terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Demitir Felipão: uma decisão acertada ou precipitada?

Acabou mais cedo do que o esperado a aventura de “Big Phil” no Chelsea. Na sua primeira experiência como treinador de um clube europeu, depois de um começo promissor, a equipe de Londres foi caindo de rendimento até se ver a distantes 7 pontos do líder Manchester United e a torcida começar a pedir sua cabeça.

A questão é: a demissão de Felipão foi justa ou foi uma ação precipitada da diretoria? É importante ter em mente as dificuldades que Scolari encontrou no meio do caminho e que certamente atrapalharam sua trajetória. Primeiramente, foi azarado ao chegar no clube justo no momento em que o bilionário Roman Abramovich resolveu cortar drasticamente seus gastos com o clube, o que resultou na falta de dinheiro para transferências tanto antes quanto no meio da temporada, algo diferente do que aconteceu na era Mourinho.

Um Drogba claramente desmotivado e visivelmente fora de sua melhor forma foi apenas um dos muitos problemas encontrados por Felipão no Chelsea

Sem muito dinheiro para contratar novos jogadores, Felipão teve que se virar com alguns jogadores abaixo da média como o extremamente inoperante Malouda e Kalou, outros irregulares como Anelka e Alex e outros em má fase, como os sonolentos Ballack e Deco, Ashley Cole, Joe Cole e principalmente Drogba, que em nada lembra o jogador matador e decisivo de outras temporadas, estando claramente desmotivado e sem a explosão de outrora; o fato de ter marcado apenas um gol na atual temporada reflete isso. Além disso, sofreu com as longas contusões de Essien e Ricardo Carvalho. Some-se isso a um Lampard e um Terry não tão inspirados como nos últimos anos, embora ainda estejam jogando bem, e pode se ver que o brasileiro teve sérios problemas para achar uma equipe confiável. Com poucas opções no banco, até o esforçado mas limitado Belletti passou a ser um dos principais reservas, sempre entrando no decorrer dos jogos, ou como meia ou como lateral.

Mas seria ingenuidade colocar a culpa do insucesso de Scolari apenas na má fase da maioria do elenco, porque o brasileiro também errou. Se não teve o dinheiro desejado para fazer contratações, perdeu tempo ao insistentemente tentar contratar Robinho, e ao ver o jogador se transferir no Manchester City, ficou chupando dedo por não ter um plano B, ou seja, por não ter planejado outra contratação caso não conseguisse ter o ex-jogador do Real Madrid no seu elenco. Além disso, foi limitado taticamente, insistindo demais num 4-3-3 extremamente manjado, testado poucas variações para este esquema. E mesmo com poucas opções no banco, deu poucas chances às jovens promessas provenientes das categorias de base do clube, como Stoch, Di Santo e Ivanovic.

E por último, algo essencial: Felipão pareceu que não obteve muito sucesso na tentativa de motivar seus jogadores, um de seus trunfos. Vanderlei Luxemburgo disse algo no programa “Bem, Amigos” que chega a ser coerente: Luiz Felipe não tinha um inglês fluente, e esse detalhe pode ter sido fundamental para que não conseguisse transmitir suas mensagens aos jogadores da maneira que queria; ou seja, não conseguiu dar o “choque”, aquelas palavras que dão ainda mais força para os atletas. E isso pode ter sido determinante para o mau desempenho de Big Phil nos clássicos ingleses: neste quesito, teve um péssimo retrospecto, tendo empatado 1 uma vez e perdido 4, com destaque para uma derrota clamorosa para o Manchester United por 3 a 0.

A diretoria do Chelsea até teve seus motivos para estar descontente com o trabalho de Felipão, mas o técnico teve também encontrou diversas dificuldades pela frente. Meio a meio? Acho que não. Por mais que o técnico não conseguisse fazer seu time jogar ultimamente, será que uma demissão no meio da temporada, com o time prestes a disputar uma partida de vida ou morte na UCL contra a Juventus vai melhorar a difícil situação pela a qual o clube passa? A decisão do Chelsea parece mais uma tentativa desesperada de assegurar uma vaga na UCL na próxima temporada e de ver a equipe ter um desempenho melhor em campo, ou seja, uma decisão de puro imediatismo. Ninguém garante que o brasileiro daria a volta por cima na principal competição européia, mas não se arruma a casa de uma hora para a outra; aliás, o forte do treinador é justamente o mata-mata, e esse poderia ser o momento chave para que os Blues se superassem e subissem de produção (apesar de que o problema do idioma interferindo no processo de motivar os jogadores poderia atrapalhar).

Talvez tenha faltado ao clube o entendimento de que não foi oferecido o melhor ao treinador, assim como talvez tenha faltado paciência, a mesma que não faltou aos dirigentes do Manchester United no começo da vitoriosa era Ferguson, que só conquistou seu primeiro título após 4 anos em Old Trafford.

Foto: www.bbc.co.uk

10 comentários:

Net Esportes disse...

ele tava na corda bamba faz tempo, acho que o problema é que o Chelsea vinha relativamente bem, aí com o Felipão perdeu aquela super ivencibilidade em casa e o pior, não ganhou nnehum clássico, não sei se a culpa é dele ou dos jogadores, mas com certeza esses fatores pesaram muito..........

Ps. valeu !!!!! mas o novo layout só me deu dor de cabeça, muitos erros !!!!!

Carlão Azul disse...

Claro que foi precipitada.

Felipão é um mestre, não teve tempo suficiente pra colocar em prática tudo que sabe. Acho que foi mais um preconceito contra o brasileiro...

---Siga meu Blog---

Abraços e...
Saudações Celestes

SITE/BLOG
Sou Cruzeirense - Site
Sou Cruzeirense – Blog
CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS
ENTREM, DÊEM UMA ESPIADINHA E SINTAM-SE A VONTADE


Bração Leandrusão...

Bruno Pinto disse...

Sempre achei Scolari um treinador tacticamente bastante fraco e que nunca daria certo numa equipa de topo. Ele é bom em termos motivacionais, daí que nas selecções ele conseguiu bons resultados, mas num clube, a competência táctica e o conhecimento do jogo é muito mais importante que numa selecção.

O Chelsea, apesar das limitações financeiras de Abramovich (?), detém um dos melhores plantéis da Premier League, senão o melhor e se alguns jogadores não renderam, é porque Scolari não foi capaz de tirar o melhor deles.

Scolari falhou e o despedimento parece-me a melhor solução para o Chelsea, já que não se vislumbravam possibilidades de melhorias futuras. No meio de tudo isto, Scolari sai, ao que parece, com 17 milhões de euros no bolso! Coisa pouca.

Vinicius Grissi disse...

Sem dúvidas, ninguem esperava a queda do Felipão tão rápido. Mas os resultados dele não eram nem um pouco satisfatórios. O que pesou, principalmente, não foi o péssimo desempenho nos jogos importantes. Foi a falta de força que o time demonstrava quando jogava dentro de casa, o que tornou a situação de Felipão insustentável.

speed.king.thrasher disse...

Uma pena ele ter ido embora... já q como motivador é um grande tecnico, leia-se o q ele fez com portugal na copa de 2006.

mas pra onde será q ele vai agora?!?! esse é o X da questão...

Loucos por F-1 disse...

Xará , depois passe lá no Loucos por F-1, pois fizemos uma indicação do seu blog.

Abraços!

Leandro Montianele

Danilo Damasceno disse...

Precipitada, até pq quem entrar no lugar do Big Phil não mudará o panorama do time.Abração e belo blog o seu tb. Se quise podemos trocar links.

Pâm SãoPauliNa-RP disse...

Precipitada!

Fernando Gonzaga disse...

me desculpem os defensores, mas o Felipão sabia do ninho de cobras que tinha pela frente quando assumiu o Chelsea...está certo que tem muito jogador fazer corpo mole, mas ele tem sua parcela de culpa nesta campanha ruim...

abraço!!

Leandrus disse...

Breves comentários:

Netesportes, é verdade, o mau desempenho em clássicos pesou. Mas acho que pesou ainda mais o desempenho ruim em jogos em casa, onde o Chelsea ultimamente, se ganhasse, penava para tal coisa.

Bruno, lembro que você apareceu aqui pela primeira vez justamente falando sobre o Felipão. O elenco do Chelsea pode ser um dos melhores, mas não é o melhor; por exemplo, é menos numeroso do que o Manchester United e talvez até do que o do Liverpool. É deficiente em algumas posições, e se alguns jogadores se machucarem, a reposição não será boa.
Quanto a não tirar o melhor de seus jogadores: a língua foi problema para motivar seus jogadores, e creio que isso foi um grande obstáculo. O que me deixa instigado é que Avram Grant, menos renomado, teve um elenco bem parecido com o de Felipao e teve desempenho bem melhor; inclusive, foi o único que fez Ballack jogar bem (embora ainda tenha contado com um ótimo Drogba, ao contrário de Scolari).
Mas mesmo assim não achei uma boa tirá-lo agora. Poderiam ter esperado mais um pouco; um técnico novo terá que conhecer o elenco ainda, e um interino poderá ter o mesmo problema com um elenco que, ao meu ver, tem muitas peças em má fase ou então contundidas. Mas aí é mais questão de opinião mesmo.

Vinicius, realmente, os resultados em casa talvez fossem pior do que o desempenho nos clássicos, talvez deveria ter citado isso. Mas não diria que os resultados tão ruins assim, até porque deixou o time na UCL e em 4º no Inglês, o que não é nenhum crime para o time que tem (só mesmo ficar atrás do Aston Villa).

Ateh!