domingo, 6 de julho de 2008

Fazendo o dever de casa

Em mais uma ótima corrida marcada pela chuva, Lewis Hamilton fez uma excelente corrida e venceu o GP da Inglaterra diante de sua eufórica torcida. Completaram o pódio os surpreendentes Nick Heidfeld, da BMW, e Rubens Barrichello, da Honda; surpreendentes porque o alemão vem sendo ofuscado por Robert Kubica nas últimas corridas, até tendo seu futuro duvidado na escuderia, enquanto o brasileiro, dirigindo uma carroça, largou num distante 16º lugar.

A largada já foi dada com a pista molhada, tornando as primeiras voltas da corrida muito movimentadas. Heikki Kovalainen manteve a ponta, enquanto Hamilton aproveitou uma brecha dada por Mark Webber para pular de 4º para 2º. Ainda na primeira volta, Webber rodou e caiu para as últimas posições, estragando todo o seu trabalho construído na qualificação. Felipe Massa, que havia ganho apenas 1 posição na largada, também rodou e se juntou ao australiano da RBR nas últimas posições. Ainda no final da mesma volta, Sebastian Vettel se enroscou com David Coulthard, acarretando no abandono dos 2 pilotos. Curiosamente, o alemão é considerado o favorito para substituir o escocês na próxima temporada.

Nas voltas seguintes, Alonso, que havia sido ultrapassado por Nelsinho Piquet, ultrapassou o brasileiro e Nick Heidfeld com certa facilidade, mostrando porque é considerado um dos melhores pilotos que dirigem na chuva na atualidade. Enquanto isso, Massa provava o contrário e rodava pela segunda vez, tornando sua corrida muito mais complicada. Na 10º volta, Kovalainen, que já havia sido ultrapassado por Hamilton, acabou cometendo um pequeno erro (coisa que aconteceria em vários momentos da prova) e foi ultrapassado por Raikkonen.

Webber vinha sendo o grande nome da corrida, fazendo várias ultrapassagens no pelotão de trás. Ao contrário, Felipe Massa, que vinha sendo cauteloso por já ter rodado 2 vezes, demorou várias voltas para ultrapassar Rosberg e Fisichella. Porém, neste momento, o foco da corrida passava a ser outro: Raikkonen abaixava assustadoramente sua vantagem para Hamilton. Os dois entraram juntos nos boxes para fazerem suas paradas: um momento crucial para a corrida.

Como a pista estava secando, a Ferrari optou por não trocar os pneus de Raikkonen, deixando os pneus de chuva já desgastados, assim como faria com Massa e a Renault, com Alonso; isso não impediu que Hamilton voltasse na frente do finlandês. Porém, voltou a chover no circuito, o que arruinou a corrida dos 3: a corrida de Massa finalmente foi para o espaço e Raikkonen e Alonso foram ultrapassados facilmente na luta pelas primeiras posições.

Durante essas voltas de agonia dos 3 pilotos já citados, os pilotos da BMW se destacavam. Heidfeld pulou de 4º para 2º, ao ultrapassar Raikkonen e Kovalainen quando o piloto da Mclaren ultrapassava o atual campeão da F-1. Poucas voltas depois, Kubica passou com extrema facilidade Piquet, Raikkonen e Kovalainen.

Aí começou o drama dos pilotos e a alegria dos fãs: a chuva apertou, e muito. Glock, Kubica, Hamilton, Kovalainen, Raikkonen e Massa deram mais de um passeio na grama. Nelsinho Piquet, que vinha fazendo uma discreta mas excelente corrida, abandonou após parar na caixa de brita. Uma pena, pois o brasileiro vinha na 4º posição, novamente fazendo uma corrida muito segura; de qualquer maneira, deve ter deixado boa impressão entre os chefões da Renault.

E aí começou a brilhar a estrela de Rubens Barrichello. O brasileiro, que havia colocado pneus de chuva, começou a andar muito mais rápido do que os outros. Mesmo com uma carroça, ops, uma Honda, o ex-piloto da Ferrari começou a fazer várias ultrapassagens com facilidade, chegando à 2º posição. Enquanto Rubinho conseguia se manter na pista sem rodar, os outros pilotos continuavam protagonizando um festival de rodadas, com destaque para a dupla da Ferrari e para Kubica, que de tanto abusar da sorte acabou indo parar na caixa de brita, abandonando a corrida e perdendo grande chance de ser o líder isolado do campeonato.

Faltando 14 voltas para o final, Barrichello foi obrigado a visitar os boxes novamente, fruto de um problema no seu 2º pit stop, caindo para a 4º posição. Porém, Trulli também precisou fazer sua 2º parada, e o brasileiro voltou à 3º posição.

Agora confesso: a partir desse momento, comecei a torcer descaradamente para Rubens não quebrar, pouco prestando atenção na corrida. Mas o final ainda reservou uma boa briga pela 4º posição: Alonso, Raikkonen e Kovalainen brigavam por ela. O finlandês da Ferrari levou a melhor, deixando um decepcionante 5º lugar para o piloto da Mclaren e um importante 6º lugar para o espanhol.

Enquanto isso, Hamilton, Heidfeld e Barrichello terminaram a corrida tranqüilamente, sem serem incomodados. A propósito, Barrichello acabou tendo uma corrida na chuva para ficar na história: afinal, o brasileiro largou em 16º e chegou no pódio, sempre se mantendo longe dos problemas. Se Donnington 93 e França 99 foram cruéis com ele, essa corrida foi justamente o oposto. A zona de pontuação foi fechada por Trulli e Nakajima. Felipe Massa terminou na última posição, num dia a ser esquecido: o brasileiro chegou a rodar 5 vezes, por exemplo.

Só para constar: Hamilton merece elogios pela corrida de hoje. Fez ótima largada e não deu sopa para o azar em nenhum momento, compensando os erros cometidos na qualificação. Esse sim é o Hamilton tão elogiado no ano passado, ao contrário do barbeiro do Bahrein e do Canadá.

8 comentários:

Daniel Leite disse...

Agora, o campeonato embola de vez. Hamilton tem boas chances, visto que é o único piloto da equipe com boas possibilidades. Massa foi mal demais hoje, como destacado, mas é capaz de trabalhar melhor em outras vezes. Raikkonen, para mim, ainda é o favorito ao título. Só não é líder do campeonato porque uma hora a Ferrari o põe no mato, e em outra o Hamilton atropela o seu carro...

Até mais!

SãoPauliNa-RP disse...

Oii tudo bem aiiii??
Oxiii deu Hamilton de novo ahuhauhaau gostei!!!!!!
Torço por ele mesmo =D
Beijosssss :P

Vinicius Grissi disse...

Como já tinha dito, aqui mesmo, sensacional corrida. Todos os brasileiros merecem destaque, apesar do Massa ter ido muito mal.

Mas é muito bem ver o Rubinho voltando a se destacar. É um grande rapaz...

Carlão Azul disse...

Putz, esse mundial vai assim ate o fim, muitissimo disputado...

Tambem gostei do Rubinho, mereceu.

Saudações Celestes
SITE/BLOG.....CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS
Sou Cruzeirense - Site
Sou Cruzeirense - BLog
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE

OCTETO RACING TEAM disse...

A corrida foi muito boa!!

E Rubinho fez bonito com esta Honda!! hehehe


Bjosss

Tati

Leandrus disse...

Breves comentários:

Daniel, você esqueceu de falar que teve uma corrida que o Raikkonen praticamente atropelou o Sutil! Tudo bem que ele não o alemão seria punido, mas que na hora eu fiquei revoltado, ah, fiquei...
E agora o Hamilton volta mesmo a briga pelo título. Mas confesso que ainda não tenho favorito...

Sãopaulina, eu até torcia pro Hamilton, mas depois de umas coisas que ele fez dentro e fora das pistas, desisti, rs

Vinicius, muito bom mesmo o que aconteceu com o Rubinho. Tava merecendo isso, por tudo que tinha que ouvir ultimamente...

Carlão, graças a Deus que vai ser disputado né! Parece que vamos ter outro fim de campeonato emocionante...

Tati, corrida muito boa! O campeonato tá me surpreendendo, do jeito que eu queria. E que venha mais corridas com chuva, rs
E quanto ao Rubinho, ainda estou sem palavras, sensacional, rs

Ateh!

F-1 A.L.C. disse...

eu tinha meu sogro de um lado torcendo para Hamilton dar o ja conhecido "erro por pressão" e a minha esposa do outro lado preguntando cade o kubica.

nem acrditava que o rubens era candidato ao podio ate aquela briga ao final, muito emocionante.

Felipe Maciel disse...

Temos que reconhecer: falou em chuva, falou em Lewis Hamilton. Tá faltando vitória no seco este ano, mas também é a verdade que está chovendo demais nesta temporada.