domingo, 3 de maio de 2009

Tri

Ao derrotar o Botafogo na decisão por pênaltis, o Flamengo conquistou quinto tricampeonato carioca e ainda se tornou o maior vencedor da competição

Foi desnecessariamente sofrido, mas o Flamengo alcançou seu objetivo e ganhou o Estadual, após empatar com o Botafogo no tempo normal em 2 a 2 e derrotá-lo nos pênaltis por 4 a 2. Agora com 31 títulos, o clube da Gávea se tornou o maior campeão carioca e conquistou o seu quinto tricampeonato na competição. De quebra fez com que Cuca ganhasse o duelo contra o Botafogo: o ex-jogador finalmente conquistou seu primeiro título como treinador, enquanto o Glorioso acabou sendo tri-vice-campeão do Carioca.

Agora, o jogo. Enquanto o Botafogo iniciou a partida com um verdadeiro ferrolho armado no meio campo, deixando Victor Simões isolado no ataque, o Flamengo jogava da maneira de sempre, apostando o jogo nas laterais; surpresa mesmo, só a entrada de Erick Flores no lugar do em má fase Zé Roberto. O jogo vinha num ritmo bem morno, para não dizer que estava chato, até Kléberson, de cabeça, marcar aos 20 minutos.

O Botafogo sentiu o golpe. Sem grandes opções no ataque, não conseguia produzir muita coisa. Quando conseguia, esbarrava na limitação dos seus muitos volantes, vistas em alguns chutes pavorosos e na indecisão com a bola nos pés dos jogadores dessa posição. O Flamengo não vinha tendo grande atuação: Ibson não estava nos melhores dias, Juan parecia um pouco displicente no ataque e Erick Flores estava perdido e errando muito; mesmo assim, aproveitou o baque sofrido pelo adversário e fez o segundo através de chute de Kléberson que desviou em Alessandro.

Com dois gols de vantagem no placar e diante um adversário enfraquecido (o Botafogo atuou sem Maicosuel e Reinaldo, se esqueceram?), o Flamengo tinha o jogo nas suas mãos. Como era o rival quem precisava sair para o jogo, seria uma tática muito inteligente para a equipe de Cuca priorizar o toque de bola e não se expor muito ao ataque, além de ser eficiente nos contra-ataques. Já que não cumpriu essa cartilha, o Fla meio que ressuscitou o alvinegro carioca e ajudou a proporcionar um segundo tempo eletrizante.

Já nos primeiros minutos, pênalti para o Botafogo, desperdiçado por Victor Simões (na verdade, grande defesa de Bruno). E o que se viu durante um bom tempo foi um Botafogo guerreiro, como em todo o campeonato, começando a empurrar o adversário para o seu campo de defesa. Já o Flamengo começava a se expor demais, dava espaços ao adversário e não matava o jogo quando criava boas oportunidades de gol (bem parecido com o que aconteceu nos jogos anteriores). E rapidamente, de maneira quase improvável após o que se viu no primeiro tempo, a equipe de General Severiano empatou o jogo, com gols de Juninho e Túlio Souza, aos 16 e 19 minutos.

Parecendo satisfeito com o resultado, o Botafogo recuou. O Flamengo voltou a dominar a partida, principalmente nos últimos minutos, mas novamente sem conseguir finalizar muito, como em outros jogos. No momento do empate, Obina já havia entrado no lugar de Erick Flores: a intenção até era boa, já que o jovem jogador não vinha bem e o iluminado poderia prender a bola no ataque. Porém, o que se viu foi um atacante que perdia todas no alto e ainda se atrapalhava com a bola nos pés. A situação ainda piorou com a entrada de Josiel no lugar de Emerson: sem velocidade e também brigando com a pelota, foi pior do que o “sheik” rubro-negro, que é veloz, algo que o Fla precisava no momento, e sabe segurar bem a bola. Como outros também tiveram atuação abaixo da média, o alvinegro carioca conseguiu segurar o placar e a decisão foi para os pênaltis.

Do lado do Flamengo, todos converteram suas cobranças, até o volante Airton, que não parecia ser uma das melhores opções. Já o Botafogo não teve a mesma sorte: os chutes de Juninho e Leandro Guerreiro pararam nas mãos de Bruno, novamente herói na decisão por pênaltis, assim como em 2007.

O Flamengo não foi o melhor time do Campeonato Carioca. Empolgou somente em alguns momentos. Ainda possui defeitos e precisa melhorar logo se quiser conquistar o Brasileirão. Mas o elenco numeroso e de qualidade acabou superando o guerreiro mas limitado do Botafogo, que ainda sofreu com a falta de Maicosuel. Mas como deixaram o Fla chegar...

Foto: www.lancenet.com.br

5 comentários:

Net Esportes disse...

Fico muito feliz pelo Cuca, ele que começou a saga na Libertadores do são Paulo em 2004 e culminou no título de 2005 e também a permanência na competição até hoje, ele já tava merecendo um título como treinador há muito tempo.....

Destaco também a torcida aí no RJ, sempre fazendo muita festa e com muita irreverência, aquelas fantasias, piadas com gripe suína, o sósia do Barack Obama.... muito engraçado.... aqui em SP não tem nadinha dessas coisas !!!!!!!

Bruno Santos disse...

Mais um ano na fila para o Botafogo. A barca que o Ney Franco encomendou do Cruzeiro falhou na decisão, sem falar nas consequentes faltas de sorte do Emerson.

A festa é muito bonita mesmo, e acaba por encobrir e criar a tradicional fantasia que os times cariocas estão bem montados para o brasileirão, fazendo um tombo daqueles.

Vamos ver se o Flamengo sergura o time reserva do cruzeiro no próximo final de semana.

Abraços.

Marcos Antônio Filho disse...

Não pode deixaro Flamengo chegar, nem com o pé frio do cuca, o flamengoperdue esse título! Ainda Bem! Somos agora o maior campeão da carioca! E tomara que venha o Adriano, pois assim acho que o problema de ataque estará 70 % resolvido.(falta um companheiro de ataque decente pra ele)

Marcel Jabbour disse...

É impressionante como o Flamengo consegue ser campeão mesmo sem ter o futebol mais vistoso ou a melhor equipe.

Desta vez, méritos pro Cuca que espanta, por enquanto, a fama de pé-frio.

Abraços, Leandro

diletra.blogspot.com

Leandrus disse...

Breves comentários:

Netesportes, também torcia por um título do Cuca, acho que estava merecendo isso desde a época em que treinava o Botafogo, quando contou até mesmo com a displicência de alguns jogadores para não ganhar nenhum título em 2007. Já quanto a torcida, não é a primeira vez que ouço isso, se não me engano o pessoal da ESPN também reclamou que o pessoal de SP tratava o Estadual de lá de uma maneira muito séria, muito carrancuda, bem ao contrário da irreverência do pessoal aqui no Rio.

Bruno, pelo menos para esse ano os times cariocas não estão nessa ilusão não. Pelo contrário: criticam Flu e Fla por terem um bom elenco mas não um bom time em campo e o Botafogo por ser limitado demais. O próprio Flamengo fez uma comemoração mais discreta esse ano.
Quanto a Ney Franco, é verdade que apostou mais uma vez nos jogadores mineiros, sobretudo os que conhecia da época de Ipatinga. Porém, é bom lembrar que o orçamente do Botafogo era bem limitado, logo ele tinha poucas opções na hora de contratar. E até que montou um time decente com o que tinha em mãos.

Marcos Antônio, o Flamengo precisa de Adriano urgente: Emerson é bom mas não é a salvação e Josiel e Obina estão sofrendo com a bola nos pés. Meio imperador colocado os dois no chinelo...

Marcel, é mesmo curioso essa "mística" do Flamengo. O Fla aproveitou o apoio da torcida, o fato de crescer nas decisões e os tropeços do adversário para ganhar. Até quando os adversários vão deixar, não sei...

Ateh!