quinta-feira, 4 de junho de 2009

Saindo de cabeça erguida

Mais uma vez o Vasco bateu na trave e não conseguiu o título da Copa do Brasil. Assim como no ano passado, foi eliminado nas semifinais, após dois empates com o Corinthians (perdeu no critério de gols fora de casa). Dessa maneira, mantém o jejum de não ser campeão de qualquer competição desde 2003, quando conquistou o Carioca.

Porém, com certeza dessa vez a equipe vascaína sai muito mais de cabeça erguida do que frustrada. Afinal, jogou com muita dignidade e conseguiu encarar o Timão, um dos principais times do Brasil atualmente, de igual para igual. E com um pouquinho mais de competência e talento poderia até mesmo ter complicado a vida dos paulistas em pleno Pacaembu. Claro que devemos considerar o incrível perdido por Ronaldo e o fato da sua equipe ter recuado no segundo tempo, mas é fato que o Vasco teve bons momentos e ainda por cima um pênalti não marcado.

E na verdade, quem esperava que o Gigante da Colina chegasse tão longe na competição? O cenário no começo do ano era totalmente adverso: a instituição em reconstrução após a tão esperada saída de Eurico Miranda e a queda para a Segundona possuía um elenco totalmente novo e de qualidade duvidosa, após ver seus principais jogadores saírem do clube e contratar uma série de jogadores desconhecidos.

Torcida vascaína lotou o Maracanã no jogo contra o Corinthians; prova de que todos estão reconhecendo a ótima fase da equipe

Mas graças ao belo trabalho de Dorival Júnior, transformou em pouco tempo uma equipe não mais do que modesta em competitiva, aproveitando para revelar bons nomes como Ramon, Elton e Rodrigo Pimpão e supreendemente recuperar o zagueiro Fernando e o goleiro Tiago (que coincidentemente estão machucados no momento). Dessa maneira, fez boa campanha no Carioca, sobretudo na Taça Rio, e chegou longe na Copa do Brasil, mais do que seus rivais Fla – Flu, que fizeram investimentos bem maiores.

E se a maioria dos adversários que enfrentou na competição são inexpressivos, como Central e Icasa, se saiu muito bem nos encontros contra times da Série A: deu uma sapatada no Vitória em São Januário e segurou um empate com os baianos fora e conseguiu dois empates com um dos times finalistas do torneio. Tudo bem que o clube carioca talvez figurasse apenas na parte intermediária da tabela no Brasileirão se lá estivesse, pois numa competição por pontos corridos o esquema é outro, mas o desempenho do time contra os times teoricamente superiores foi muito bom.

A boa campanha no principal campeonato de mata-mata do Brasil, além de deixar o torcedor orgulhoso da sua equipe, mostra que a equipe tem potencial para conseguir voltar à Primeirona: se talvez não será tão avassalador como o adversário de ontem foi no ano passado, provavelmente conseguirá isso de uma maneira tranquila, não com tanto desespero e aflição. Claro, tudo baseado no que vimos até agora, porque o desempenho no momento está acima do esperado.

Foto: www.lancenet.com.br

3 comentários:

Paulo Maeda™ disse...

O Dorival tah fazendo um bom trabalho no Vasco, legal que a situação é perfeitamente idêntica a qdo o Mano assumiu o Timao ano passado e recuperou vários jogadores. Tomara que o Dorival consiga em breve ser um técnico de primeira linha tb. E meu Timão vai pegar uma parada duríssima na final ... mas vamo q vamo.

Bruno Santos disse...

Só de não ter mais o Eurico, consegui até torcer para o vasco durante a partida. Apesar da posse bola, o ataque não conseguiu transformar o domínio em oportunidades claras de gol.

Ótimo trabalho do Dorival, que já o conheço desde 2007 quando passou pelo Cruzeiro.

Agora veremos quem é capaz de segurar o Internacional...

Aquele que o Ronaldo deixou no chão, foi o Amaral? hehehe. Que beleza de jogada...

Abraços.

Leandrus disse...

Breves comentários:

Paulo, realmente, a situação é muito parecida mesmo, parece que o Corinthians entregou o bastão ao Vasco, rs. E tenho quase certeza que o Dorival em pouco tempo será treinador top aqui no Brasil, ainda mais se continuar esse bom trabalho na equipe carioca, assim como já fez no Cruzeiro e no Coritiba.

Bruno, eu não me lembro mesmo se foi o Amaral. Ele era um jogador muito criticado aqui no Rio (era meio que o símbolo da era Celso Roth no Vasco, que não deu muito certo depois de um tempo), mas até que não vem comprometendo sob o comando de Dorival.

Ateh!