quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Sucesso em Londres

Elano surpreendeu e foi um dos melhores em campo, além de ter marcado um dos gols da Seleção

Num jogo em que a seleção brasileira talvez tenha atuado melhor do que o esperado e alguns jogadores surpreenderam, a equipe de Dunga, em Londres (é, é estranho, mas fazer o que...) derrotou a Itália por 2 a 0 e deu uma bela sobrevida ao técnico da Seleção, que poderia se sentir ameaçado pela sombra de Luiz Felipe Scolari.

Estranhamente a equipe de Marcello Lippi entrou desligada em campo. A falha de Cannavaro logo no começo do jogo, quase aproveitada por Robinho, parece ter sido a senha. E os gols brasileiros saíram dessa maneira: aos 12 minutos, Robinho deu bom passe para Elano, que aproveitou o corte errado do zagueiro Legrottaglie para marcar; e aos 26, o ex-Real Madrid pressionou Pirlo (enquanto Adriano, dando a jogada como perdida, apenas andava e abaixava a cabeça), tirou a bola do jogador do Milan, driblou Zambrotta e marcou um bonito gol. Vale destacar a displicência do ótimo meia italiano, que segurou a bola por muito tempo num local perigoso (justo na entrada da área) e foi castigado ao ser considerado culpado pelo segundo gol do adversário.

Já no segundo tempo, a equipe italiana voltou melhor após fazer diversas substituições, mas foi pouca efetiva no ataque, embora tenha lutado muito. O Brasil até poderia ter marcado outros gols, não fosse a má atuação de Adriano, algumas firulas desnecessárias de Robinho e Ronaldinho e a queda natural de ritmo da equipe na segunda metade do jogo.

Robinho foi um dos destaques do time, participando dos dois gols e mostrando muita disposição, aparecendo bastante para o jogo. E se Dunga foi criticado por convocar e escalar jogadores que vem esquentando o banco em seus clubes atualmente, hora de todo mundo ficar quieto. Elano foi um dos melhores em campo, atuando bem pelo lado direito e quase marcando um belíssimo gol de fora da área no final do primeiro tempo. Ronaldinho, mesmo não partindo tanto para cima dos adversários como nos bons tempos de Barcelona, não se isolou na esquerda e participou do jogo, dando bons passes para os companheiros. E Marcelo, que foi um dos únicos a se salvar nas Olimpíadas mas não vem passando por boa fase no Real Madrid, fez boa companhia a Ronaldinho na esquerda, sempre participando das jogadas de ataque, tendo problemas apenas para segurar Zambrotta no primeiro tempo.

Felipe Melo foi uma grata surpresa: o meia da Fiorentina não se arriscou tanto, mas deu bons passes, melhorando a saída de bola, defendeu bem e não comprometeu. Pode ser uma boa opção para a Seleção. A zaga, como de costume, se saiu muito bem, assim como Júlio César, dono de ótima defesa num lance em que Luca Toni (quantos gols perdidos!) já saia para comemorar. A decepção mesmo foi Adriano, que matou diversos ataques brasileiros no jogo; deveria ter sido substituído por Pato mais cedo, que vem bem no Milan.

Do lado italiano, muita decepção. Lippi terá muito trabalho com essa equipe, que teve sérios problemas defensivos, principalmente no primeiro tempo, algo incomum para uma seleção reconhecida justamente pela sua forte defesa. E foi mal no ataque também, com leve melhora apenas na segunda etapa. Talvez tenha sido um erro não ter convocado Del Piero, ótima opção ofensiva que parece vinho e vem se destacando cada vez mais na Juventus; no jogo de ontem, faltou um jogador mais criativo na equipe.

A Seleção atuou bem e venceu com méritos. Dunga agradece, e ainda sai rindo a toa por ter convocado um jogador contestado por muitos mas que se saiu muito bem.

Foto: www.cbf.com.br

9 comentários:

Vinicius Grissi disse...

A "nova casa" do Brasil está dando sorte, infelizmente. Preferia ver a seleção jogando por aqui. De toda forma, o time foi bem ontem, principalmente no primeiro tempo enquanto teve fôlego. Um certo animo, depois da goleada por 6 a 2 sobre Portugal.

Daniel Leite disse...

Está ótima a análise, Leandrus. Tenho uma visão muito parecida. De toda maneira, o melhor do seu texto foi o detalhe do Adriano, de cabeça baixa enquanto Robinho corria atrás do sonolento Pirlo!

Outro destaque foi Dunga. Como ele foi bem aventurado ontem! Por puro encaixe e em virtude de um descompasso da Itália, as peças que ele tanto defende foram bem. Especialmente Elano, que teve "sorte" por entrar constantemente em um confronto individual com Montolivo, que não marca ninguém.

Chamou a atenção também a performance do Robinho. Apesar das firulas quando o jogo já estava decidido, ele se mostrou muito efetivo nos momentos em que a Seleção precisou.

Sobre a Itália, o time sofre com peças decadentes. Zambrotta, em outros tempos, não dançaria com Robinho. No auge, Cannavaro não teria precisado de um "parto" do Buffon no início do jogo para que acordasse. Assim como o Pirlo está de brincadeira a partir do momento em que passeou como se estivesse num bosque antes de perder a bola para o Robinho.

Até mais!

Loucos por F-1 disse...

Xará, a seleção brasileira fez um ótimo primeiro tempo e no geral jogou bem, mas sem variação tática. Isso me deixa um pouco intrigado, pois acaba se tornando um time previsível.

A Itália foi mal escalada por Lippi, a parte defensiva não estava nada bem. Faltou Del Piero e Totti para articular as jogadas no meio de campo.

Abraços!

Leandro Montianele

Marcos Antônio Filho disse...

onde assino?
concordo com tudo que vc escreveu e acrescento duas coisas:
1)Dunga sabe jogar contra equipes que jogam de igual pra igual,ele sabe usar as brechas que essas equipes dão; Pena que ele não sabe armar uma equipe pra furar uma retranca adversária.

2) A equipe italiano envelhece e não se renova.Em 2010 vão passar vergonha...

Marcel Jabbour disse...

Tô de volta, Leandro!

Não esperava uma partida tão boa da seleção, apesar do segundo tempo mormo. Impressionante como Robinho tranforma o time quando está bem. E Elano prova que mesmo sem ser genial não pode sair dessa equipe.

Abraços!

diletra.blogspot.com

Net Esportes disse...

Acho que a Itália se recupera até a Copa, no segundo tempo só não fez o gol por detalhe.... como vc disse o Dunga agradece, e só perde esse cargo se for muito mal nas Eliminatórias.... pouco provável.

Alex Alvarez disse...

Pois é, com Pato no lugar de Adriano, o Brasil teria ampliado o placar. Não entendo um jogador que é convocado para a seleção e não faz nada de relevante durante o jogo. Com ele espera ser convocado novamente?

O Ronaldinho Gaúcho fez quase tão pouco quanto Adriano. Entrou mais em jogo, mas sempre muito atrás, longe da área italiana. Antigamente ele pegava a bola e partía pra cima do gol rival, gerando boas situações de gol, e balançava a rede com frequência. Gosto muito dele, mas se Kaká estivesse bem, Ronaldinho deveria ficar no banco. Afinal, deve estar em campo quem ajudar mais a equipe. Espero que ele lembre de como jogava quando foi o melhor do mundo.

Fora isso, a seleção fez uma boa partida. Com Kaká e um atacante com vontade de jogar, como Pato ou Luís Fabiano, a verde-amarela irá muito bem nas Eliminatórias.

Abraço Leandrus.

Lucas Palmeirense disse...

n torco pra essa merda desde q parreira tava la e vou continuar assim ate q chegue alguem q preste pra ser tecnico

Leandrus disse...

Breves comentários (foi mal a demora pra responder, é que Football Manager nas férias tira a atenção da gente, rs)

Vinicius, tb queria que o Brasil jogasse mais por aqui. Mas sendo vaiado em quase todos os jogos, acho que eles preferem ficar em Londres mesmo (as vezes as vaias são justas, as vezes não)

Daniel, a Itália terá sérios problemas para renovar essa equipe. Aquela da Copa de 2006 já tinha várias peças no auge, e pelo que vimos (na verdade, vemos desde a era Donadoni) as novas peças não estão correspondendo. Mas pra falar a verdade, eu nunca gostei do Zambrotta, rs

Leandro, a Itália já sente a falta de Totti desde a era Donadoni e isso foi visto na Eurocopa. Creio que Del Piero seja a melhor opção, e não entendi porque Lippi não o convocou.

Marcos Antônio, concordo contigo. O retrospecto de Dunga é ótimo contra seleções que não jogam fechadas. Vitórias convincentes contra a Argentina na Copa América, Chile nas Eliminatórias e Portugal nos amistosos já tinham mostrado isso. A Itália não jogou tão aberta, o problema foi ter falhado muito mesmo na defesa. Contra seleções fechadas, é aquele sufoco que vimos nos últimos jogos no Rio...

Marcel, pior que eu nem aceitei a convocação do Elano. Não gosto muito da ideia de chamar jogadores que são reservas em seus clubes. E ele surpreendeu, foi bem e tomara que Mark Hughes tenha visto o jogo (se bem que da última vez que eu o vi jogando pelo City, tb entrando só no segundo tempo, não fez nadica de nada...)

Netesportes, o teste do Dunga é a Copa das Confederações. Mas do jeito que foi bem contra a Itália e se tiver um retrospecto aceitável nos próximos jogos das Eliminatórias, acho que nem a competição a ser disputada em junho o tira do cargo.

Alex, realmente, se Ronaldinho não jogar como nos tempos de Barcelona, achamos que ele jogou mal. Dentro dessa nova postura adotada por ele desde as Olimpíadas, de se isolar na esquerda e não partir para cima dos adversários, achei que foi bem, mas ainda longe daquele que foi o melhor do mundo.
E falta mais uma coisa pro Brasil jogar bem nas Eliminatórias: aprender a jogar contra times fechados.

Lucas, pois é, eu perdi meu respeito pelo Parreira e acho o Dunga teimoso, mas ele foi bem terça, fazer o que...

Ateh!