4 pontos do Manchester United e a 3 do Liverpool, o clube ainda não está totalmente fora da luta pelo título; irá enfrentar Everton, Fulham e Blackburn em casa e West Ham, Arsenal (os dois confrontos são quase que em casa, pois ambas as equipes são de Londres) e Sunderland fora.

Conquistando o maior número de pontos possíveis e contando com tropeços dos concorrentes diretos, o título da Premier League não chega a ser um devaneio. O problema mesmo é esperar por esses deslizes. Além disso, o alto número de jogos no final da temporada pode pesar: disputando três competições ao mesmo tempo (o time também está na semifinal da Copa da Inglaterra), o desgaste pode ser grande e pode afetar o rendimento do time, fazendo com que o Chelsea tenha que focar no campeonato em que tiver mais chances de obter sucesso.

Foto: www.guardian.co.uk

6 comentários:

Net Esportes disse...

Acho que falta mais títulos para ele, a maioria foi com o PSV e o melhor foi se não me engano o mundial com o Real Madrid em 1998 .... mas não se pode negar que ele faz milagres sem dúvida alguma, como quarto lugar de Copa do Mundo com Holanda e Coréia, além do bom trabalho com a Austrália em 2006 .... pode ser o ano do Chelsea.

Vinicius Grissi disse...

Um técnico fenomenal em mais um ótimo trabalho. O Chelsea vai ficar sem títulos nesta temporada, mas de toda forma, aumenta a expectativa já para o ano que vem.

David "Jericho" Pereira disse...

Boas, vim por este meio pedir-vos para que adicionassem o meu blog de futebol aos vossos links sff

http://portal-futebol.blogspot.com/

O nome do blog é Portal Futebol


Depois quando adicionarem comuniquem-no no nosso blog para que nós também vos adicionemos

Saudações!

Thiago Madureira disse...

Hiddink já tirou leite de pedra, assumir o Chelsea, pra ele é fichinha.
A volta de Essien ao meio de campo deu mais dinamismo aos Blues. Ao mesmo tempo, a saída de Deco também foi fundamental, ele não está jogando bem desde o começo da temporada.

Paulo Maeda™ disse...

Hiddink eh rodado e competente, mas eu não acreditava mto q ele daria jeito no Chelsea não. Concordo que ele apenas está contando com o apoio dos jogadores, coisa que Felipao não tinha.

Marcos Antônio Filho disse...

é os jogadores não deviam gostar mto do felipão e gosta do Hiddink. jogadores derrubam técnicos tb.

Mas acho que o Chelsea não passa o barça que está em uma fase excepcional.