sexta-feira, 6 de março de 2009

Hora de trabalhar, Rubens


E o recorde de maior número de participações em GPs na F-1 será ainda mais difícil de ser batido por outro piloto. Rubens Barrichello, detentor da marca por ter corrido em 267 grandes prêmios até o momento, ganhou a disputa com Bruno Senna e será o piloto da ex-Honda, a Brawn GP, ao lado do inglês Jenson Button.

Acreditava que a escolha de qualquer um dos dois seria boa. Não seria nenhum pecado se o escolhido fosse o sobrinho de Ayrton Senna: Rubinho já fez muito na categoria após entrar nela em 1993; na F-1, a fila também anda e poderia ser perfeitamente substituído por alguém mais novo. Por mais que seja um bom piloto, não é um mito que deve ficar eternamente na maior categoria do automobilismo. Porém, o momento difícil pede alguém experiente para controlar um dos carros da equipe de Ross Brawn, e Rubinho é mesmo uma ótima escolha dentro das opções possíveis atualmente; atuações como as que teve no Canadá e na Inglaterra no ano passado provaram que ainda pode se destacar nas corridas e ajudar no desenvolvimento da equipe.

Infelizmente, Barrichello tem um grande histórico de frases precipitadas. E talvez tenha dito outra, ao falar que “o carro será rápido e terá um baita motorzão Mercedes por trás”. Ao ler isso, acredito que o duas vezes vice-campeão de F-1 está animado demais por ter conseguido a vaga que tanto queria. Afinal, está entrando numa equipe que testou bem menos que as outras, o que pode ter afetado o desenvolvimento do carro, embora Ross Brawn tenha dito que não pararam de trabalhar nele durante o período de incertezas. Mesmo que a pré-temporada não esteja dando muitas dicas de como cada equipe se comportará em 2009, a tendência é que, a princípio, a Brawn GP brigue mesmo pelas últimas posições do grid, por todos os problemas que passou até agora.

Depois de até ter exagerado ao quase implorar por uma vaga na categoria (embora após um certo tempo tenha se calado e esperado a definição do caso), seria uma situação bem chata vê-lo reclamando horrores do carro caso ele não renda bem durante a temporada. Então, muita sorte ao brasileiro para essa temporada e que ele já tenha em mente que talvez esse seja mais um ano muito duro e que demandará muita dedicação e luta, porque pelo menos a situação inicial de sua equipe não é das melhores.

Foto: globoesporte.com

6 comentários:

Alex Alvarez disse...

Cara, eu torci muito pelo Rubinho, mas chegou um momento em que não aguentei mais ver ele. Apesar de nunca ter ganhado nada na vida, ele pensa que é um dos melhores pilotos da história da Fórmula 1, pelo jeito que fala.

Quando esteve na Ferrari demorou demais para vencer uma corrida, mesmo que naquela época tivesse o melhor carro do planeta, que era MUITO superior aos rivais. Ele não é o extraordinário piloto que pensa. Prova disso é que com um carro regular, sempre termina longe da zona de pontuação. E assim vai continuar.

Sobre o récorde dele, pra mim é uma idiotice. O que ele tem é o menor percentual na relação entre coisas ganhas e a quantidade de corridas que disputou. E esse percentual fica menor a cada nova corrida, pois vitória que é bom, nada, nem ao menos um pódio. Ele, que chegou a dizer que seria melhor que Ayrton Senna...

Sinceramente, não gosto de avacalhar o Rubens, mas a cada dia que passa ele fica mais insuportável. Não pode ser que a esta altura da vida ele desconheça a palavra "humildade".

Net Esportes disse...

Gosto muito do Rubinho, sempre torci por ele, acho ele muito melhor como pessoa do que o Massa por exemplo, mas acreditava realmente que o Bruno Senna conseguiria a vaga, porém, analisando calmamente, e apostando que a Brawn GP será um fiasco, acho que o Bruno deu sorte em não ir pra lá..... pelo menos vai ser legal ver o recorde do Rubinho aumentar ainda mais ... !!!

Marcos Antônio Filho disse...

Ele fala aisso,ai o motor ou carro começa a quebrar ele vai começar a espinafrar o carro ou a equipe. Espero que pelo menos ele se despeça da F1 nessa temporada...

Thiago Madureira disse...

Espero que Rubinho consiga, pelo menos, um pódio no seu ano de despedida (pelo que tudo indica, 2009).
Ele se tornou, ano passado, o piloto com maior número de grandes prêmios disputados. Não sou, como parte da imprensa, daqueles que fica zombando da sua carreira. Mas reconheço que não passa de um piloto mediano.
Abraços...

Leandrus disse...

Breves comentários:

Alex, calma aê, calma aê, hehehe. Realmente, Rubens falou muita besteira ao longo de sua carreira e até hoje paga por isso, vide o dia em que disse que iria substituir Ayrton Senna. Infelizmente ele não percebe esse defeito e vez ou outra solta uma besteira quando deveria ficar quieto.

Agora, permita-me discordar, mas acho muito forte quando se diz que nunca ganhou nada na vida. Só na F-1 foram 9 vitórias, muitos pódios e 2 vices campeonatos (2002 e 2004), embora nessas ocasiões tivesse mesmo o melhor carro do grid (ao contrário de 2000, quando venceu sua primeira corrida, ainda se adaptava ao carro e brigava com as Mclarens). A não ser que se considere um bem sucedido na categoria alguém que tenha ganho um campeonato (como minha mãe acha, por exemplo), Rubens teve certo sucesso na categoria sim. Até porque senão 80% dos que passaram na categoria também seriam mal sucedidos, já que o hall dos campeões é bem seleto.

Netesportes, fiasco eu acho que não vai ser. Fiasco pra mim foi 2007, quando a Honda caiu absurdamente em relação ao ano anterior. Em 2009, as expectaivas são bem cautelosas, então a Brawn GP só será um fiasco se for extremamente lenta, quase uma Andrea Moda da vida, rs

Marcos, talvez antes ele vá para a Williams, rs

Ateh!

Paulo Maeda™ disse...

gostei Leandro. Nao se pode atacar o Barrichello assim, ele é um piloto mediano? É sim, mas ele teve alguns bons resultados e 2 vices campeonatos. Foram como sombra do Schummy? Foi sim. Venceu poucas corridas msm tendo um carro superior? Sim, venceu poucas. Mas isso não tira o mérito de ser um bom piloto. Tomara que ele caia na real e faça a despedida no fim do ano.