domingo, 5 de abril de 2009

O dilúvio intefere na F-1

Jenson Button caiu para 4º logo na largada mas conseguiu se recuperar e, mesmo parando quatro vezes, venceu novamente

Numa corrida movimentada e extremamente tumultuada, sobretudo no momento em que a chuva começou a cair sobre a pista de Sepang, Jenson Button venceu e levou a Brawn GP novamente ao topo do pódio, seguido pelos alemães Nick Heidfeld e Timo Glock. Porém, os oito primeiros conquistaram apenas metade dos pontos, já que a corrida foi interrompida e depois dada como encerrada na 31º volta em razão da forte chuva que desabou sobre o circuito. Tal coisa não acontecia desde 1991, quando o GP da Austrália foi interrompido após 14 voltas pelo mesmo motivo.

A chuva apertou tanto no final da prova que fez com que a corrida fosse interrompida

A chuva não só prejudicou a visibilidade dos pilotos (câmeras onboards nas últimas voltas mostravam que era quase impossível ver o que estava a frente) como também criou uma verdadeira bagunça na pista. Muitos fizeram três e até mesmo quatro paradas, já que a chuva fez com que aqueles que já tinham parado uma vez colocassem pneus intermediários e depois trocassem por aqueles de chuva intensa. Confusão para as equipes, que viveram minutos de muita correria dentro dos boxes, e para os espectadores, que mal conseguiam acompanhar a troca de posições dentro da pista, pois além das naturais ultrapassagens (que não eram poucas), pilotos trocavam seus pneus frequentemente e embolavam ainda mais a classificação a todo instante.

A Williams novamente decepcionou: Nico Rosberg chegou a liderar até a primeira parada, quando novamente se embolou com os pits stops e terminou apenas em 8º. Já Nakajima mais uma vez foi mal e chegou num distante 12º lugar

Essas constantes idas aos boxes foram essenciais para que a corrida de alguns fosse prejudicada. Nico Rosberg, por exemplo, chegou em 8º, mas até o primeiro pit stop era o líder; Felipe Massa estava na zona de pontuação até ter de fazer sua terceira parada justo voltas antes da corrida ser interrompida, terminando a prova em 9º. Mas foi benéfica para outros: Timo Glock acertou na escolha dos pneus e, após má largada, conseguiu um lugar no pódio após voar na pista com compostos intermediários (a melhor decisão de todos até o chuva desabar); Nick Heidfeld, após corrida discretíssima, fez apenas uma parada e também foi à cerimônia de premiação. Me lembrou Johnny Herbert no GP da Europa de 93, quando chegou em 4º depois de largar em 11º ao também fazer apenas uma parada.

Quem aparece bem nos treinos é Robert Kubica, mas foi o discreto Nick Heidfeld quem trouxe o primeiro pódio, assim como os primeiros pontos, para a BMW nessa temporada; o polonês abandonou logo na 2ª volta

Falando em estratégia, não há como não deixar de citar o que a Ferrari fez com Kimi Raikkonen no seu primeiro pit stop. Ao optar por mandar o finlandês de volta a pista já com pneus para chuva, a equipe italiana correu sérios riscos de estragar a corrida do campeão de 2007 e assim conseguiu, já que as primeiras gotas demoraram a cair; quando chegaram, seus pneus já estavam destruídos, assim como sua prova. Se desse certo, iria bater palmas mas iria dizer que o fator sorte havia ajudado; como não deu, pode-se dizer que foi uma atitude precipitada. Fim de semana horroroso para a escuderia do cavalinho, que já havia errado com Massa ontem e sai da Malásia sem ter conquistado NEM UM PONTINHO.

É bom lembrar que, antes da chuva castigar o circuito, a prova já estava interessante. A largada, por exemplo, já reservou muitas surpresas, com mudanças drásticas de posição. Por exemplo, Nico Rosberg pulou de 4º para 1º, Fernando Alonso, de 9º para 3º e Rubens Barrichello, de 8º para 5º; ao mesmo tempo, Glock caiu de 3º para 8º e Button, de pole foi para 4º. Alonso liderou um trenzinho, sendo seguido durante muito tempo por Barrichello, Raikkonen, Webber e Glock (que volta e meia tentava ganhar a posição do australiano). Depois de algumas voltas foi ultrapassado por todos, mas mostrou porque é um dos melhores, se não o melhor piloto da F-1 atualmente, segurando o máximo que pode todos os outros com carros bem melhores do que sua fraca Renault (tanto que não conseguiu se recuperar e, após um passeio fora da pista, chegou em 11º).

Hamilton fez o que pode e conseguiu levar dois pontinhos para a Mclaren. Já Kovalainen errou sozinho e saiu logo na primeira volta; o finlandês ainda não completou uma sequer nessa temporada

Fraca como a Renault está a Mclaren, que pelo menos pontuou com Lewis Hamilton, que após nova corrida correta (mas desta vez mais discreta) chegou em 7º. O fato de Vettel ter ultrapassado o inglês com facilidade logo no começo da corrida prova como o carro construído pela equipe de Woking está bem abaixo das expectativas.

Já Brawn GP, Toyota e RBR provaram mais uma vez que estão com um bom carro à disposição. A equipe de Ross Brawn novamente pontuou bem com seus dois carros, e Rubinho poderia ter tido maior sorte com seus pit stops (por exemplo, perdeu uma posição após a última parada e chegou em 5º). A equipe dos japoneses novamente colocou seus pilotos em 3º e 4º, desta vez com o discreto Trulli atrás de Glock; e a RBR teve bons momentos com Webber, que chegou em 6º, e com Vettel, que chegou a esboçar uma corrida de recuperação em alguns momentos. Isso mostra como a F-1 está mesmo doida atualmente; as duas primeiras corridas do campeonato foram muito boas e movimentadas e as equipes outroras médias estão dominando o grid, enquanto as grandes estão penando para pontuar.

Foto: www.gpupdate.net

15 comentários:

F-1 A.L.C. disse...

olha como as equipes que investiram mais em pilotos campeões não estão conseguindo segurar a barra.

isso é por causa do perfil de habilidades dos campeões anteriores que nõ se adapta às regras atuais, ou por que eram equipes que mantinham qualidade a custa de muito dinheiro?

a equipe do dia é , pra mim, a Toyota. muito boa.

uma otra coisa fantástica que você comentou foram os sobrepasos na largada, muito legal.

é como aprender a asistir F1 de novo.

Marcos Antônio Filho disse...

Que corrida crazy! Não dá pra culpar Rosberg e Williams dessa vez pois a parada do Rosberg estava programada e depos da chuva o que aconteceu foi uma grande loteria. e uma grande ideia de jerico do Ecclestone. Será que ele achou que essa cuva daria mais emoção à corrida?

Marcelonso disse...

A chuva acabou minando uma prova que poderia ter sido eletrizante até o final,mas o pior de tudo é que todos sabiam do risco quando marcaram a prova para este horário.

Todos são culpados,Bernie,organizadores,equipes,todos eles.

abraço

Grid GP disse...

Ferrari, duas corridas sem pontuar? Quem diria, hein. Daqui a pouco, vai ficar difícil "buscar" o Button na tabela.

A pontuação pela metade pode ter até beneficiado muita gente, como o Barrichello (que precisa melhorar), por exemplo.

Abraços.

Fábio

speed.king.thrasher disse...

q corrida hein cara!

Button dominou com Brawn, mas... será que o domínio será tão matador assim nas próximas provas? nesa F1 agente ñ sabe mais nd...

abs!

P.S. Opa! se morasse aqui em sampa rolava... mas dai Rio é embaçado hahahahha... mas então, vo t add no MSN... é esse email ai do lado?
falou!

Thiago Madureira disse...

A corrida, pelo que você descreveu, foi sensacional.
Pena que eu não vi.
Mas isso de metade dos pontos não dá pra entender...

ABRAÇOS

Marcel Jabbour disse...

O mais sensacional é que o Rubinho segue entre os três primeiros! Meu Deus, até quando isso dura? hahahaha

Abração, Leandro!

diletra.blogspot.com

Net Esportes disse...

Dando aquele sequencia da saga de "posts zica" que vc faz !!!!! he he he ... brincadeira.... mas é incrível né, o único detalhe é que não foi na Austrália ... foi uma semana depois na nossa querida Malásia...... eu até gosto do Bernie Ecclestone, mas que cagada ele fez desta vez !!!!!

Leandrus disse...

Breves comentários:

Luis, não creio que a razão do desempenho ruim das grandes equipes seja os grandes pilotos que ainda não se adaptaram as regras atuais, acho até que Hamilton e Massa estão indo muito bem até agora, por exemplo. Acredito que o carro de equipes grandes nasceu ruim mesmo, só não sei porque. De qualquer maneira, isso aí dá pano pra muita discussão.

Fábio, também achei que foi um ótimo negócio para os outros essa pontuação pela metade. Button poderia ter aberto uma boa diferença já no começo do campeonato e pilotos como Massa, Hamilton, Alonso e Kubica teriam ainda mais dificuldade em buscar o inglês na classificação.

Thiago, os pontos foram dados pela metade porque a corrida não completou 75% da sua duração total prevista, condição para que a pontuação completa seja dada.

Netesportes, tô zicando geral! hauahuahau!
Será que se o meu post do GP do China for lembrando a besteira que Hamilton fez lá em 2007 ele vai se dar mal de novo? E se eu falar das vitórias seguidas do Massa no Bahrein, ele me perdoa? rs

Ateh!

Vinicius Grissi disse...

Tinha tudo pra ser uma ótima corrida. Pena que não terminou.

No tempo que houve corrida mesmo, muitos erros de avaliação, de Rubinho e da Ferrari. Acho que as grandes escuderias ainda vão precisar de pelo menos duas corridas para se acertar.

GiglioF1 disse...

Leandro,

As equipes grandes concentraram muitos esforcos para melhorar o projeto 2008 , ao passo que os menores, ja fora da disputa se concentraram no 2009 que seria muito diferente...


Bela cobertura e sequencia como sempre!!!!
Abraco!!

Wilson Hebert disse...

Esse campeonato parece que será bem diferente dos anteriores.

Já temos uma equipe nova causando um rebuliço tremendo e agora um GP que nao teve todas as voltas e pilotos com pntuação quebrada...

To cada vez mais esperançoso por muitas emoções esse ano.

Abs, Leandrus!

Loucos por F-1 disse...

Foi uma grande corrida, muito movimentada e cheia de trocas de posições até a chuva cair. Depois foi só confusão, troca de pneus para cá e para lá. Pior foi a da Ferrari, meteu pneu de chuva no carro do Kimi antes de chover...hahahahhahaha.

Xará, desculpe por ter sumido, mas ando atolado com o novo trabalho.

Abraço!

Leandro Montianele

Henry disse...

Leandrus,
Concordo com você que Hamilton e Massa estão indo bem.

E, para mim, não é que os carros nasceram ruins. É o KERS. Um sistema novo, com pouquíssimos testes antes da temporada, que pesa uns 40 Kg a mais e que influiu na distribuição de peso, centro de gravidade, enfim, todo o projeto.

Com os testes proibidos, McLaren, Ferrari e Renault são obrigados a evoluir o modelo durante as provas. Se você imaginar que a BrawnGP começou a fazer o novo carro no começo de 2008 e a Renault só testou o KERS em 2009, dá pra perceber a defasagem. Agora é luta política de FOTA x FIA+FOM para ver como resolverão a defasagem.

1abraço
Henry

Evy disse...

É e a Brawn GP continua soberana!!!
E o Button implacável!!
Let's go Button!!!
E me dá uma carona...*-*

=*