domingo, 7 de dezembro de 2008

Final previsível de um campeonato imprevisível


Este último Campeonato Brasileiro pode ter sido o mais disputado e imprevisível dos últimos anos, mas a última rodada não destinou tantas surpresas. Como esperado, o São Paulo foi campeão, Cruzeiro e Palmeiras asseguraram as duas vagas restantes para a Libertadores e o Vasco realmente foi rebaixado.

O fato desta edição do Brasileirão ter sido a mais disputada dos últimos anos não impediu que o campeão fosse o mesmo do dos últimos dois anos. Com o seu futebol eficiente, o São Paulo tomou a liderança da competição já em novembro para não mais largá-la; assustou seus torcedores empatando com o Fluminense em pleno Morumbi na penúltima rodada, mas não deu sopa ao azar e, embora o gol tenha sido irregular, derrotou tranqüilamente o Goiás por 1 a 0, assegurando assim seu hexacampeonato. Um prêmio merecido para uma equipe que nunca desistiu do título mesmo quando poucos acreditavam que isso pudesse acontecer e que não perde há incríveis 18 jogos. Quando faltou regularidade aos adversários, o time de Muricy Ramalho mostrou uma impressionante, de dar inveja a qualquer um; esperar um tropeço do tricolor paulista era quase impossível na reta final do torneio, e isso foi essencial para que o time conquistasse o torneio. Restou ao Grêmio ficar com o vice-campeonato, que não pode ser desprezado: poucos imaginavam que o por vezes menosprezado time de Celso Roth chegaria em tal posição após ficar de fora da final do Campeonato Gaúcho. Com um time inferior e mais barato no papel, ficou com sobras na frente de Palmeiras e Flamengo, por exemplo, tendo um desempenho mais satisfatório do que ambos durante a competição.

Falando em Palmeiras e Flamengo...bem que o time de Luxemburgo tentou ajudar a equipe de Caio Jr, querendo coroar a última rodada com um resultado imprevisível. O alviverde paulista conseguiu a proeza de perder para um Botafogo que não vencia há 6 jogos (pior, colecionando resultados pífios contra times que lutavam para não cair) em pleno Palestra Itália. Só não houve repeteco do ano passado, quando o time não se classificou para a Libertadores após perder para o Atlético-MG dentro de casa na última rodada, porque o rubro-negro carioca não aproveitou a chance (mais uma dentre milhares), já que perdeu por 5 a 3 para o Atlético-PR (com atuação sofrível do sistema defensivo e de ambos os laterais). Um fim de campeonato melancólico para os times que mais investiram para essa temporada. Pior para o time de Caio Jr., que vai encarar uma forte revolta da torcida nos próximos dias, já que o Flamengo teve todas as chances para se classificar para a maior competição das Américas e sempre jogou a vaga pela janela. Já o Cruzeiro, após tomar um susto ao sair para o intervalo perdendo em casa para a rebaixada Portuguesa por 1 a 0, acabou goleando o adversário: 4 a 1 em cima da Lusa, e vaga assegurada para a Libertadores depois do 3º lugar no Brasileirão. É importante lembrar que o Palmeiras, por ter terminado na 4ª posição, terá de disputar a Pré-Libertadores.

E mais uma vez o Brasileirão foi cruel com um time grande. Depois da era dos pontos corridos rebaixar times grandes como Grêmio e Corinthians, o Vasco foi o novo premiado, caindo para a Segundona; algo que já era esperado, é verdade, mas que ainda era meio difícil de se acreditar. O time perdeu em casa para o Vitória por 2 a 0, mas mesmo se tivesse ganho desceria, pois todos os outros resultados foram contra o Gigante da Colina. Era um castigo que Dinamite não merecia, e o novo presidente vascaíno terá ainda mais trabalho para reerguer o clube; do mesmo jeito que a torcida fez nos últimos jogos, terá de apoiar e muito a equipe no ano que vem, porque a caminhada rumo a Série A será dura. E que não caiam no erro de começarem a louvar a era Eurico Miranda, pois o antigo presidente do clube é um dos maiores responsáveis por essa catástrofe na história do Vasco.

Tristeza tão grande quanto a do Vasco teve a torcida do Figueirense, que viu seu time derrotar o Internacional por 3 a 1 mas mesmo assim ser rebaixado. O rebaixamento do time de Santa Catarina também não foi uma grande surpresa, já que fez uma reta final de campeonato ruim (na era Mário Sérgio, apenas 1 vitória em 10 jogos, vitória essa curiosamente em cima do Vasco), mas ficou um gosto amargo pelo fato do time ter vencido os últimos 3 jogos, sob o comando de Pintado (técnico com 100% de aproveitamento mas ainda assim rebaixado; algo no mínimo curioso). O time dependia, assim como o Vasco, de derrotas do Náutico e do Atlético-PR, mas o primeiro empatou sem gols com o Santos na Vila Belmiro e o segundo, como já citado, derrotou o Fla por 5 a 3. Dessa maneira, ambos se juntam a Portuguesa e a Ipatinga no G-4 maldito.

E assim terminou o melhor Campeonato Brasileiro da era dos pontos corridos. Deixará saudades pela emoção presente a cada rodada que passava e pelos resultados imprevisíveis que deixavam todos boquiabertos. É verdade que o nível técnico da competição não foi dos melhores, mas isso não apaga o bom torneio que assistimos desde maio. Que venham mais campeonatos como esse!

Foto: esporte.ig.com.br

7 comentários:

Marcel Jabbour disse...

Concordo quando você diz que, apesar de não ter sido o melhor em nível técnico, o campeonato foi grande em emoção. Mesmo assim, é engraçado ver que a última rodada foi uma das menos surpreendentes.

Espero os estaduais, que apesar de menos qualificados, ainda me agradam muito.

Grande abraço!

diletra.blogspot.com

Vinicius Grissi disse...

Um campeonato fantástico. E como você disse: imprevisível. Resultados incríveis, jogos emocionantes.

Os "pontos corridos" caíram no gosto do brasileiro. Prova disto, os ótimos públicos da rodada final.

Título justo para o São Paulo!

Paulo Maeda™ disse...

Realmente disputadíssimo mas com um final previsível. Menos mal q o gol impedido do São Paulo não faria mta diferença, já q o Goiás nao teve ataque nesse jogo. O SP mereceu msm pela tamanha regularidade.
Grêmio pagou o preço pelo "apagão" do 2º turno, mas não podemos desmerecer seu vice, eles estão de parabéns. Qto ao Flamengo... o Caio Jr, já disse que não ficaria msm antes desse resultado.
E Dinamite nao merecia msm esse castigo (o time Vasco da Gama sim, ele não).
mas ele vai reerguer o time e dar a volta por cima.

Rafael Petry disse...

Foi um dos melhores campeonatos da era dos pontos corridos, mesmo com o meu Alvinegro catarinense sendo rebaixado. O São Paulo foi campeão pela sua regularidade, esta que não marcou o Palmeiras e Flamengo que poderiam terem feito papel muito melhor neste campeonato, regularidade que marcou o Cruzeiro, que com um time jovem, barato e insunuante conquistou uma merecida vaga para a libertadores.Podemos destacar o bom time do Coritiba que com um futebol gostoso de assistir conquistou uma vaguinha para a Sul-Americana. Já na parte de baixo eu destacaria o A.Paranense que encaixou uma arrancada expetacular na reta final da competição.. Enfim, a fórmula para um campeonato de pntos corridos é a regularidade...
Grande Abraço!

Daniel Leite disse...

Em matéria de emoção, foi realmente fantástico.

Muito embora a primeira rodada valha a mesma coisa em relação à última, as retas finais determinaram a sorte de todos. Basta olhar para o São Paulo, campeão porque ficou quase um turno todo sem perder, e para o Vasco, que, mesmo com uma melhora, fez só três pontos nos últimos doze possíveis. Pelo período derradeiro, o Palmeiras e o Cruzeiro não tiveram chances de título, assim como o Flamengo, que, perdendo jogos e pontos 'bobos', perdeu também a vaga na Libertadores.

Até mais!

Net Esportes disse...

Campeonato espetacular.... VALEU SÃO PAULOOOOOOOOOOO !!!!! Incrível

Saulo disse...

Foi o campeonato mais equilibrado e emocionante que já vi nesses ponto corridos.