domingo, 26 de julho de 2009

Uns tentam ressurgir, outros continuam caindo


Depois do susto que o acidente “meio bizarro” de Felipe Massa deu em todos no treino de ontem, a F-1 tentou voltar a normalidade com a corrida na Hungria. Uma prova que tinha tudo para ser extremamente chata, como as últimas duas disputadas em Hungaroring. Até que no final das contas ficou a sensação de que poderia ter sido pior: afinal, houve muitas perseguições na pista e um certo clima de indecisão devido a erros nos boxes e abandonos de alguns dos principais pilotos. Porém, devido ao baixo número de ultrapassagens, a qualidade da prova ficou muito, mas muito longe daquelas disputadas no final dos anos 80 e começo dos anos 90, quando o ponto de ultrapassagem no final da reta principal era bem mais utilizado.

E o que se viu no circuito húngaro foi uma reedição do que acontecia até o ano passado: pilotos das principais e mais tradicionais escuderias da F-1 nas primeiras posições. Numa temporada marcada pelo domínio dos carros da Brawn e da RBR, um surpreendente Lewis Hamilton terminou na primeira posição, seguido por Kimi Raikkonen. O outro piloto da Mclaren, Heikki Kovalainen, ainda terminou na 5ª posição; a Ferrari só não pontuou com outro piloto por causa do acidente de Massa, mas o brasileiro já estava classificado para o Q3 e poderia até terminar numa boa posição hoje.

Lewis Hamilton comemora sua surpreendente vitória. Surpreendente porque poucos esperavam uma vitória de um piloto da Mclaren ainda em 2009

Aliás, alguém esperava que a Mclaren ainda vencesse uma prova nessa temporada? Estariam Mclaren e Ferrari voltando ao seu devido lugar, de principais potências do grid da categoria? O resultado de hoje pode até ser um indício disso, já que a escuderia italiana vinha evoluindo nas últimas provas (é o terceiro pódio da equipe no ano), assim como o novo pacote que a Mclaren deu a seus dois pilotos hoje fez ambos mostrarem um desempenho muito melhor do que aquele das últimas corridas.

Porém, é importante dizer que houve alguns fatores que permitiram o bom resultado de Mclaren e Ferrari. Os pilotos da RBR, por exemplo, tiveram o desempenho de sempre e poderiam incomodar, mas foram prejudicados: Mark Webber teve problemas no pit stop e perdeu a segunda posição para Raikkonen. Vettel teve um dia para se esquecer: se perdeu na largada e ainda teve que abandonar. Além disso, o KERS nunca foi tão fundamental como hoje e mostrou que não deve ser totalmente desprezado: Raikkonen fez uma ótima largada devido a este equipamento, assim como Hamilton, que também o utilizou para ultrapassar o vice-líder do campeonato voltas depois. Como talvez algumas condições que ajudaram as equipes hoje talvez não ocorram no futuro, é bom esperar mais um pouco para conferir a evolução de ambas. Mesmo assim, é inegável que o que foi mostrado hoje dá esperanças às duas para a fase final do campeonato.

Mas se a corrida na Hungria permitiu tirar conclusões de algo, foi que a Brawn GP precisa reagir urgentemente. O clima de Budapeste favorecia a equipe, mas Button e Barrichello foram muito mal, fato que também favoreceu Hamilton e Raikkonen. O brasileiro, que chegou em 10º, ainda tem a desculpa dos problemas no treino que o tiraram do Q3, mas a corrida do inglês, que se classificou mal e lutou contra o carro durante toda a corrida, mostra que a equipe está perdendo em relação as outras no quesito evolução. Tudo que o time inglês conseguiu foi um 7º lugar chorado com o líder do campeonato. O saldo seria muito pior se a RBR também não tivesse problemas hoje; por outro lado, Webber fez outra prova muito regular e cada vez mais assusta.

Por último, menção ao espanhol Jaime Alguersuari, que fez uma corrida correta. Não causou problemas na largada, não fez besteiras, e ainda se aproveitou de um erro do companheiro Buemi para não amargar a última posição na sua primeira prova na categoria. O tempo pode até mostrar que não merece uma vaga por lá, mas hoje não mereceu críticas. Aliás, não entendi porque Galvão Bueno reclamou tanto do espanhol durante todo o fim de semana: ora bolas, a F-1 sempre teve pilotos que claramente não tinham condições de estar lá – o último que me lembro foi Sakon Yamamoto - , como os famosos pay drivers e os que trazem um belo “paitrocínio”; então, porque atacar justo o novato da STR? Será que ele disse o mesmo quando Pedro Paulo Diniz, um piloto que não conquistou quase nada nas categorias menores, entrou na F-1? Deixa pra lá...

A largada, o único bom momento de Fernando Alonso na corrida. O espanhol abandonou depois de um pit stop desastroso que o deixou sem uma roda no meio do circuito. É bom dizer que Alonso talvez não teria um bom resultado hoje, porque até entrar nos boxes não havia aberto uma boa vantagem em relação aos demais para fazer valer sua estratégia de largar com o tanque quase que vazio

Nico Rosberg novamente conseguiu um ótimo resultado e terminou em 4º. O alemão vai fazendo um excelente campeonato depois de corridas iniciais decepcionantes

Curiosamente, numa corrida em que o KERS foi essencial, a BMW, equipe que melhor desenvolveu o equipamento, teve novo desempenho pífio: Heidfeld terminou em 11º, e Kubica, em 13º

Fotos: 1ª/2ª - www.gpupdate.net
3ª/4ª - www.motorsport.com

8 comentários:

Saulo disse...

Impressionante o que aconteceu com o Massa heim.
Mas, ele vai se recuperar logo e vai voltar a correr.
Força Massa!

Loucos por F-1 disse...

Xará, foi ótimo ver a McLaren novamente no lugar mais alto do pódio. Lewis Hamilton andou muito e venceu merecidamente. Acredito que a equipe inglesa foi favoricida por correr em um circuito de baixa. Mas mesmo assim existe uma evolução grande. A Brawn perdeu folego e a RBR vem chegando aos poucos. Teremos briga no final do campeonato.

Abraço!

Leandro Montianele

F-1 A.L.C. disse...

coincido em que o podio de kimi é por causa de erros alehios, do mesmo jeito do que o seu campeonato 2007

a SAUBER deve estar se batendo de cabeça no muro por ter pedido KERS na F1, kkk

o povo da Brawn tem que reagir, mais temo que isso só seja possível com dinheiro. tomara e esteja errado

Marcos Antônio Filho disse...

é a Brawn tem que reagir, ou senão tem que torcer pra McLaren e Ferrari retirar pontos da Red Bull, se não...

Paulo Maeda™ disse...

ouvi falar q a Brawn tah sem grana pra investir no desenvolvimento do carro, a Virgin num tah mais injetando a grana. Ontem foi legal rever a Mclata ganhar e a Ferrari na frente da RBR. E o espanhol emo até q fez uma boa corrida de estréia mesmo.

Wilson Hebert disse...

Essa temporada está tendo um panorama meio diferente e bem mais disputado na Formula-1.

E fica aqui a torcida pro Felipe Massa se recuperar o quanto antes.

Abraço, Leandrus!

Net Esportes disse...

O que mais impressiona foi que o Hamilton sobrou na pista, não teve trabalho nenhum .... pra mim muito inesperada a volta da McLaren e da Ferrari desta forma .... a Brawn está em uma decadência total e o título do Button ameaçado já, aliás o inglês falou tanta besteira que acho que até merece perder ...... dá-lhe Webber !!!!!

Incrível que a mola foi bater bem na viseira do capacete do Massa, mais incrível ainda ser do carro do Rubinnho ..... e se a Renault é punida por soltar uma roda na pista porque a Brawn não é punida por soltar uma mola na pista ????

Leandrus disse...

Pessoal, valeu pelas mensagens! Só alguns comentários hoje...

Paulo, mas o patrocínio da Virgin continua lá no carro, não é? Bom, de qualquer maneira, pode até ser que o apoio não seja mais o mesmo, pois já no início da parceria foi dito que talvez ela não durasse o ano todo.

Wilson, é verdade que o panorama este ano está diferente, como pode ser visto na inversão de valores da categoria. Porém, ainda acho que o campeonato de 2008 estava mais disputado, assim como as suas provas: é verdade que choveu em excesso no ano passado, assim como os pilotos da frente erravam muito, o que fazia as provas ficarem um pouco mais imprevisíveis. Mesmo assim, melhor do que nesse ano, na minha opinião.

Netesportes, acredito que a Brawn não foi punida pq eles não mandaram Rubinho para a pista sabendo que a mola estava prestes a se soltar, ao contrário da Renault, que de acordo com a FIA devolveu Alonso à pista sabendo que a roda estava solta. Porém, acredito que a punição dada a escuderia francesa foi exagerada, e sinceramente torço para que a decisão seja revogada.

Ateh! E como vcs mesmo disseram, boa sorte para Felipe Massa!