segunda-feira, 2 de março de 2009

Sem dar sopa ao azar

Sem fazer barulho, Ney Franco levou uma equipe desacreditada à conquista da Taça Guanabara, tornando-se um dos maiores responsáveis por essa conquista

O Botafogo não quis saber de vacilar diante de um adversário de menor tradição e conquistou o primeiro turno do Campeonato Carioca, mais precisamente a Taça Guanabara, ao derrotar o Resende por 3 a 0. Com isso, já está garantido na final do Carioca e poderá se concentrar por um tempo na Copa do Brasil e no acerto do time.

Os comandados de Ney Franco fizeram o Resende se lembrar que, mesmo chegando à final, é um time limitado e que inclusive chegou às semifinais graças à punição sofrida pelo Vasco. O time dirigido pelo bom técnico Antônio Carlos Roy, provavelmente nervoso, não soube explorar os espaços dados pelo adversário enquanto o placar não havia sido aberto e ainda cedeu dois gols após verdadeiras lambanças de seus jogadores.

Aos 34 minutos da etapa inicial, Reinaldo aproveitou um erro do zagueiro Breno, que, ao tentar tirar a bola de sua área, jogou nas costas de um companheiro, e pegou a sobra para marcar o primeiro gol da partida. Já o terceiro, já aos 41 do segundo tempo, saiu após o goleiro Cléber e o meia Beto, numa cena digna de filme pastelão, se trombarem na área, deixando a bola sobrar livre para Maicosuel apenas tocar para o fundo do gol. É bom lembrar que o segundo gol do alvinegro carioca saiu numa falha do mesmo Beto, já que o apagado Lucas Silva, após belo passe de Juninho, passou por detrás do jogador do Resende, driblou o goleiro e tocou para o gol vazio.

Mas o objetivo, ao citar as falhas cruciais do Resende, não é desmerecer a conquista do Botafogo, até porque o time dominou a partida,. Depois dos primeiros minutos, após levar alguns sustos com os avanços de Bruno Meneghel nas costas de Thiaguinho, resultando em cruzamentos para a área mal aproveitados pelos seus companheiros, a equipe vitoriosa assustou bastante, principalmente com jogadas pelas laterais ou com as chegadas de Maicosuel ou Leandro Guerreiro. O primeiro gol deu calma ao time e o segundo desanimou o adversário, que veio para cima no começo do segundo tempo, fazendo com que Ney Franco fizesse duas substituições logo no início da etapa derradeira para frear o ímpeto inicial da zebra carioca. Para sorte do técnico, Lucas Silva, um dos escolhidos para sair mais cedo, marcou no seu último lance em campo.

Com o gol de Lucas Silva, Roy fez duas substituições ousadas e colocou os atacantes Hiroshi e Viola (sim, o veterano mesmo). Tudo bem que sua equipe precisava buscar o empate, mas a troca acabou por desarrumar o Resende, que ficou com três atacantes em campo e, sem qualidade, ou fazia uma inútil ligação direta ao ataque ou simplesmente não conseguia sair de seu campo (uma boa lição aos comentaristas que acreditam que simplesmente colocando mais atacantes em campo um time será mais ofensivo). A bola mal chegava nos atacantes ou era roubada facilmente e o Botafogo teve inúmeras chances de marcar; o Maracanã só não presenciou uma goleada pela displicência mostrada em várias jogadas, principalmente por Maicosuel, que virou um verdadeiro fominha após sua equipe abrir 2 a 0 no placar, querendo driblar meio time do Resende. Mas vinha jogando bem, marcou o último gol e escapou de receber um caminhão de críticas.

A vitória do Botafogo premiou a equipe que, se não brilhou, foi a que teve o melhor desempenho entre os grandes do estado: desacreditada e ciente de suas limitações, foi determinada e esteve bem arrumada em campo; méritos a Ney Franco por isso. Ainda não é um dos grandes do país, mas com reforços principalmente no setor ofensivo, que ainda carece de habilidade e criatividade (e como perde gols!), pode surpreender esse ano. E já dá esperanças à diretoria do clube, que pode ver sua política de pés no chão dar certo nesse ano.

Edit - 10:15 - OBS: Já vi muitos rubro-negros dizendo que não acreditavam como o Resende pode ter ganho o Flamengo e ter sido derrotado tão facilmente pelo Botafogo. Simples: o Fla jogou muito mal na semifinal, foi lento e pouco criativo no ataque e deu muitos espaços na defesa; prova disso foi que Bruno Meneghel perdeu dois gols feitos quando o jogo ainda estava 0 a 0 e no segundo gol Hiroshi carregou a bola desde o meio campo sem ser incomodado. Bem diferente do Botafogo, que dominou a partida e procurou não dar espaços ao adversário.

Foto: globoesporte.com

10 comentários:

Paulo Maeda™ disse...

Realmente, o Franco deu um "up" no Botafogo neste ano. Gostei da atuação da equipe, apesar de apenas ver os melhores momentos.
E este Bruno Meneghel, eh bom mesmo?

Net Esportes disse...

Na hora de uma decisão a força de um time grande prevalece mesmo, mas o Rezende provou que os times de menor expressão podem chegar e ter alguma esperança, no Paulista tem sido assim nos últimos anos, exceto agora onde os quatro grandes podem decidir..... depois de 9 anos.

Wilson Hebert disse...

Parabens ao Botafogo pela conquista com justiça. E parabens a diretoria por acreditar no trabalho com os pés no chão.

Só acho dificil o Bota ser campeão da Tça Rio. Dificilmente um time ganha os dois turnos cariocas...

Abs!

Vinicius Grissi disse...

O Botafogo fez o que dele se esperava. Dominou a partida e mostrou sua maior qualidade. Título justo para o melhor time do Rio no momento.

Leandro Montianele disse...

O Botafogo mereceu com sobras o título da Taça Guanabara, incontestável. O Resende (time da minha cidade querida) é muito limitado, eu mesmo não acreditava muito que venceriam o time de Ney Franco.

Abraços!

Aldevan Junior disse...

Fala Leandrus!

Título mais do que merecido do Fogão... e se não rumarem junto com eles, o time de Ney Franco também leva a Taça Rio... brincando.

O Resende esteve esperando por um adversário com a defesa desarrumada e que o árbitro marcasse um pênalti inexistente e que expulsasse dois adversários sem maiores justificativas. Encontrou um Botafogo determinado. Final da história: placar normal de time grande contra time pequeno.

Caneta de Chuteira de volta!

Um abraço!

Blog F1 Trulli disse...

O botafogo nem deu chance, muito merecida a conquista (o Franco com a bola toda rsr)

mals a demora

Abração
http://f1trulli.blogspot.com

Marcos Antônio Filho disse...

O Ney franco armou mto bem o Botafogo e vai dar trabalho. E sobre o Flamengo ter perdido pro Resende, você falou tudo.Um time lento que dá espaços, toma gol até do XV de Piracicaba. Que o Cuca queime sua Cuca pra armar esse time decentemente

Renato Piccinin disse...

Botafogo tá com o time certinho. Mereceu. Abs.

Leandrus disse...

Breves comentários:

Paulo, para mim Bruno Meneghel não passa de um atacante veloz e esforçado que, embora seja artilheiro do Carioca, peca muito na finalização. Prova disso foram os dois gols perdidos na semifinal contra o Fla quando o jogo estava 0 a 0, que já citei no texto. Nada que mereça tanto destaque, na minha opinião.

Wilson, concordo com vc e até mesmo a imprensa carioca. Com a politica de pés no chão e principalmente tendo os salários em dia, a diretoria botafoguense não se vê sufocada financeiramente e pode cobrar o máximo de seus jogadores, que até o momento vêm correspondendo.
Também acho difícil ganhar a Taça Rio, mas mais porque há um relaxamento natural, já que a vaga na final já está garantida.

Aldevan, como disse ao Wilson, acredito que o Botafogo não conquista a Taça Rio porque deverá haver um relaxamenteo de todo o grupo. Mas podem surpreender né...
Quanto a sua observação do Resende, concordo que o penalti contra o Fla naquele jogo é passível de críticas; confesso que mudo de opinião a todo instante que o vejo novamente. Agora, da expulsão de Fábio Luciano, infelizmente não se pode reclamar: o próprio capitão, resignado, admitiu que falou besteira para o árbitro.

Ateh!