quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Ser técnico é mesmo difícil...

Caio Jr. está sendo cada vez mais criticado no Flamengo. Os jornais mostram quantas vezes o treinador já mudou o time; torcedores reprovam suas substituições no Maracanã e volta e meia o técnico é vaiado; seções de opinião do torcedor nos mesmos jornais e comentários em sites de relacionamento denunciam o descontentamento dos torcedores com as escolhas do comandante do Fla. Está se tornando comum classificá-lo como perdido no comando do time. Mas sinceramente, será que ele está perdido mesmo? Será que é fácil escalar o Flamengo no momento? Qual a equipe ideal que sempre deve entrar em campo?

É aí que mora o problema. É muito difícil escalar o Flamengo no momento, até porque não há aquele jogador que se possa dizer que é superior aos outros da mesma posição no momento, exceto Marcelinho Paraíba e toda a defesa rubro-negra. É por isso que Bruno, Léo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan são titulares incontestáveis.

Mas e do meio para a frente? Aí a situação é complicada, e é por isso que Caio Jr. agrada alguns enquanto desagrada outros. Tomo como exemplo Ibson, que está em má fase: enquanto uns vaiam o jogador, outros defendem sua permanência na equipe, por saberem que é um jogador de qualidade, mesmo jogando mal no momento. É por isso que surgem vaias e aplausos quando é substituído. O mesmo acontece com Kléberson, que teve poucas boas atuações pelo Fla e ainda não disse a que veio, mas ainda é defendido por alguns “por ser um ótimo jogador, decisivo na Copa de 2002 e que já jogou até no exterior”. Ainda há Jônatas, que, lento e muitas vezes desinteressado, fez várias partidas ruins nesse ano. Mas alguns ainda acreditam no potencial do volante e exorcizam o técnico por não colocá-lo nem no banco.

E quanto à Éverton, Sambueza e Fierro, os apoiadores do time? Sim, um veio como promessa, outro deixava Conca na reserva no River, e o outro, pasmem, é da seleção chilena! Mas, para alguns (ou muitos), Éverton só jogou realmente bem uma boa partida, na sua estréia contra o Flu, enquanto o outro lento e o último não provou que pode ser titular.

No ataque então, mais problemas: Obina, para muitos, é um jogador horroroso; para outros, é xodó e só por isso tem vaga cativa no time (não é mentira, é só ouvir os inúmeros gritos de “Obina” durante o 2º tempo dos jogos em que começa na reserva). Vandinho e Josiel, até agora, pouco mostraram e não conquistaram a confiança da torcida. Isso para não falar que outros não gostam de ver Marcelinho Paraíba como atacante (sendo que jogou assim na Alemanha).

Pois é. Dá para perceber que, pelo menos quanto às peças, não é só Caio Jr. que está perdido. Todos estão. Cada um tem suas preferência, e se torna praticamente impossível agradar a todos, pois sempre haverá um jogador contestado no time, ao contrário de 2007, quando elenco não era tão numeroso e o time já estava definido. E como disse, as peças estão num momento tão parecido que fica difícil destacar alguém.

Mas aí muitos reclamam: e as invenções de Caio Jr.? Bem, realmente o treinador do Fla gosta de inventar. Contra o Atlético-MG, por exemplo, inventou ao colocar Sambueza na ala esquerda quando o melhor era colocar o sempre improvisado mas eficiente Luizinho. Piorou tudo colocando Erick Flores, que um dia antes do jogo nem estava relacionado; quase queimou o garoto. O resultado final foi o desastre que todos conheceram.

Mas será que ele sempre faz besteira? Lembro-me de um jogo que ele colocou Fábio Luciano como centroavante, contra o Cruzeiro, quando estava perdendo o jogo e com um a menos, pois Tardelli havia se machucado e as 3 substituições haviam sido feitas. Não deu certo, e o treinador recebeu muitas críticas, pois como podia um zagueiro jogar de centroavante? Mas a intenção era clara: com Vandinho muito marcado e Obina já substituído, o técnico queria que alguém fizesse o papel de pivô (como Souza fazia, por exemplo). Óbvio que o capitão era o mais indicado, justamente pelo seu físico e sua altura.

Para terminar, já estão criticando Caio Jr. por treinar o meia Fernando na ala esquerda para o jogo de amanhã, contra o Coritiba. O que vai fazer? Éverton, Luizinho e Eltinho estão machucados. Se Angelim for para a lateral, terá que jogar com Thiago Salles ou Dininho na zaga, em quem o treinador já mostrou que não confia (e realmente tiveram más atuações com Caio Jr. no comando; por isso Airton deverá substituir Fábio Luciano amanhã). Pegar um lateral dos juniores? Para quê? Para queimarem o garoto como estão fazendo com o esforçadíssimo mas ainda imaturo Erick Flores? Por quê não testar um que já jogou nas divisões de base naquela posição?

São muitos prós e contras a serem avaliados. Tentando achar o difícil time ideal, Caio Jr. paga o pato. Claro que o treinador também erra (e o jogo contra o Galo foi uma sucessão de erros), mas a ponto de ser duramente criticado, não concordo. Com tantas críticas e indecisões, qualquer escalação seria contestada.

Foto: www.flamengo.com.br

OBS: Obviamente aceito críticas à minha opinião (se tiverem saco de ler este longo texto, rs). O objetivo do post é mesmo trocar informações.

10 comentários:

Carlão Azul disse...

Pra isso é que eles ganham salários astronômicos. Tem de trabalhar muito e suportar todos os tipos de críticas.

AbraçUs LeandrUs.

Carlaus

Marcel Jabbour disse...

Ser técnico é muito difícil mesmo. Em especial no Brasil, o prazo de validade é ainda mais curto do que no resto do mundo. Acho que o Caio Jr deve estar quase vencendo. Não concordo, mas é essa a mentalidade.

Abraços!

diletra.blogspot.com

Vinicius Grissi disse...

É complicado. Basta ver o Adílson no Cruzeiro. Vice-líder do Campeonato, ótimos resultados, elogiado por todos, odiado pela torcida.

O Caio Jr vem fazendo um ótimo trabalho. Aos poucos está reconstruindo um time que ficou perdido lá atrás.

Paulo Maeda™ disse...

Nessas horas ele deve estar pensando "pq eu não aceitei aquela oferta das Arábias".... Tb acho ele um bom técnico, apenas não é carismático ou influenciador, como eh um Luxemburgo da vida.

Leandrus: eu tenho passado pouco por aqui pq geralmente só tô passando nos blogs de autos, por pura falta de tempo msm, blz?

Net Esportes disse...

Deve ser um horror ser técnico, o Muricy chegava na final de Libertadores, ganhou dois Brasileiro e tal e quando perdia um joguinho qualquer, vinha trocentos mil idiotas na comunidade do orkut xingar, falar mal, chamar de burro e etc..... a opinião do torcedor muitas vezes é pessoal e absurda, no jogo seguinte ganhava e não aparecia nem a sombra dos críticos idiotas babacas..... depois abandonei a comunidade porque era osso.

o Flamengo vem em quinto, na lista de todos que fazem lista de quem tem chances de título, claro que o objetivo de todos é ser primeiro e ser campeão, mas antes de falar mal tinha que olhar quem ta la embaixo, zona do rebaixamento.... aí sim tem inúemros motivos para criticas.

Aldevan Junior disse...

Ótima visão, Leandrus.

Primeiro de tudo, quando o Joel saiu, a situação era horrível. Caio Junior assumiu o time com a torcida colocando a seguinte faixa nas arquibancadas: "BRASILEIRO AGORA É OBRIGAÇÃO".

Se fosse um técnico frouxo, o Flamengo, mais uma vez, estaria brigando para não cair. E talvez nem estaria mais no comando da equipe.

Mas pelo contrário, Caio Junior levou o Flamengo a liderança por sete rodadas e foi muito prejudicado, pois a janela de transferências prejudicou o seu trabalho.

Jogadores saíram e os que vieram para recompor demoraram muito para chegar.

Hoje, por esta última situação, o Flamengo poderia estar ainda naqueda vetiginosa que vinha tenho, que começou na derrota contra o Coritiba lá no Couto Pereira por 1 a 0.

Entretanto, o time é o 5º colocado, com chances reais de levar o título.

Portanto, críticas a Caio junior devem ser muito pensadas antes de serem feitas.

Abraço!

Marcos Antônio Filho disse...

Se existe tanta incerteza do meio pra frente é por causa da grande leque de opções que Caio Jr. tem,embora ninguém tenha se firmado ainda,de pegar a cmaisa de titular e não larga-la mais.Mas é isso aí aos trancos e barrancos vamos vencendo e vamos chegar ao Título!(eu espero...)

Leandrus disse...

Amanhã (sexta-feira) respondo os comentários, eu juro...

Breiller disse...

Contribuindo para a troca de informações, reproduzo o comentário aqui também:

Te dou os parabéns por olhar o lado do treinador. Torcedores, imprensa e críticos de plantão só olham como observadores, de fora, aí é muito fácil. Mas lá dentro, no dia-a-dia do clube, a coisa é bem diferente. Quem já jogou bola sabe disso...

O Caio é um grande treinador e faz um belo trabalho. Semana que vem vou fazer um post no Rola Blog sobre essa relação entre imprensa e treinadores. Aqui em BH, por exemplo, acho uma injustiça tremenda as críticas desmedidas ao Adilson Baptista, que faz grande campanha no Brasileirão.

Abraço!

Leandrus disse...

Breves comentários:

Carlão, técnicos ganham muito mesmo. Na minha opinião, os salários que Luxemburgo recebe são exageradíssimos. Mas não acho que isso justifica algumas das críticas que recebe.

Marcel, o prazo é curto mesmo. Mas acho que isso não é privilégio só do Brasil não. Isso vem ocorrendo cada vez mais lá no exterior, exceto na maioria dos grandes clubes. O que outrora elogiávamos agora está quase nos copiando.

Vinicius, é verdade. Venho acompanhando a perseguição sofrida por Adilson e as vezes acho algo ainda mais injusto do que vem acontecendo com Caio Jr.

Paulo, no momento do aborrecimento ele deve ter pensado nisso mesmo. Mas não acho que fez o errado. Foi como René Simões o aconselhou: era a chance dele se destacar, ou melhor, se consagrar num clube do Brasil.
Ah, e sem problemas pela falta de tempo, Paulo! Apareça quando puder!

Netesportes, chega a ser irritante alguns comentários que aparecem no orkut. Falar que o técnico é um merda por causa de um resultado negativo é a coisa mais fácil do mundo, difícil é mostrar o que acontece e porque ele é merecedor de tantas críticas. Essas pessoas geralmente ignoram essa parte difícil.

Aldevan, aquela derrota para o América não poderia ser pior. Eu lembro que na época disse aqui mesmo que Caio Jr chegou na pior época possível, pois iria enfrentar uma torcida revoltada e um elenco praticamente em estado de choque. E foi muito bem no começo do campeonato. Depois, a janela atrapalhou bastante mesmo. Se os reforços chegassem antes, a situação poderia até ser outra.
E mais uma coisa: temos que bater palmas a ele pela insistência que teve em escalar Jaílton. Eu mesmo era um crítico ferrenho do volante, mas o jogador vem tendo uma participação importantíssima para o time e a torcida agora até apoia o jogador. E Caio Jr nunca deixou de apostar nele, nem quando foi duramente vaiado no jogo contra o Internacional no primeiro turno.

Marcos Antônio, é isso mesmo. Há muitas opções no elenco, e quase todos estão no mesmo nível. Escalar o time é uma tarefa ingrata.

Breiller, valeu pela força! Quanto ao Adilson, eu também acho uma grande injustiça a perseguição que ele sofre. E é o que disse acima: criticar é realmente bem fácil. Quero ver é mostrar o que está errado e o que seria certo. Aí já é outra história.

Ateh!