domingo, 13 de abril de 2008

Merecido e irritante

O Botafogo se classificou para a final da Taça Rio ao derrotar o Flamengo por sonoros 3 x 0. O Botafogo jogou muito bem, com todos os jogadores muito bem posicionados, como sempre, enquanto o Flamengo esteve desatento em vários momentos do jogo e se desesperou ao se ver em desvantagem no placar.

Logo nos primeiros minutos, o Flamengo teve talvez a sua melhor chance no jogo: após cobrança de escanteio, Kléberson cabeceou para o gol, mas Diguinho evitou o gol quase certo ao tirar a bola em cima da linha.

A partir daí, o jogo teve poucos lances de perigo. Como o Flamengo não se expunha muito, o Botafogo preferia tocar a bola. Toque de bola que em certos momentos chegou a envolver o time rubro-negro, que, para desespero de seus torcedores, parecia desatento: em alguns momentos, os jogadores tentavam sair para o jogo no seu campo de defesa de forma displicente, dando possibilidade aos jogadores do Botafogo de recuperar a bola e armar novos ataques.

O Flamengo também pecava no posicionamento dos jogadores. Souza estava isolado na frente; Ibson, Kléberson e Toró estavam embolados, deixando grandes buracos no meio campo; Juan mal aparecia para tabelar com Renato Augusto na esquerda, deixando o apoiador sem muitas opções, e Leo Moura também não tinha ninguém para tabelar na direita. Já do lado do Botafogo as coisas iam bem: o time marcava e atacava com a mesma eficiência, mesmo sem criar muitas chances que trouxessem problemas para Bruno.

Como o Botafogo vinha bem, não foi surpreendente vê-los marcando o primeiro gol da partida, aos 39 minutos: após cobrança de escanteio da esquerda, Zé Carlos apareceu como um foguete desviando a trajetória da bola, que encontrou Wellington Paulista: este, livre e meio que no susto, fez Botafogo 1 x 0. Depois da saída de bola, o Flamengo ainda teve mais 2 chances: na primeira, Leo Moura chutou por cima do gol; na segunda, Souza disputou bola com Castillo, mas o goleiro levou a melhor e chutou a bola para longe.

O Botafogo voltou sem mudanças para o segundo tempo, enquanto o Flamengo voltou com uma que, sinceramente, não entendi: Souza saiu para a entrada de Marcinho. Com essa substituição, o Flamengo jogaria sem nenhum atacante de ofício. Ainda estou tentando entender o que Joel queria fazer sem uma referência na área, mas se ele queria abrir o jogo e permitir tabelas entre Marcinho, Leo Moura e Ibson/ Toró ou Juan, Renato Augusto e Toró/Ibson, ele não conseguiu; ao contrário, o Botafogo criou várias oportunidades de gols durante os primeiros minutos da partida: perdi a conta de quantas vezes o Botafogo perdeu uma chance de gol, o Flamengo errou a saída de bola (no desespero de marcar logo um gol) e o Botafogo armou um novo ataque com perigo. Desse jeito, o time alvinegro só poderia marcar mais um gol, o que aconteceu aos 15 minutos: após Zé Carlos cruzar uma bola quase perdida, Alessandro chutou quase sem marcação para marcar o segundo gol do Botafogo.

Depois do segundo gol, o Flamengo se mandou desordenadamente para o ataque, enquanto o Botafogo cavava muitas faltas, que geralmente eram marcadas pelo juiz: algumas até eram faltas, mas outras era quase visível que os jogadores se jogavam. Entre esses, tinha até um tal de Jorge Henrique, sobre quem já falei aqui no blog...

E o mesmo Jorge Henrique caiu na área aos 26 minutos após trombar com Toró, o que foi interpretado pelo juiz com pênalti. Não vi o lance na Tv ainda, mas da posição onde estava no estádio pareceu que foi mais um lance normal em que o atacante se jogou no chão. Após muita reclamação dos jogadores do Fla, Lúcio Flávio bateu no meio e sepultou as chances de qualquer reação do Flamengo.

Os torcedores rubro-negros, se terem muito o que fazer, ou foram embora ou preferiram vaiar Kleberson (que foi um dos piores em campo) ou os jogadores do time rival, já que eles se jogavam no chão a todo instante. Nos últimos 15 minutos o jogo foi parado pelo menos 4 vezes porque os jogadores se jogavam no chão pedindo atendimento médico; parecia que eu estava assistindo a Argentina ganhar de 3 a 0, tamanha catimba do time botafoguense até o final do jogo!

O Botafogo jogou bem e teve uma merecida vitória, mas foi irritante ver os jogadores alvinegros cavando milhares de faltas e “fazendo cera”, principalmente após o terceiro gol. Quanto ao Flamengo, o time realmente não jogou bem, sem exceção de nenhum jogador, e o possível cansaço da viagem à Cuzco não serve de desculpa para o resultado.

OBS: Dependo de internet discada, e hoje mal consegui entrar na internet. Conhecendo meu computador, não sei se vou conseguir postar alguma coisa aqui e visitar outros blogs nos próximos dias, por isso já peço desculpas.

4 comentários:

Loucos por F-1 disse...

O Flamengo nem entrou em campo, fiquei louco da vida. Parecia que nem era semi final de taça rio. Aquele penatizinho lá hein...Não vou chorar pq isso é coisa de buátafoguense...hahahaha

Abraços!

Leandro Montianele

OCTETO RACING TEAM disse...

Hehehehehe ...

Concordo com o Leandro, o Fla nem entrou em campo! Passados 10 minutos os jogadores já estavam "morrendo". Aconteceu algo parecido ano passado depois daquele jogo com o Potosí, lembra?

Para falar a verdade, o que me irritou não foi a derrota( mesmo pq já estamos na final! E o Flamengo não seria Flamengo se ganhasse o campeonato por antecipação...rsrsrs), foram os botaguenses... eles são ótimos atores!!Aff...
Sem falar naquele penalti? Ou melhor, que penâlti!??rsrsrs

Mas eles não vão ganhar do Fluminense não ...

A Final será Fla x Flu!

Bjinhosss ...

Tati

Leandrus disse...

Breves comentários (na raça, pq tá dificil essa net...)

Leandro, tb fiquei maluco com a atuação do Flamengo; e estou surpreso com esse "penalti" até agora, pq ninguem da imprensa falou disso. Se fosse contra o Botafogo, o mundo já tinha caído!

Tati, vc lembrou bem: estamos na final (rs)! Quanto ao teatro dos jogadores do Botafogo, é cada um mostrando que já tem emprego garantido depois da carreira de jogador de futebol...aff...
Quanto a Fla x Flu...sei lá, num gosto muito de jogar contra o Flu...

Ateh!

Daniel Leite disse...

Eu confesso que achava o Flamengo favorito. Mas alguns fatores se conjugaram a favor do Bota. O fato é que, se os dois voltarem a se encontrar na final, o cenário preocupa. Com as batalhas que temos visto, regadas a lágrimas do chororô e a uma hostilidade mútua podem gerar algo ruim. Para os clubes, para os torcedores. Para o futebol.

Até mais!