domingo, 30 de agosto de 2009

Show de erros na Bélgica


Contraste já esperado nas comemorações...

Ele finalmente acordou. Depois de uma atuação apagada na segunda metade de 2008 e não ter um desempenho tão bom no começo da atual temporada, Kimi Raikkonen comprovou não só a sua recuperação como também a da Ferrari ao dominar o GP da Bélgica e vencê-lo; vitória, aliás, que não conseguia desde o longínquo GP da Espanha do ano passado. Uma conquista merecida, pois largou muito bem – ajudado pelo KERS, pulou de 6º para 2º -, foi rápido o suficiente para ultrapassar Giancarlo Fisichella logo após a relargada e suportou a pressão do italiano durante todo o resto da prova. Um domingo nota 10 para o finlandês.

Mas o fim de semana de Fisichella foi tão bom quanto o domingo de Raikkonen. Andou muito rápido hoje, fez um duelo de igual para igual com a Ferrari do vencedor e mostrou que a pole conquistada ontem não foi por acaso. Ainda por cima, conquistou não só os primeiros pontos da Force India como o primeiro pódio da equipe – quem achava que a primeira glória da escuderia indiana viria dessa maneira? Fez uma das melhores provas de sua carreira e foi um dos destaques da prova disputada em Spa-Francorchamps, que também foi testemunha de um show de erros.

Para começar, houve os costumeiros mas imperdoáveis erros nos pit stops. Tanto Timo Glock quanto Jarno Trulli tiveram problemas com suas mangueiras de combustível e viram qualquer pretensão de pontuar por água abaixo. Num fim de semana que tinha tudo para dar certo, a Toyota novamente estragou tudo. Mas pior fez Renault, que tirou todas as chances de Fernando Alonso pontuar bem ao se enrolar na hora de trocar um dos pneus. Não quero nem ver a bronca que Flavio Briatore dará em seus mecânicos.

Porém, o erro-mor talvez tenha sido o de Rubens Barrichello. Outra falha imperdoável, aliás: pela terceira vez no ano, se enrolou todo na hora de largar e caiu lá para trás. Pelo menos reconheceu que bobeou e que isso não deveria mais acontecer em 2009. Teve muita sorte do safety car ter entrado na pista, o que lhe possibilitou uma ida aos boxes e uma salvadora mudança de estratégia. Depois disso, até fez uma boa e arrojada prova e salvou dois pontinhos.

Mas ainda assim, o saldo não foi dos melhores. Jenson Button e Mark Webber foram atrapalhados por erros de outros – o inglês, pelo de Roman Grosjean na primeira volta, e o australiano, pelo do “mecânico do pirulito” que em uma de suas paradas o liberou dos boxes no momento errado e fez o piloto pagar um drive through – e não pontuaram. Ou seja: se Barrichello tivesse largado normalmente, muito provavelmente chegaria no pódio e ganharia mais uns pontos preciosos no campeonato, que o colocariam muito próximo de seu companheiro de equipe e lhe dariam certa folga para os pilotos da Red Bull. São esses momentos de apagão de Rubens que me fazem pensar que o brasileiro não pode se empolgar ao pensar na possibilidade de ser campeão: na situação em que está, deve tentar de tudo para fazer uma corrida perfeita, não uma irregular ou com erros primários como o de hoje.

Com isso, Sebastian Vettel agradeceu. Ficaram tão preocupados com os possíveis problemas de motor que o alemão poderia ter que, como quem não quer nada, o jovem piloto fez uma prova consistente e chegou na 3ª posição. Dos que brigam pelo título, foi quem mais se deu bem na Bélgica. Está praticamente na mesma situação de Barrichello. Mas é outro que precisa ser mais regular se quiser pensar em título.

Já Jenson Button precisa acordar urgentemente. Ou então precisa se acalmar e arranjar uma maneira de sentir menos a pressão. Seu desempenho na Bélgica foi muito ruim, e sua atuação no treino de qualificação foi pífia: quem precisa manter a liderança depois de maus resultados não pode nem pensar em largar em 14º. Depois do prematuro abandono de hoje, tem que colocar a cabeça no lugar e se recuperar no GP da Itália. Recuperação que não é pra daqui a duas semanas, não. É pra ontem mesmo.

Kovalainen fez uma prova discreta, mas segurou Barrichello no final e chegou na 6ª posição. Porém, talvez seja pouco para segurá-lo na Mclaren em 2010

Luca Badoer novamente foi muito mal, terminando na última posição. Dessa vez, as desculpas de não conhecer o carro valem menos. A situação do italiano deve ficar complicada para correr em Monza

O retrospecto inicial de Roman Grosjean não é muito animador: se envolveu em toques ou acidentes nas suas duas largadas na categoria. Como já não tinha fama das melhores na GP2, se não melhorar não terá boa fama na F-1...

Fotos: 1ª, 2ª, 3ª - www.motorsport.com/ 4ª - www.gpupdate.net

5 comentários:

Saulo disse...

Ê, Rubinho. Não tem sorte mesmo.

Willian disse...

Kimi combina com Spa. Ele anda muito por lá. Mas o destaque do dia, na minha opinião, é mesmo Giancarlo Fisichella.

Marcos Antônio Filho disse...

Kimi e spa, é que nem Kimi e vodka, são feitos um pro outro!rs

Paulo Maeda™ disse...

O Físico ontem fez milagres... eh bem como o Galvão falou (uma vez ele fala algo q presta neh rs). Fisichella pode ter dado seu último show na F1 e por isso ele pilotou com a faca nos dentes não é mesmo? Incrivel como conseguiram tirar tanto da Force India ontem.

Marcelonso disse...

Leandrus,


O finlandes manda muito bem nessa pista.

Fisico também foi muito bem,confesso que não esperava que se mantivesse ali.

abraço