quinta-feira, 30 de julho de 2009

Calmaria no meio da tempestade


Por pouco: Michael Schumacher estreou na F-1 na Bélgica, em 1991. Ele quase retorna à categoria no mesmo lugar; havia Valência no meio do caminho

Dia desses estava assistindo o Review Oficial da F-1 da temporada de 1991, na qual Ayrton Senna se sagrou tricampeão no GP do Japão. Na entrevista coletiva após a corrida, logo depois o clássico momento em que afirmou que foi roubado em 1989, o brasileiro disse que o campeonato de 1990 foi um “campeonato triste” devido a questões políticas. No momento, pensei: essa frase se encaixa, em partes, no momento que a categoria vive.

Somente neste ano já encaramos ameaças de um desmanche da categoria, as surpreendentes retiradas da Honda e da BMW, o sentimento crescente de que as montadoras também são um mal à F-1...tudo isso piorado pelo campeonato não mais que mediano que estamos assistindo, que no início empolgou pela inversão de valores mas que depois caiu numa medonha monotonia (com uma certa melhora nas duas últimas provas). Dava para piorar? Dava: afinal, voltamos a questionar a segurança na nas corridas depois do acidente de Felipe Massa, por mais que ele tenha sido uma fatalidade e que o piloto tenha tido muito azar na ocasião.

Mas no meio de tanta carga negativa, talvez tenhamos algo a comemorar. Afinal, não há como ignorar a volta certamente inesperada de Michael Schumacher à F-1. Já na casa dos 40 anos, o alemão foi o escolhido para substituir Felipe Massa enquanto este não volta a correr. O ex-piloto da Jordan, Benetton e Ferrari pode até mesmo correr até o final do ano.

Além de dar uma senhora abafada no repentino abandono da BMW, o retorno do heptacampeão faz com que a F-1 ganhe uma atração a mais e consequentemente esqueça de alguma forma os seus problemas recentes. Isso porque todos vão querer conferir como se sairá aquele que é um dos maiores pilotos que a categoria já viu. Será que ainda tinha lenha para queimar. Será que pode ajudar a Ferrari a manter o bom ritmo que vinha mostrando nas últimas corridas? E pasmem, será que pode bater de frente com seu companheiro Kimi Raikkonen e sonhar com um pódio (vitória já é demais...)?

Tanto os chefões da categoria quanto grande parte dos seus fãs certamente gostaram da ideia. Pode ter certeza que muita gente que não estava acompanhando a categoria voltará a ligar a tv nos fins de semana só para ver como o alemão desprezado por Galvão Bueno em 1991 se sairá. Ele não tem nada a perder: só manchará sua carreira se fizer uma bobagem homérica – e mesmo assim terá a desculpa de que estava parado por muito tempo. E se for bem-sucedido, ganhará ainda mais admiradores e terá um reconhecimento ainda maior. Já pensou como serão os elogios para um piloto que não corria desde o GP do Brasil de 2006 e ainda assim superou as expectativas?

Quem começava a se desiludir com a atual temporada agradece. Essa foi uma das melhores notícias do ano para os amantes da F-1 (EDIT - 31/07 - 15:13: agora percebo que nem todos ficaram tão contentes com a decisão. Então, a notícia foi uma das melhores do ano para grande parte dos amantes da F-1). Exceto para Raikkonen. Se o alemão for competitivo a ponto de superar o finlandês, talvez o fim de linha para o Iceman na escuderia do cavalinho chegue mais cedo.

8 comentários:

Saulo disse...

Falando em Michael Schumacher, ele está de volta a F1 e vai dá muito trabalho.

Marcel Jabbour disse...

Verdade, Leandrus. A saída da BMW foi bem ofuscada.

Isso tudo me lembra quando o MJ voltou a jogar, pelo Wizards, pra dar uma alavancada na NBA. Lógico que são situações distintas. Mas são dois "Michaels" geniais, não?

Abração

diletra.blogspot.com

Paulo Maeda™ disse...

2 Michaels geniais mesmo, e a FIA deu sorte, assim o GP de Valência, se não terá Alonso, terá Schummy. Fora q vai ser legal ver ele contra Vettel e Hamilton.

Willian disse...

Não acredita que ele "vá dar muito trabalho", mas é bom vê-lo de volta às pistas.

Wilson Hebert disse...

Olha, não acho que uma vitória seja esperar demais não...

Enquanto esteve nas pistas, o alemão sobrou inteiramente contra esses que estão aí hoje...

Pra mim, se ele vencer, será algo normal.

Mas claro, será emocionante acompanhar a sua volta às pistas...

Fez bem a Ferrari!

Abraços, Leandrus!

Marcos Antônio Filho disse...

acho que uma vitória seri amto sim,mas ele é o alemão, ele é o melhor. Mas que ele não mexa com uma Williams!

Vinicius Grissi disse...

De fato , não podia acontecer algo melhor para a F-1. Quando a temporada caminhava para um final chato e moroso, Schumacher chega para abrilhantar novamente a categoria. Resta saber qual será o desempenho dele depois de tanto tempo e com um carro muito abaixo dos outros.

Net Esportes disse...

Será uma das coisas mais incríveis na minha opinião se o Schumacher vencer uma corrida, tudo bem que a Ferrari deu uma boa melhorada nas últimas corridas, mas acho que não está la essas coisas .... se fizer isso ele vai literalmente (como dizia o Chatão, quer dizer Galvão) tirar um coelho da cartola ..... achei fantástico o retorno do alemão, tomara que ele corra mais que uma corrida ..... tomara que corra até o fim do ano, tomara que se o Massa voltar antes seja no ligar do Raikonnen ... kkkkkkk !!!!!!!!!