quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Do céu ao inferno

2007 foi um ótimo ano para o Renato Gaúcho: o ex-jogador conquistou seu primeiro título como treinador ao conquistar a Copa do Brasil com o Fluminense, assegurando dessa maneira uma vaga na Libertadores do ano seguinte, e ainda levou o time à 4º posição do Campeonato Brasileiro, o que também dava direito ao clube de ir à competição continental, mesmo sabendo que o elenco tinha poucas pretensões no torneio nacional. Renato tornou-se muito respeitado e as expectativas para 2008 eram as melhores possíveis. Mas as coisas não saíram como planejadas.

O treinador teve dificuldades para armar o Fluminense no começo do ano e acabou decepcionando no Carioca, não conquistando nenhum dos dois turnos e ficando de fora da final da competição. Porém, fez ótima campanha na Libertadores, ajudou a colocar o nome do clube em evidência fora do país, derrotou os temidos São Paulo e Boca Juniors de forma épica, mas perdeu na final para a LDU na decisão por pênaltis, em pleno Maracanã.

Foi um duro golpe para Renato Gaúcho. O técnico virou motivo de chacota por causa de polêmicas declarações antes dos jogos contra a LDU. Tudo bem, talvez elas tenham sido mal-interpretadas ou não expressaram bem o que o treinador queria dizer, mas a verdade é que foram fortes demais, deixando um ar de provocação no ar, e inoportunas para o momento. Extremamente abatido, o treinador não conseguiu recuperar o Fluminense na competição que lhe restava, o Brasileirão, e foi demitido.

Apenas uma das inúmeras brincadeiras feitas com Renato após a perda do título da Libertadores

Depois de tanto estresse, talvez a melhor coisa a ser feita fosse mesmo descansar e se preparar para o ano seguinte. Afinal, por maior que fosse a decepção por não ter conquistado a Libertadores, o fato de ter levado o clube à final da competição não poderia ser esquecido; Renato teve os seus méritos e deve ser respeitado por isso. Com certeza teria mercado em 2009 e algum clube forte iria contratá-lo. Mas ele assumiu um risco e aceitou o desafio de comandar um decadente Vasco um mês depois de ser demitido do Flu.

O começo foi difícil, assim como toda a trajetória do clube até a última rodada. O time era limitado, estava visivelmente abatido e, embora Renato tentasse de tudo, demorou a engrenar. Prova disso é que só foi conquistar a primeira vitória na sua sexta partida no comando da equipe, mesmo após boas exibições contra Sport e Flamengo. No final das contas, o treinador até fez um bom trabalho, reagindo no final do campeonato. Mas acabou num cenário parecido com o da Portuguesa: fez boas partidas, mas, prejudicado pelo desespero que bateu no time nos últimos jogos e pelos resultados ruins da era Antônio Lopes e principalmente da era Tita, não resistiu e acabou rebaixado.

Aí fica a pergunta: não seria melhor ter se preservado para 2009? Na verdade, isso já era discutido no momento em que resolveu treinar o Gigante da Colina. Talvez sim, justamente por ter agora seu nome associado à tragédia que ocorreu ao clube e ter se desgastado mais ainda. Mas é importante lembrar que era uma ótima chance do técnico se recuperar, e ele quase conseguiu isso; mas, por inúmeros fatores, como limitação do elenco e tropeços em São Januário, não foi possível se salvar do descenso.

A verdade é que, em um ano, Renato Gaúcho foi do céu ao inferno. Cada um ficará com uma impressão diferente sua, mas ele não pode cair no esquecimento por causa das decepções que teve esse ano, como não deverá acontecer (comenta-se que o Grêmio deseja contratá-lo caso Celso Roth não renove), pois também mostrou ser um ótimo treinador e que tem muito futuro. O certo é que deve pensar nos erros que cometeu, principalmente nas suas declarações desastradas, para que cresça como técnico. E por favor, pare de ficar abatido a cada derrota: ninguém vai querer um comandante mais desanimado que os jogadores.

Foto: www.kibeloco.com.br

6 comentários:

Rafael Petry disse...

O Renato é um falastrão! Ele é do estilo, eu ganhei, nós empatamos, eles perderam... Creio que foi um erro ele ter ido para o Vasco no final do ano, ele se desgastou muito, e não ganhou nada em troca. Ele ainda não fez por merecer ser um técnico tão caro...

Vinicius Grissi disse...

O Renato deve aproveitar um tempo desempregado para se reciclar. É ótimo técnico, mas fala demais. Tem futuro. É importante lembrar que poucos técnicos com o curto tempo de carreira como ele são tão bem sucedidos.

tati disse...

Eu não gosto do Renato ...simplesmente não gosto!

Agora ele só está pagando pelas inúmeras bobagens que já falou, que fala e que sempre falará!!

Pq cair para segundona não vai impedí-lo de falar mais besteira...hehehe
Isso se não piorar... hehehe

Bjinhos do Octeto

Tati

GiglioF1 disse...

Leandro,

RG é um cara que no inicio eu nao gostava , mas aprendi a respeita-lo...fez um bom trabalho , mas neste esporte , basta um dia para sair do ceu e ir ao inferno...

Com relacao ao Ronaldo, pessoalmente acho que o Coringao se equivocou...Mas o tempo dirá!!

Grande abraco!!

Daniel Leite disse...

O ano de Renato Gaúcho foi muito turbulento, impressionante. Começar a temporada com um ótimo time, chegando à final da Libertadores, e terminar de maneira tão melancólica deve ser algo terrível para um profissional. O título da postagem define tudo.

Algo semelhante ocorreu com Cuca. Afinal, ele começou o ano sustentado pelos resquícios do bom trabalho no Botafogo, o qual poderia continuar. Terminou com uma sucessão de desastres, com Santos e Fluminense. Agora, não sei como, vai treinar o Flamengo...

Até mais!

Leandrus disse...

Breves comentários:

Rafael, como disse, a ida do Renato Gaúcho para o Vasco sempre foi motivos para discussão. Particularmente, achei uma boa, pois era a chance de se recuperar e mostrar que é um bom técnico (algo que eu acredito). Não deu, paciência; mas até que ele ficou perto disso. Agora, que ele fala demais eu concordo, e precisa melhorar isso. Dá para fazer um livro cheio de declarações contestáveis dele.

Vinicius, concordo com você. Na minha opinião, é um dos melhores técnicos da nova geração. Mas precisa aprender a falar menos. Durante esses anos, tem falado muita bobagem, e precisa controlar a boca.

Tati, acho que ele vai melhorar. Talvez não o necessário, mas vai. Por exemplo, ele já declarou que diria todas aquelas coisas que disse antes dos jogos contra a LDU de maneira diferente, pois não foi bem interpretado. Isso já é um bom começo.

Giglio, eu acho que Ronaldo pode dar certo no Corinthians. Mas envolve vários fatores, como motivação para jogar, como ele irá se cuidar, se ele vai sofrer outra contusão séria. Mas a princípio, acho uma ótima contratação.

Daniel, o Cuca teve mesmo um ano muito parecido com o do Renato; aliás, são muito parecidos no aspecto psicológico, pois se abatem facilmente após as derrotas. Ambos fizeram opções que são contestadas por muitos: Renato decidiu assumir o Vasco, e Cuca, depois de passagem ruim pelo Santos, decidiu assumir o Flu. A escolha do Renato achei válida; a do Cuca não, até porque ele vinha desgastado desde 2007.
Quanto ao Fla, também não sei como será. Só sei que foi um presentão de natal, e ótima chance de se recuperar.

Ateh!