quarta-feira, 23 de julho de 2008

A competência em questão

Sir Alex Ferguson, técnico do Manchester United, tocou em alguns pontos importantes sobre o Chelsea numa tacada só: falou sobre a idade dos jogadores do clube de Roman Abramovich, os favoritos ao título da EPL e a competência de Felipão . Obviamente, a imprensa brasileira, como qualquer uma de outro país, focalizou no que mais interessa para ela: o trecho em que Ferguson, embora tenha admitido que “Big Phil” é um bom treinador, disse que o mesmo dificilmente baterá a campanha de José Mourinho no clube.

Realmente, pelo mito que os brasileiros criaram sobre Felipão, a declaração não soa muito bem. Afinal, o técnico gaúcho é quase unanimidade no Brasil, já que conquistou a Copa do Mundo de 2002 quando poucos apostavam na seleção canarinho; isso sem contar os ótimos trabalhos realizados no Grêmio e no Palmeiras, clubes em que o treinador conquistou a Taça Libertadores.

Porém, às vezes tem-se a impressão de que Felipão ainda é visto com certa desconfiança na Europa por não ter treinado um clube de expressão no Velho Continente. Seus feitos (consideráveis, diga-se de passagem) pela seleção portuguesa talvez fossem mais respeitados se o treinador tivesse conquistado algum título dirigindo os portugueses. Como não conseguiu, surgem declarações como a de Ferguson ou a extremamente polêmica e exagerada de Noel Gallagher, guitarrista do Oasis e fanático torcedor do Manchester City, quando perguntado sobre a possível contratação de Scolari para o cargo de técnico de seu amado clube. Isso é algo muito comum, até mesmo (ou muito mais) aqui no Brasil: por exemplo, Cuca fez bons trabalhos no Botafogo, Goiás e até mesmo no São Paulo, mas nunca conquistou um título, e ainda é visto com certo desprezo por parte de alguns por isso.

Porém, se Ferguson fosse mais atento, visse que a seleção portuguesa não é nenhuma maravilha (logo, entenderia que o brasileiro fez ótimo trabalho ao levar a seleção à 4º posição na última Copa do Mundo e ao vice campeonato na Euro 2004) e considerasse o retrospecto de Felipão no Brasil (o que não é difícil; o próprio escocês já teve um duelo contra o brasileiro, num jogo em que o Palmeiras perdeu para o Manchester United pela antiga Interclubles; jogo esse em que o time paulista tomou um gol bobo e perdeu diversas chances de gols), talvez o escocês reconhecesse o talento de Felipão. Ou ele só irá perceber isso quando Scolari conquistar títulos por 3 anos seguidos?

OBS: O que será mais difícil: provar sua competência ou montar o meio campo tendo Ballack, Lampard, Deco e Essien?

Foto: Globoesporte.com

9 comentários:

Carlão Azul disse...

Creio que o problema é que o Mourinho passou uma temporada bem longa no Chelsea, mas técnico por técnico, é claro que sou mais o "Big Phil"...heheh

Saudações Celestes
SITE/BLOG.....CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS
Sou Cruzeirense - Site - Tudo sobre o clube que manda em Minas
Sou Cruzeirense - BLog - Tudo sobre o clube que manda em Minas
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE

Daniel Leite disse...

Não é difícil de entender a rinha. Quando treinava a Seleção Portuguesa, Felipão se desentendeu fortemente com Carlos Queiroz, substituto de Felipão e ex-adjunto no Manchester, por questões envolvendo C. Ronaldo em jogos amistosos por Portugal. Ferguson parece ter comprado a briga...

Mas o fato é que o escocês é um sujeito arrogante. Suas láureas infinitas parecem lhe trazer alguma soberba... Deixemos que ele fale.

Agora, Leandrus, você tam razão. Não sei como Felipão fará o malabarismo para escalar estes quatro nomes no meio-campo. Essien joga em qualquer posição, pode ser o winger pela direita. Mas, e pela esquerda? Talvez uma solução seja montar um 4-2-2-2 típico do Brasil, com Essien e Ballack mais atrás, adiantando Lampard e Deco. Ou então colocar um dos quatro (seria Deco) na reserva, utilizando um 4-3-3 com Joe Cole e, quem sabe, Robinho pelas pontas. Acompanhemos os próximos capítulos.

Valeu, até mais!

Vinicius Grissi disse...

Felipão vai mostrar seu valor. É um grande técnico, sem dúvida. Mas, também acho difícil fazer tanto quanto José Mourinho para o clube.

Vinicius Grissi disse...

Sobre as mudanças: o Bolão é ponto corrido, não vai mudar. Mas o blog vai passar por muitas e ótimas mudanças. Vale a pena aguardar o dia 1 de agosto. Garanto!

Leandrus disse...

Breves comentários:

Carlão, gosto muito dos 2 técnicos. Cada um tem sua história (uma bela história, diga-se por sinal) e merecem muito respeito. Mas confesso que minha preferência ainda é por Felipão, mesmo sendo uma bem leve.

Daniel, eu realmente não sabia dessa briga do Felipão com o Queiroz. As lembranças podem ter interferido mesmo.
Quanto ao esquema do Chelsea: eu já estou meio cansado de ver Essien fora de sua posição real; na minha opinião, o volante deve jogar no centro do meio campo. E atuaria com Deco e Lampard completando o meio, deixando Ballack na reserva e jogando com Cole numa ponta, enquanto na outra...bem, na outra o Felipão que se vire, ou contrate, pq depender de Kalou e Wright-Phillips é dose...

Vinicius, difícil é sim. Mas quem sabe "Big Phil" não conquista a tão sonhada Champions League?

Ateh!

Bruno Pinto disse...

Sou português e, falando sinceramente, acho o Scolari um técnico limitado ao nível táctico e conhecimento do jogo, embora seja muito bom a motivar os jogadores. Tenho muitas dúvidas se será bem sucedido no Chelsea mas o melhor é esperar para ver, apesar de considerar que Manchester United e Arsenal partem com alguma vantagem.

Sobre o que ele fez na selecção portuguesa, isso é algo que não é consensual por aqui. Ele teve algum mérito mas não se pense que ele veio revolucionar algo pois isso não aconteceu. Dispôs de uma geração soberba de jogadores e ficou abaixo das expectativas nos dois Europeus que disputou.

Leandrus disse...

Bruno Pinto, valeu pela presença e por comentar neste espaço. Bom, eu penso que Scolari é um técnico com esquemas um tanto previsíveis, com pouca variação. Talvez isso o atrapalhe e tenha atrapalhado Portugual nos momentos decisivos.

Quanto ao seu trabalho na seleção portuguesa, penso da seguinte maneira: ele pegou uma seleção abalada pela má campanha na Copa de 2002 e formou um time que nunca foi visto com bons olhos, até porque conseguia resultados irregulares. Revolucionar talvez seja uma palavra forte para o trabalho de Scolari, mas acho que cumpriu bem seu papel sim. Até porque foi bem na Eurocopa 04 (sim, perder para a Grécia mancha a sua campanha, mas a França e a na época temida República Checa também cairam na armadilha defensiva dos gregos; mas ganhar da Inglaterra e da Holanda não era nada fácil, certo?) e levou a um lugar na Copa excelente lembrando das últimas campanhas. Quanto a última Euro, disputada esse ano, realmente, ficou uma certa ponta de decepção. Infelizmente, não posso falar sobre a geração soberba que você disse; se vc está se referindo aos jovens talentos, confesso que não os conheço tão bem, exceto Nani, João Moutinho e Miguel Veloso (ou seja, o básico)

Ah, e quanto a Premier League: creio que o Chelsea supera o Arsenal (que precisa de reforços mais experientes, ao meu ver) e disputa o título com o Man Utd. O que acontece entre eles eu não sei...

Ateh!

Bruno Pinto disse...

Leandrus,

Quando falei de geração soberba estava a referir-me a 2004. Tínhamos Ricardo Carvalho, Deco, C.Ronaldo e ainda Figo e Rui Costa, embora estes um pouco mais velhos. Além disso, o FC Porto foi campeão europeu nesse ano e ele apostou em quase metade da equipa portista, inclusivé todo o meio-campo (Costinha, Maniche e Deco), beneficiando do entrosamento vindo do FC Porto. Ele pegou jogadores em super-forma, acabados de vencer a Champions (Carvalho foi eleito o melhor defesa da Champions de 2004 e Deco o melhor médio), reforçados ainda com C.Ronaldo, Figo e Rui Costa. E o factor-casa também ajudou. Penso que perdemos a melhor oportunidade de sempre de vencermos uma grande competição, precisamente em 2004.

Além disso, quem acompanha o futebol português sabe que ele tem sofrido uma grande evolução desde há quase duas décadas, quando os nossos melhores jogadores começaram a sair para os melhores campeonatos. Hoje em dia, continuamos com uma bela geração de jogadores e, embora muitos deles possam ser vistos como jogadores normais e pouco conhecidos, a verdade é que têm muita qualidade.

Mas é claro que o Felipão é um técnico experiente e respeitado e, apesar da minha opinião sobre ele, a verdade é que ele tem os resultados a falar por ele e é o seleccionador que melhores performances teve na selecção portuguesa.

Abraço.

Leandrus disse...

Ah sim, entendi. Realmente, era uma grande equipe, que Scolari até demorou um pouco para achar o time ideal (se não me engano, foi mudando várias peças durante a competição), mas conseguiu se sair bem. E tendo em vista que a final foi contra a Grécia, talvez tenha sido mesmo a grande chance de Portugal ser campeã.

Ateh!