terça-feira, 19 de maio de 2009

Monaco, 1984: o surgimento de dois talentos e uma decisão polêmica

Disputado debaixo de muita chuva , que inclusive fez com que o início da corrida fosse adiado em 45 minutos, o GP de Monaco de 1984 é um dos mais lembrados daqueles disputados em Monte Carlo e na década de 80, em razão de alguns fatos que fizeram com que tal prova se tornasse histórica.

Foi justamente na 6ª etapa daquela temporada marcada pelo domínio das Mclarens que um novato chamado Ayrton Senna começava a realmente brilhar na Fórmula 1, mostrando inclusive porque seria mais tarde considerado um piloto sensacional na chuva e o rei de Monaco. Após largar em 13º, o brasileiro aproveitou uma confusão na largada para pular para 9º. Com o decorrer da prova, dirigindo sua modesta Toleman, foi ultrapassando nomes tarimbados na época como o já campeão Keke Rosberg até chegar a 2ª posição, após uma manobra memorável em cima de Niki Lauda na curva Saint Devote.

Momento em que Ayrton Senna se prepara para ultrapassar Niki Lauda

O futuro piloto da Lotus e da Mclaren já se aproximava do líder Alain Prost, tirando praticamente 3 segundos de diferença por volta, quando a corrida foi dada como encerrada com apenas 32 voltas completadas, numa decisão polêmica e pedida por Prost,. Mesmo sendo verdade que a chuva havia apertado demais no momento (e por isso acredito que a atitude foi acertada), o ato se tornou muito suspeito pelos seguintes motivos: a decisão foi tomada por Jack Ickx, que também era francês; seria, digamos, “interessante” para Ickx, funcionário da Porsche, que um piloto que carregasse a mesma marca na F-1 vencesse; e “o Professor” estava com problemas nos freios, logo seria bom para ele o término da prova. Teorias: quem quiser, acredita; quem não quiser...

Porém, muitos só se lembram da brilhante performance de Senna quando citam esse GP, esquecendo-se que outro jovem piloto fez uma belíssima prova naquele dia. O promissor Stefan Bellof saiu da 20ª e última posição para terminar em 3º; encontrando-se em 10º já na 3ª volta, o alemão foi calmamente ganhando posições e se tornou o centro das atenções depois que Ayrton já havia se estabelecido na 2º posição. Bellof ficou marcado após linda ultrapassagem sobre René Arnoux mesmo após ser praticamente imprensado contra o muro pelo francês, assegurando assim seu lugar no pódio. E se muitos já estavam surpresos com o fato do futuro tricampeão estar mais muito mais rápido que Prost, imagine o impacto ao saberem que Bellof vinha mais rápido que os dois. Sim, muito provavelmente haveria um grande duelo entre as “revelações” da corrida se a mesma continuasse.

Stefan Bellof persegue René Arnoux nas ruas de Monaco

Porém, talvez seja inútil imaginar quem seria o vencedor caso a corrida continuasse. A Tyrrell foi excluída do campeonato meses depois por estar fora do regulamento; logo todos os resultados de seus pilotos foram invalidados, assim como o 3º lugar de Bellof em Monaco. E outra coisa que quase não é comentada é que Senna logo abandonaria a corrida por problemas na suspensão, danificada após praticamente engolir a zebra numa perseguição à Keke Rosberg. No final das contas, é bem provável que a vitória caísse no colo de Prost, a não ser que sofresse algum problema ou errasse como em 1982.

Ainda assim, para os que acreditaram numa possível manipulação no resultado, o final da temporada teve gosto de vingança. Como a corrida em Monaco foi encerrada antes de 75% das voltas previstas terem sido completadas, apenas metade dos pontos foram dados aos pilotos; logo, Prost, ao invés de 9 pontos, ganhou 4,5. E a diferença do campeão Niki Lauda para o vice, que foi o francês, foi justamente de míseros meio ponto.

É por essas e outras que os acontecimentos daquele 3 de junho de 1984 são tão comentados até hoje. Quanto aos dois pilotos que deram show, o brasileiro teve tempo para mostrar todo seu talento, se tornar tricampeão e colocar seu nome na galeria de gênios que passaram na categoria antes de morrer em 1994. Já o alemão não teve a mesma sorte: em 1985, numa corrida pelo Mundial de Esportes-Protótipos em Spa-Francorchamps, se envolveu num acidente com o mesmo Jack Ickx que deu lhe deu a bandeirada um ano antes em Monaco e morreu, sem ter a chance de provar que teria um grande futuro pela frente.

OBS: No youtube há o vídeo com os melhores momentos dessa corrida pela Rede Globo. Como sou meio enrolado com a Internet, não consegui colocar o vídeo aqui, então deixo o link para quem quiser assistir: http://www.youtube.com/watch?v=INmLpbTdejM

10 comentários:

Bruno Santos disse...

Grande Leandro.
Independente do resultado, ou se a prova foi interrompida antes do tempo, e outras suposições. O mais importante aconteceu, ficaram escritos os nomes de Senna e Bellof na história da Fórmula 1, com atuações incríveis.

Infelizmente os dois não tiveram maior tempo para nos encantar.

(tá rolando uma corrente, todo mundo fazer uma dança da chuva para domingo no principado...rsrs. Com certeza seria um toque a mais de emoção. Aguardo ansioso pela corrida. Ótimo post e se quiser ajuda com o vídeo, só me falar.)

Abraços.

Vinicius Grissi disse...

Uma das maiores provas da história da F1. Que saudades do Senna.

Net Esportes disse...

Quando tomei conhecimento dos acontecimentos deste dia fiquei muito indgnado, mas ao mesmo tempo mais apaixonado ainda pelo talento de Senna, corrida épica ..... se ele ia vencer ou não ninguém sabe, mas o detalhe que não se pode negar é que cancelaram com MEDO que ele fosse o vencedor, o bom é essa vitória não fez falta para que logo ele conseguisse provar todo o seu talento .................... aliás ali ele já tinha mais do que provado o quanto era bom na chuva.

Bruno Pinto disse...

Saudades desse génio chamado Ayrton Senna! Sou português, mas o Senna foi o meu maior ídolo no desporto. Via os Grandes Prémios de F1 com o mesmo entusiasmo com que assitia aos jogos do meu FC Porto. O Senna foi um piloto maravilhoso, talvez o mais virtuoso de sempre, o mais talentoso, o mais genial, o mais irreverente. Quando chovia não dava hipótese a ninguém, pois arriscava o impossível. Cheguei a ver corridas à chuva em que ele dava uma volta de avanço ao 2º.

Estava a ver o GP em que ele morreu. Quando vi o acidente e todo o aparto que se seguiu, vi que era grave, mas sempre pensei que pudesse sobreviver. Ouvia vozes pessimistas, mas o grande Senna não podia morrer, isso não ía acontecer. Fui ver um jogo de futebol cá da zona, dos distritais. Quando cheguei a casa, vem o meu irmão dizer-me, a chorar: "Bruno, o Senna morreu!" Fiquei sem reacção. A partir dali a F1 deixou de ter interesse para mim.

Muitas saudades do Senna. Muitas saudades daqueles tempos mágicos de grandes pilotos como Senna, Prost, Mansell, Patrese, o jovem Schumacher, Piquet. Hoje a F1 não tem o mesmo encanto e já quase não me diz nada.

Marcos Antônio Filho disse...

Bellof ia vencer a corrida, Não Senna. Mas ela seria uma corrida mítica pros dois. Senna ficou mais mitificado e virou tricampeão. Já Bellof não teve tmepo pra isso...

Rafael Rocha disse...

Eu nem tinha nascido nessa época. =/

Henry disse...

Como sempre lembra o Reginado Leme: se o Senna ganhasse, Prost em 2o. e a prova não interrompida, Prost perdia a corrida, mas ganhava o campeonato...

Blog F1 Trulli disse...

Ayrton Senna absoluto em Mônaco
ta muito difícil alguem quebrar esse record (Alonso dos pilotos em atividade tem 2 vitórias)

hoje já vamos poder aproveitar com a Gp2 em Mônaco ^^

Abração
http://f1trulli.blogspot.com/

juan disse...

Um dos magos da Formula 1. Mas foi e agora? Espero q apareça um bom brasileiro, mas ta dificil demais, outros tempos.

Anônimo disse...

Amiable brief and this mail helped me alot in my college assignement. Thanks you as your information.